quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Jucá recua e pede retirada de PEC que blindaria políticos

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PSDB-RR) pediu, na noite desta quarta-feira, a retirada da tramitação da Proposta de Emenda Constitucional de sua autoria, que tentava blindar as maiores autoridades da República. Em nota oficial, o parlamentar informou que desistiu da ideia a pedido do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Pela proposta, os presidentes da Câmara, do Senado e do Supremo Tribunal Federal teriam o direito de não serem investigados por fatos anteriores ao mandato, enquanto ocuparem o cargo, como já acontece com o presidente da República. A pressão da opinião pública e dos próprios colegas no Senado fizeram Jucá recuar.

8 comentários:

Anônimo disse...

http://www.oantagonista.com/posts/quem-assinou-a-pec-do-juca

Anônimo disse...

E LASIER ASSINOU.

Anônimo disse...



Pilantras e safados, ainda bem que com as redes sociais, as noticias rapidamente são disseminada, caso contrário teria sido aprovada.

Anônimo disse...

Como o Ministro da Justiça defendeu Aecím:

Mello deu um "nada consta" ao aeroporto do Titio

16/02/2017 - Conversa Afiada

Na TV Afiada "Tucanos estão mais bindados que o PMDB" percebe-se que foi por sugestão do Mineirinho (da lista de alcunhas da Odebrecht) que o MT, da mesma lista, nomeou o mineiro Carlos Velloso, ex-ministro do STF, novo ministro da Justiça.

Até pouco tempo, Velloso era o advogado de Aécio Neves em uma ação que se originou da Lava Jato.

Mas, tem também o inesquecível aeroporto da cidade de Cláudio, o Aecioporto, o famoso aeroporto do Titio!

Por sugestão de amigo navegante mineiríssimo, o Conversa Afiada recupera, do Estadão, texto de julho de 2014 sobre o inesquecível episódio:

Aécio defende obra, mas não diz se usou aeroporto

22/Julho/2014

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, voltou a defender nesta terça-feira, 22, a construção, pelo governo de Minas, de um aeroporto em terreno desapropriado de um parente seu no município de Cláudio, no interior do Estado, quando chefiava o Executivo estadual.

A campanha tucana convocou a imprensa, mas Aécio se recusou a responder a perguntas feitas pelos jornalistas (...) O candidato fez apenas uma declaração sobre a legalidade da obra, sem dizer se fez ou não uso do aeroporto, que fica a 6 quilômetros da fazenda de sua família.

Reportagem publicada no domingo pelo jornal Folha de S.Paulo revelou que o governo mineiro gastou quase R$ 14 milhões na construção do aeroporto de pequeno porte na área que pertenceu ao tio-avô de Aécio, Múcio Guimarães Tolentino, ex-prefeito de Cláudio. Conforme a reportagem, um dos filhos de Múcio, Fernando Tolentino, disse que o próprio Aécio, seu primo, usa a pista sempre que visita a cidade.

(...) O tucano apresentou dois pareceres assinados pelos ex-ministros do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto e Carlos Velloso para defender que não houve ilegalidade na obra.

O parecer de Carlos Velloso foi enviado de Portugal e é datado de 22 de junho de 2014. A avaliação de Velloso, que ele classifica de “breve opinião legal”, é constituída por apenas quatro parágrafos. No parecer, ele afirma que o procedimento para a construção do aeroporto na cidade de Cláudio foi “correto”. (...)

Anônimo disse...

ENGENHEIRO EXPLICA A SÉRGIO MORO QUE TRÍPLEX NÃO É DE LULA
LULA MARQUES:

16/02/2017

247 - O engenheiro civil Genésio da Silva Paraíso prestou depoimento, em Curitiba, na segunda-feira, como testemunha no processo em que procuradores da Lava Jato acusam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, juntamente com dona Marisa Letícia, de ser “proprietário oculto” de um apartamento triplex no Guarujá.

Genésio da Silva Paraíso acompanhou, pela OAS Empreendimentos, as reformas feitas pela empresa Talento no tríplex. O engenheiro foi mais uma testemunha que explicou ao juiz Sérgio Moro e aos procuradores do Ministério Público Federal no Paraná que a reforma teria sido feita pela construtora porque Lula e Dona Marisa seriam potenciais clientes para uma eventual compra do tríplex, e que o que lhe foi solicitado foi a reforma para tornar o imóvel mais atrativo para uma possível compra da família do ex-presidente.

Os pagamentos para a Talento pela reforma foram feitos pela OAS através de transferência bancária, dentro do procedimento padrão, sem nenhuma tipo de ocultação.

E que os recursos para a reforma saíram do caixa normal da OAS Empreendimentos, não da OAS Construtora, empresas diferentes, com caixas diferentes, mesmo sendo do mesmo grupo. A OAS Construtora é a empresa que tem contratos com a Petrobrás, e que nunca ouviu falar de um “caixa-geral” de propina na OAS, como afirma na acusação o Ministério Público, afirmação que está na denúncia mas que não foi confirmada por nenhuma testemunha do processo, sequer as testemunhas de acusação.

Genésio afirmou ainda que, embora OAS Empreendimentos não tenha feito esse tipo de obras antes, elas são algo normal no mercado de São Paulo, onde já tinha visto reformas desse tipo sendo feitas por construtoras. Por fim, esclareceu que a cobertura estava no estoque para venda da construtora, e que foi retirado da prateleira quando a família do ex-presidente tornou-se um potencial comprador, já que havia interesse até de marketing para a OAS que Luiz Inácio Lula da Silva, que deixou a presidência da República com uma aprovação recorde, viesse a ser proprietário de uma unidade de um de seus empreendimentos.

Anônimo disse...

O Lasier assinou a PEC. Disse que assinou sem ler. Isso, Romero Jucá adora esse tipo de ovelhinha.

Anônimo disse...

É isso aí Romero Jucá. Além do FORO PRIVILEGIADO + a PEC. Para ficar bem blindado. Depois é ficar tranquilo até a próxima eleição, aí vão para as bases convencer os pobres coitados que lhe dão mais um mandato. E mais quatro anos sem ser investigado. Essa é a Pátria Educadora. Esse é o Brasil.

Anônimo disse...

O elemento está sendo investigado por obstrução da justiça e continua obstruindo.
Esther