Artigo, Luis Milman - O Campo da comunicação

Duvido que haja um estudante de comunicação capaz de discorrer por 15 minutos sobre o conteúdo dos seus estudos sem deixar quem o ouve estarrecido. Se articula algo similar a um balbucio, é só sobre alguma porcaria qualquer. Lecionei semiótica e filosofia da linguagem na PUCRS, UCS e UFGRS durante anos. O que mais se encontrava eram alunos que não queriam estudar nada, e professores que não tinham a menor ideia do que ensinar, As relações professor-aluno eram meramente recreacionais e isto em sala de aula. Os estudantes de jornalismo apenas sonhavam erm chegar logo às disciplinas práticas, para que pudessem brincar de jornalista na frente de um computador. Abominavam qualquer aproximação teórica dos problemas ou autores densos. Saiam da faculdade sem qualquer formação e alguns se candidatavam aos cursos de pós-graduação, onde a enganação continuava até a obtenção por eles de títulos de mestres e doutores. É um processo que consagra a mais pedestre atividade acadêmica, regada a muito consumo de maconha nos diretorios estudantis dominados pelos petistas e psolistas.

Ao lado da FABICO, havia uma vila, a Planetário,para a qual os estudantes acorriam para se abastecer de drogas junto aos traficantes locais, E não eram poucos que compareciam às aulas chapados, literalmente. Desafio, assim, qualquer pessoa a me apontar uma dissertação de mestrado ou tese de doutorado produzidas em escolas de comunicação no país que possuam valor acadêmico-científico aceitável. 

CLIQUE AQUI para ler tudo.

22 comentários:

Anônimo disse...

Esta é uma dura realidade. Todas as ciências sociais ensinadas em universidades sofreram um processo tão violento de tolhimento intelecto-cultural bitolado pela doutrinação ideológica que tornou-os meros analfabetos funcionais e incapazes de competir se não houver favorecimentos também de cunho ideológico, senão estariam limpando latrinas, tal a qualificação de muitos. No rádio em especial é de assustar a ignorância com uma curiosa pretensão de serem "sábios" e fontes de "conselhos".

Anônimo disse...


Dentro desse lixo está FHC.

Anônimo disse...

Devastador! Mas, ganha credibilidade, quando cotejado com a produção do "campo da comunicação" na mídia local (ressalvadas as honrosas exceções).
Concordo com o Anônimo das 10:23.

Anônimo disse...

Concordo plenamente com o anônimo das 10:23 h. As reportagens são de péssima qualidade, com erros flagrantes de informações básicas para expor um conjunto de idéias. E pior que isso, o dinheiro suado dos trabalhadores saindo pelo ralo de uma Universidade que não é capaz de estancar uma aberraçao dessa natureza. Um curso que não trás benefícios a sociedade, somente onera o dinheiro público que poderia ser mais útil na Saúde, Segurança ou até mesmo em outras áreas da Educação.

Unknown disse...

ERRATA
Basta=bosta!!!

Mordaz disse...

Pegou pesado. Retrato do Brasil de esquerda. Não é por nada que um apedeuta se elege presidente. E que ter cultura é coisa de preconceituoso.

Jose Luiz Rizzotto disse...

O lula está fora porque não teve condição cultural para estudar, faça me o favor, critique quem não possue cultura suficiente para ser presidente!

Nereu disse...

Excelente artigo, Milman. Há alguns dias assisti uma apresentadora da GNews que do alto de estúpida ignorância, denominou o muro México-USA de "segregação". Ou seja, qualquer pessoa que constrói um muro em sua propriedade é um segregador.
A busca descarada dirigida à esquerdopatia leva ao cometimento dos mais suínos argumentos - sem ofensas seres.
E o pior... querem ser formadores de opinião!!! Pode?!

Anônimo disse...

Cultura é uma catedral e deve ser construída tijolo após tijolo ao longo do tempo...
Os estudantes em questão possuem no máximo vinte e poucos anos... e chegarão lá se forem bem orientados...
Alguns tiveram um lar estável onde cultura era parte do café da manhã ,almoço e jantar... então as fundações da catedral já estão construídas ... o tempo fornecerá a maturidade e conhecimentos necessários para a construção das paredes e torres...
Outros dependerão de seus mestres escolares e PRINCIPALMENTE DOS MESTRES UNIVERSITÁRIOS para saberem da catedral ,dos métodos construtivos e do projeto como um todo...
Fico muito triste quando leio que um professor universitário reclama de seus alunos e não os vê como um desafio constante ... como o arquiteto ou mestre de obras que recebe um estagiário ou aprendiz que nada sabe ... e que após alguns meses de aprendizado transforma-se em uma caixa inesgotável de perguntas sobre o assunto... porque foi tomado pela paixão do ato de " construir a catedral"...

Anônimo disse...

Na década de 80 eu dava aula numa turma da engenharia no 5º ano, último semestre, salário mixuruca, inicio da aula 22h, ao entrar me deparei com a turma muito algariada, cheiro de canábis, e alguns bem chapadões, desci e pedi demissão na secretária, este artigo do Milman é atual como na minha época, os atuais estudantes na grande maioria, estão neste patamar para a degraça do Brasil.

Anônimo disse...

Desde que o stf declarou a inconstitucionalidade da lei de imprensa, no que tange à obrigatoriedade do curso superior de Jornalismo, o caos, que já existia, piorou. Eu sou favorável à reserva de mercado, mas fica até difícil defender o indefensável, com esses cursos lulopetistas.

Anônimo disse...

O que é um jornalista?
Com raras e honrosas exceções: é alguém que não estudou nada, e fala e escreve sobre tudo, como se fosse entendido.

Anônimo disse...

Tenho um sobrinho, formado em jornalismo na PUC-RS, e trabalha num grande jornal paulista( não digo o nome do jornal, pq não interessa), os artigos que elle escreve nesse jornal, poderia ter saído do INSTITUTO LULLA. Até hoje, elle defende o PT e por vias diversas ataca o PSDB. O pai e a mãe dele, são horrorizados com a defesa que elle faz desse governo ladrão lula/Janette.

- No meu tempo de estudante da UFRGS, década de 70, curso de Odonto, os estudantes do DCE, já eram chapados na maconha, e eram os piores alunos do curso. Nada mudou, só para pior.

Anônimo disse...

De pleno acordo, o brasil, em minúsculas mesmo, está se tornando uma nação de abestados mentais...

Anônimo disse...

Bah, o cara convive com Lula e Zé Dirceu e vem chamar FHC de lixo!

Anônimo disse...

Perfeito! Concordo.

Anônimo disse...

Infelizmente essa é a realidade, muito bem retratada pelo Prof. e Jorn. Milman. As universidades públicas, assim como todo o ensino público de todos os níveis, que deveria ser "top de linha", é um grande chiqueirão (não por culpa dos porcos, mas porque seus donos não ligam a mínima para o seu bem-estar).
Com as exceções de sempre, mas o que mais se vê quando se da uma volta em um campus de federal é os "magrinhos" sujos, fedidos, chapados e vestido alguma camiseta com dizeres das esquerdas circulando por todos os lados como se fossem zumbis.
Em Floripa pude testemunhar essa realidade, pois era vizinha do campus da Trindade, e em Curitiba enquanto fazia minha especialização na UFPR.
Não entendo como esses jovens, muitos oriundos de boas famílias, transformam-se em "intelequituais" de 5ª categoria, depois que entram nessas instituições.
Deveriam aproveitar a oportunidade e estudar com dedicação e, uma vez graduados, ajudar o país a alcançar o ranking de país CIVILIZADO, não SOCIALISTA-BOLIVARIANO!
Profª Sonia

Anônimo disse...

Esse relato do Milman, junto com todos esses comentários, poderia ou deveria deixar a todos preocupados com a Educação no país. Concordo com o anônimo das 12:57h quando compara a Educação com a construção de uma catedral. Não se consegue começar a construir ou edificar uma obra quando se quer começar pelo telhado. Essa obra não se sustenta e nem teria como se não a começar pela base. A fundação ( base ) da Educação está fragilizada e os tijolos nas paredes não se sustentam, porém, a Faculdade é o telhado. O aluno que vem dessa estrutura mal formada conseguirá êxito sim e nenhum professor negará ajuda se esse tiver condições e boa formação para ajudá-lo. O que muitas vezes nenhum, nem outro tem condições para tal, mas o aluno de um jeito ou de outro conseguirá seu diploma e será mais um analfabeto funcional no mercado de trabalho.

visionst3 disse...

a midia nacional esta toda viciada

Anônimo disse...

SE os pais tinham pouco cérebro por deficiência de magnésio, agora os filhos estão detonando com drogas o que resta na suas cabeças. Pouco importa, a velharada irá morrer e só restará zumbis.

EFEITO da CF/1988 e estatutos.

Anônimo disse...

Eis aí a HERANÇA MALDITA DO COMUNISMO. Destruir a Juventude e' destruir o Futuro da Nação. Uma Juventude fraca, covarde, sem líderes exemplares que sirvam de inspiração para as mentes deturpadas pela droga e pelo derrotismo. Uma Sociedade que se destrói no dia a dia. Com um futuro sombrio onde o orgulho pessoal, a autoestima, não sobrevivem ao catecismo da destruição pessoal e moral. Uma geração de mortos vivos que o País terá que manter em hospitais, clinicas e reformatórios. Enquanto não encararmos a droga como o INIMIGO N.1 DA RAÇA HUMANA e combate-la com a maior severidade possível não haverá SAÍDA. Jovens e crianças dizimadas pelas drogas ajudarão a dizimar metade da População Mundial nas próximas décadas. EIS AÍ A SOCIEDADE AUTODESTRUTIVA IDEALIZADA PELO COMUNISMO!

Anônimo disse...

Latrina de elefante conta?