Juiz Federal toma decisão ridícula de impedir nota zero no Enem

Parece ter chegado a hora do Conselho Nacional da Magistratura enquadrar esses juízes que desprezam a letra fria da lei e legislam por conta própria, criando situações absurdas como esta. O juiz do caso viu elefante sentado, olhando o mar. 

O ministro da Educação confirmou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) foi notificado da decisão judicial que impede a atribuição de nota zero na prova de redação aos candidatos que ferirem os direitos humanos. O ministro disse que o órgão vai recorrer da absurda decisão.

De acordo com Mendonça Filho, a notificação da decisão, tomada pela Justiça Federal em Brasília na última semana, foi feita na noite de quarta-feira (1º) ao Inep.  

Tudo tem a ver com as provas do Enem, agendadas par domingo.

31 comentários:

Anônimo disse...

A decisão não é absurda. Por exemplo: se a esposa e os filhos de alguém são estuprados, é natural que essa pessoa defenda a pena de morte, a prisão perpétua, o trabalho compulsório, colocar aquelas bolas de aço na perna etc. isso contraria a teoria global de direitos humanos, forjado pelo esquerdismo, a fim de destruir a sociedade. Como? Com o desarmamento da população e o aumento da criminalidade pela impunidade, já que a ressocialização é para poucos e utópica, viria o grande Estado socialista, que pela ditadura seria imposto aos cidadãos. Obviamente essa teoria foi abraçada pelos elaboradores da constituição de 1988, para que eles e seus sucessores ficassem impunes de seus crimes, como ocorre hoje.

Anônimo disse...

Este juiz fez concurso????

Anônimo disse...

Este juiz nivela um nobel com um imbecil.

Anônimo disse...

Ué....???????????????? não entendi!!! o ídolo coxinha moureco, o juiz com com código penal próprio, faz o q quer de acordo com o q da na telha e por suas conveniências partidárias e ideológicas de uma justiça curitibateca aparelhada e a coxinhada gosta ... não entendo isso...

Anônimo disse...

Os esquerdopatas imbecis também infestam os tribunais!

Anônimo disse...

Simples, atribui nota 0,1. Acaba a prepotência do "magistrado".

Gilson disse...

Ridículo também é atribuir nota zero a quem ferir os "direitos humanos" em uma redação!

Sérgio disse...

Estranho essa defesa do absurdo que é essa decisão de dar zero para quem ferir os "direitos humanos". Isso é puro patrulhamento ideológico bem ao estilo de uma ditadura stalinista. O que são "direitos humanos"? Se alguém for contra as cotas racistas para ingresso na universidade, levará zero? E se for contra a imigração desenfreada de "refugiados" muçulmanos? Zero? E se emitir qualquer opinião que possa "ofender" feministas ou ativistas LGBT? Também leva zero? Só quem não tem nenhum compromisso com a liberdade de opinião pode ser a favor dessa excrescência ditatorial inventada pelo governo.

Anônimo disse...

Absurda, pq absurda, onde está o absurdo dessa decisão?
Absurdo é o edital do ENEM que não permite a livre expressão, o contraditório, não permite atacar o politicamente correto dessa comunistada. Absurdo é o Editor com esse título para essa notícia! Parabéns ao juiz!

Carlos Flávio disse...

Sr. Polibio, este é um caso que se assemelha ao debate sobre a “Portaria do Trabalho Escravo”, ou seja, muitos pronunciamentos ausentes da preocupação de conhecer o motivo e o conteúdo da proposta.

O anônimo das 16:26, está coreto em sua analise acerca do tema. A preocupação é respeitar a liberdade de pensamento e expressão, um contraponto ao politicamente correto que domina muitas pautas, entre elas a que diz respeito aos direitos humanos.

O socialismo impõe sua agenda e exige que os indivíduos estejam subjugados a esta sem que seja minimamente permitido discordar.

Ser contra o desarmamento civil, a favor da pena de morte, prisão perpétua, a favor dos trabalhos forçados para criminosos, é o entendimento de muitos, que no caso em tela estariam impedidos de ter avaliado o conteúdo, a gramática, a concordância, simplesmente por contrariar os dispositivos impetrados pelo MEC para monitorar e impor ideologicamente o ideal do pensamento único.

Observação: a ação civil pública foi ajuizada às vésperas do Enem/2016, mas compreende expressamente as futuras edições do Enem.

Maiores informações: Acesso: http://www.escolasempartido.org/images/ENEM.pdf

Anônimo disse...

Ridiculas são as razões para o zero. Em resumo, deve-se sempre ser politicamente correto, senão, zero. O juiz tinha razão.

Anônimo disse...

Nota zero por ter escrito algo que feria os direitos humanos, o que é completamente subjetivo e além do mais, não interessa. Interessa se escreve corretamente e se expõe suas ideias de forma coerente, mesmo que discordemos delas. Decisão absolutamente correta.

Anônimo disse...

O que seria ferir os direitos humanos numa prova de redação? O avaliador é quem vai decidir?É no mínimo estranho, parece prova ideológica ou não? Analisar superficialmente o que pretende o Juiz é ser parcial.Teríamos que saber de todo teor da sentença.

Anônimo disse...

Quanto ao rigor da lei e sua aplicação nada tenho a dizer. Porém, quanto à redação do ENEM servir de instrumento de doutrinação marxista com ênfase no "politicamente correto" não resta dúvidas. Tenho acompanhado as orientações dadas aos candidatos em cursinhos, pois tenho filhos nesta fase e fica claro a ditadura do pensamento único.
Caberia ao editor se aprofundar mais no tema, talvez consultando especialistas, e nos trazer um feedback a respeito,pois, após a proposição de duas teses, o candidato tem que apresentar uma conclusão cuja solução deve estar alinhada com o que reza a cartilha da ONU. Qualquer coisa fora disto a nota é zero na "competência 5".

Anônimo disse...

QUAL É O NOME DA BESTA???
PLEASE .

Anônimo disse...

Acertada decisão, pois evitará que por qualquer palavra ou frase considerada pelo corretor como contra os direitos humanos seja considerada errada, por questão de semântica alguém pode ser prejudicado, pois onde fica a liberdade de expressão. Por exemplo: colocar bandido preso, digo, reeducando como diz a Lei das Execuções Penais - LEP, para trabalhar pode ser considerado pelos defensores dos DH como violação de direitos, eu acho que é só uma forma de sobrevivência e ajuda para "pagar a estadia" que é atualmente paga pelos contribuintes, e por aí vai..... .

Anônimo disse...

A nota zero seria atribuída pela opinião do aluno, caso ele contrariasse a opinião dominante imposta atualmente, MESMO QUE A REDAÇÃO ESTIVESSE IMPECÁVEL PELO RACIOCÍNIO, DESENVOLVIMENTO DO ASSUNTO E PORTUGUÊS CORRETO. ISSO SIM É QUE É ABSURDO !!!
Corretíssima a decisão do juiz.

Anônimo disse...

E nós pagamos!

Anônimo disse...

A decisão está corretíssima. Só estavam passando nestas provas os que se enquadravam na cartilha do politicamente correto e da ideologia esquerdista. Não podiam expressar sua real opinião. Para passar nas provas tinham que se perguntar: como um Lula, uma Dilma, uma Luciana Genro ou uma Manuela responderiam essa questão...

Anônimo disse...

Se informe melhor Políbio.

Thiago disse...

Mas o juiz está certo... existe uma série de parâmetros e um fluxograma de competências para se avaliar uma redação, zerar a redação por discordância meramente ideológica da opinião do aluno é uma aberração típica desses esquerdopatas que não toleram outro pensamento que não o deles.
Esquerdopatas como sabemos não toleram a liberdade e individualidade de pensamento, são nefastos por natureza.

Anônimo disse...

E, Sr. Políbio, acho que o senhor não entendeu o que está em jogo. Se o senhor fosse fazer esta redação e falar que a corrupção dos esquerdopatas é responsável pela crescimento da criminalidade, ainda que apresentasse argumentos baseados em fatos, tiraria zero. Se fosse falar contra o queer e lixos do tipo, tiraria zero. Eis a razão de ser um absurdo poder avaliar ideologicamente uma redação: obrigar o candidato a falar de acordo com o que impõem as ideologias comuno-bolivarianas petistas que ainda infestam o mec aparelhado há 13 anos (tal qual o despudorado minc).

Anônimo disse...

Pela tua raiva constantemente demonstrada aqui pelo Juiz Sergio Moro...deves estar com o teu lordo na reta né...Mortadela Boçal.

Anônimo disse...

INEP É NOTIFICADO DE DECISÃO QUE SUSPENDE REGRA SOBRE DIREITOS HUMANOS NO ENEM

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) foi notificado da decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, que determinou a suspensão da regra que diz que quem desrespeitar os direitos humanos na prova de redação do Enem pode receber nota zero; a assessoria de imprensa do MEC confirmou à Agência Brasil que o órgão foi notificado nesta quarta-feira (1º) à noite, e deve "recorrer o mais rápido possível"
2 DE NOVEMBRO DE 2017 ÀS 20:46 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Essa decisão beneficia os neo nazistas, eles que são contra os direitos humanos, portanto eles que poderiam tirar "nota zero".....


Anônimo disse...

A justiça está correta. Correção de redação eh algo subjetivo e vai depender do q o avaliador acha q é desrespeito aos direitos humanos.

Anônimo disse...

Absurdo é ser dada uma nota em função do conteúdo do que está escrito.
Cada pessoa escreve o que pensa...o que deve ser avaliado é a montagem da redação..a ordem da introdução..ponto de vista um..contraposição ao ponto de vista..e a conclusão.
Só o que faltava é essa horda de professores de esquerda julgando como incorreto algo que na visão deles não é políticamente correto. Parabéns juiz.

Unknown disse...

Mas prá receita de massa Miojo pode dar 10???

Luiz Vargas disse...

Pelo que sei aqueles que fizessem alguma crítica com relação aos direitos humanos estavam sujeito a tirar nota zero, pois a cumpanherada do MEC cavilosamente deu um jeitinho de querer enquadrar aqueles que pensam de maneira divergente.
O que o juiz fez foi determinar que aqueles que pensam de maneira divergente não venham a ser prejudicados por que em uma prova de redação o que interessa é a correção da linguagem utilizada e não do pensamento expressado.
Como sempre a imprensa esquerdoPaTa dá um jeitinho de embolar o meio de campo e a manada lobotomizada nem se preocupa em filtrar o que é verdadeiro e o que é falso.

Anônimo disse...

O problema é a régua que usam para dizer o que é "direito umano" (sem h) na versão da cartilha vermelha.

Garivaldino Ferraz disse...


Ridícula é essa safadeza de impor o que é ou não correto aos jovens, impedindo-os de raciocinar!
O exame é pare aferir a capacidade de expressão escrita dos candidatos, não para avaliar suas posições ideológicas! Se devemos censurar escritos que apregoam atitudes condenáveis, deveríamos começar pelos "programas partidários" das diversas quadrilhas que se intitulam partidos políticos e que apregoam a implantação do socialismo/comunismo no Brasil, um objetivo que claramente ofende a liberdade democrática de qualquer um.

Anônimo disse...

Se a redação versar sobre criminalidade e um garoto prestando a prova do ENeM escrever "Menor Criminoso", devido um menor ter cometido um latrocinio, vai tirar zero por nao ter utilizado o termo "Menor Infrator"?