O Globo cai no ridículo ao atacar Estadão e Folha, os jornais que desmascaram a fraude da gravação Joesley x Temer

A Rádio CBN pertence à Rede Globo.

Ao lado, o locutor Milton Jung, o "expert" que a Globo encontrou para rebater perícias de 5 especialistas, um dos quais da própria Justiça de SP.

No desespero de sustentar a versão de que a fita que divulgou em primeira mão, vazada pela PGR (Joesley Batista diz que foi ele quem vazou) a Rede Globo divulgou neste domingo a fantasiosa história de que a rádio CBN afirma, com base em seus registros, que é possível determinar que a gravação da conversa entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer não sofreu edição. Isso porque, de acordo com a rádio, quando o dono da JBS chega ao encontro com o presidente no dia 7 de março, ouvia uma reportagem da emissora e, ao deixar a reunião, a rádio do carro de Joesley continuava sintonizada na CBN. O quadro 'Nos Acréscimos' estava no ar e, naquele dia, começou às 23h08 da noite.

A Rede Globo quer ignorar que o próprio Joesley prometeu entregar a fita original e que o STF mandou periciar o grampo fraudado.

O STF já possui os nomes de pelo menos quatro peritos, dois dos quais contratados pelo Estadão e Folha (CLIQUE AQUI para saber nomes e cenários) que atestam adulterações graves, o que remete a descontextualizações e fraudes (50) em diálogos de toda natureza

Tentando se defender e atacar Folha e Estadão, escreve O Globo, reproduzindo fala de um "expert", o locutor Milton Jung:

- Com isso, é possível determinar que o tempo de gravação é de 38 minutos, o tempo da conversa entre Joesley chegar e sair da casa do presidente foi de 38 minutos, e esse tempo é a íntegra do áudio divulgado na quinta-feira e que comprova que o material não teve nenhuma edição. Portanto, a gente percebe que não teve edição na gravação que foi divulgada, colocada aí do início ao fim.

CLIQUE AQUI para ler oda a nota de O Globo.