Ministério Público Federal descarta irregularidades em doações da JBS à campanha de Sartori

Cards como este circulam nas redes sociais. Sartori não gostou do envolvimento do seu nome no caso e reagiu com indignação e notas de esclarecimento.

O nome do governador José Ivo Sartori não consta no pedido de abertura de inquérito feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) para o procedimento de investigações com base nas denúncias feitas por dirigentes da JBS, homologadas pelo ministro Edson Fachin. 

Isto significa que não existe qualquer denúncia ou inquérito contra Sartori.

Todos os valores repassados foram declarados e estão comprovados por recibos. As informações podem ser conferidas no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A quantia doada foi de R$ 2,5 milhões, em dois depósitos bancários feitos eletronicamente.

CLIQUE AQUI para entender melhor o caso.

7 comentários:

Anônimo disse...

Falou aí o dono deste blog e advogado incondicional do Tiririca da Serra!!!

Anônimo disse...

Agora para o editor, delação de empresário não é prova, gravação não é prova, presidente da republica se encontrar com um empresário no tarde da noite sem agenda oficial é normal e depois é petista que tem bandido de estimação, agora ta provado o problema nunca foi a corrupção é muita cara de pau dessa gente o pior é ver o bando de ignorante desse blog acreditando nisso, quer dizer que os audios são falsos? e por que o Aecio foi tirado do senado a irmã presa o amigo do presidente indo buscar 500 mil reais e gravado tudo isso é armação? quer dizer que a lava jato forja provas? então toda a investigação e fajuta, ou so é quando ataca os amigos do caro editor?

Anônimo disse...

Somente não deu tempo ainda de chegar até o Sartori.

A PGR não ter indicado Sartori NESTE PEDIDO DE ABERTURA DE INQUÉRITO não significa nada. Haverá desdobramentos e vários outros inquéritos serão abertos.

O editor sabe disto mas tenta enganar seus leitores.

Anônimo disse...

INFELIZMENTE NA ATUALIDADE ISSO PELO LADO MORAL NÃO DIZ NADA, VALOR SOMENTE PARA O LADO LEGAL.

SARTORI SEMPRE COMENTOU QUE NÃO IRIA A REELEIÇÃO, AGORA O QUER, E ISSO DIZ MUITO E DÁ A IMPRESSÃO QUE PRECISA DE IMUNIDADE.

Anônimo disse...

Quer livrar.....todo mundo comeu do mesmo mingau

Anônimo disse...



O detalhe é que o delator afirma que "doação" legal ou não é com finalidade de PROPINA.

Chega de conversa pra boi dormir....

Anônimo disse...

A questão pode não ser legal, mas é absolutamente imoral. Se tem uma coligação que foi decidida em plenária do partido, coligação firmada, campanha na rua. Ai o Sartóri recebe dinheiro para fazer campanha contra a coligação. Isto é coisa de traíras, não é à toa que na campanha de Sartório mal aparecia a logomarca do PMDB, em branco e preto, bem pequeninha.