Polícia diz que superdose de remédios matou Miss Brasil 2004

A polícia encerrou o inquérito que apurava a morte da
Miss Brasil 2004, Fabiane Niclotti, de 31 anos. Conforme o delegado Gustavo Barcellos, responsável pela investigação, a modelo se suicidou por ingestão de medicamentos. O inquérito, com mais de 200 páginas, foi concluído na última terça-feira (1) e encaminhado para o Judiciário.

No final do ano passado, a polícia recebeu os últimos laudos realizados pelo Instituto Geral de Perícias (IGP) junto com a necropsia,  que atestavam a morte por insuficiência respiratória, sem nenhum sinal de ter existido alguma violência. Mas o laudo nem confirmou e nem exclui a possibilidade de que a insuficiência respiratória tenha sido originada por intoxicação por medicamentos.

Fabiane foi encontrada sem vida na casa onde morava em Gramado, em 29 de junho do ano passado, e a conclusão da polícia, após vários depoimentos de pessoas próximas e de médicos e profissionais de saúde mental, além de bilhetes deixados, foi de que ela realmente cometeu suicídio.