Temer grava três vídeos para se comunicar nas redes sociais

O presidente Michel Temer recorreu às redes sociais nos dias que antecedem a votação, no plenário da Câmara, da denúncia por corrupção passiva. Nos últimos dois dias, Temer já publicou três vídeos na internet para destacar pontos que ele avalia como positivos de seu governo.

Em um esforço para tentar reverter a baixa popularidade (Ibope e Paraná Pesquisas demonstram que abaixa popularidade aproxima-se dos 105%) e atrair mais votos na Câmara, Michel Temer disparou três vídeos na web em menos de 24 horas.

A comunicação do governo decidiu fatiar em vários vídeos a fala do presidente, que, em todas as gravações, usa a mesma roupa – um suéter azul claro sobre uma camisa azul e branca xadrez – em um mesmo cenário, que tem as bandeiras do Brasil e da República ao fundo.


O mais recente vídeo de Temer – publicado na manhã deste sábado no Twitter e no Facebook – é um pronunciamento, em tom de propaganda de governo, no qual o presidente enaltece a queda da inflação e dos juros e destaca o crescimento da produção industrial.

15 comentários:

Anônimo disse...

Isso é IRRELEVANTE, Políbio!!! Relevante é o seguinte:

- Eleição 2018, EM VOTOS VÁLIDOS, Segundo (e ÚLTIMO) Turno:

LULA: 54,5%
BOLSONARO: 45,5%

LULA: 54,4%
DÓRIA: 45,6%

LULA: 59%
ALCKMIN: 41%

LULA: 55,6%
MARINA: 44,4%

E ainda tem IDIOTA achando que Lula perde essa eleição!!

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Ser velho não é defeito, antes pelo contrário, mas ser velho e mentiroso é cruel. Será que o Viagra faz tal efeito nesses velhos que dele necessitam?

Fernando Bender disse...

factoides.
inflaçao cai pela recessao.
produçao industrial cresce irrisoriamente sobre base pequena.
jah vai tarde.

Anônimo disse...

Com 14 milhões de desempregados e o governo cria 2 milhões de empregos.
Puxa é o governo da superação mesmo.
Este governo vai precisar de 10 anos para produzir empregos para 14 milhões de desempregados.
Queria tanto viver no país que esses políticos mentirosos e marginais querem nos vender.
Se algum político FDP puder me dar uma passagem somente de ida terá meu voto para o restante da minha vida.

Anônimo disse...

http://epoca.globo.com/politica/noticia/2017/07/provas-da-jbs-trecho.html

Anônimo disse...

Gosto da cara de pau do editor propagandeando um golpista e ladrão....

Anônimo disse...




TEMER: O MAIOR CABO ELEITORAL DE LULA!!!!!

Quanto mais Temer se mexe, mais Lula se fortalece!!!!

Anônimo disse...

O POVO QUER MICHEL

Anônimo disse...

Bem ou mal o Temer a colocação do Temer na presidencia pelos movimentos populares foi necessário depois do tremendo estrago deixado pela maluca, incompetente e criminosa Dilma petralha, que já deveria estar presa.

BOLSONARO 2018! PARA ENDIREITAR O PAÍS!

Anônimo disse...

Sugiro trocar a identificação no blog do editor de "jornalista" para "ativista" político Políbio Braga. Há muito tempo não faz a menor cerimônia de se prestar ao papel ridículo de chapa branca do governo golpista, corrupto e sem votos do Michel Temer.

Anônimo disse...

O petralha Jorge Loeffler, no seu comentário tá demonstrando que tá com muita inveja do Temer estar pegando um pitelzinho como a mulher dele...eheheh...e acho que no seu caso nem viagra adiantaria se uma "Marcela" caísse nas suas mãos...eheheh...

Anônimo disse...

GASPARI: CONSULTORIA DE MEIRELLES É DEZ VEZES MAIOR QUE A DE PALOCCI:

Elio Gaspari destaca, em sua coluna desta domingo, o tamanho da consultoria do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; "Entre 2015 e 2016, a empresa de consultoria do ministro Henrique Meirelles faturou R$ 217 milhões, ou cerca de US$ 60 milhões. Em 2011, o mundo veio abaixo quando revelou-se que Antonio Palocci faturara R$ 20 milhões com sua empresa de consultoria, num só ano", escreve.

30 DE JULHO DE 2017

247 - O volume movimento pela consultoria de Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, é dez vezes maior do que a do ex-ministro Antonio Palocci, destaca Elio Gaspari em sua coluna neste domingo.

"Entre 2015 e 2016, a empresa de consultoria do ministro Henrique Meirelles faturou R$ 217 milhões, ou cerca de US$ 60 milhões.

Em 2011, o mundo veio abaixo quando revelou-se que Antonio Palocci faturara R$ 20 milhões com sua empresa de consultoria, num só ano.

(...)

Uma das mais famosas firmas de consultoria de grife do mundo, a do ex-secretário de Estado americano Henry Kissinger, não revela seus números. Em 1986, quando ele ainda estava no auge da forma e da fama, soube-se que ela faturou US$ 5 milhões.

A empresa de Kissinger tem a sua grife, mas nela estiveram craques como Timothy Geithner, o celebrado secretário do Tesouro de Obama durante a crise financeira mundial."

PS: Resumo da Opera: Ministros da Fazenda, porém um faz parte dos 4 Ps (preto, put...pobre e petista) um está preso (Palocci) o outro (meirelles) é do Mercado não tem o nome jogado na merda do ventilador da imprensa marrom glace, não é investigado pelos herois da PF e MPF, muito nenos responde processo.

Anônimo disse...

FOLHA RIFA TEMER E PEDE QUE ELE SEJA INVESTIGADO

Depois de arcar com o ônus de apoiar o golpe que solapou a democracia brasileira e um governo apoiado por apenas 5% dos brasileiros, a Folha de S. Paulo reviu sua posição e pediu neste domingo, num longo editorial, que Michel Temer seja investigado por corrupção, o que levaria ao seu afastamento do cargo; "Deixar de investigar indícios tão fortes de irregularidade seria votar a favor de uma política, um sistema e uma visão de país que não podem continuar a ser o que são. Mudá-los, dentro da democracia, do direito à defesa e do equilíbrio institucional, tem um custo de incertezas e eventuais injustiças. Mas não há como não enfrentá-lo, e já", diz o texto do jornal de Otávio Frias Filho.

30 DE JULHO DE 2017

247 – Depois de arcar com o ônus de apoiar o golpe que solapou a democracia brasileira e um governo apoiado por apenas 5% dos brasileiros, a Folha de S. Paulo reviu sua posição e pediu neste domingo, num longo editorial, que Michel Temer seja investigado por corrupção, o que levaria ao seu afastamento do cargo.

"Deixar de investigar indícios tão fortes de irregularidade seria votar a favor de uma política, um sistema e uma visão de país que não podem continuar a ser o que são. Mudá-los, dentro da democracia, do direito à defesa e do equilíbrio institucional, tem um custo de incertezas e eventuais injustiças. Mas não há como não enfrentá-lo, e já", diz o texto do jornal de Otávio Frias Filho.

Leia, abaixo, a íntegra: A decisão que urge

Experimentando índices elevadíssimos de impopularidade, o presidente Michel Temer (PMDB) se aproxima de mais um difícil teste político-institucional com a votação na Câmara dos Deputados, marcada para esta semana, da denúncia contra ele apresentada pela Procuradoria-Geral da República.

Os fatos que fundamentam a peça acusatória são, a esta altura, largamente conhecidos.

Numa conversa estranha agenda oficial, em 7 de março, o presidente da República indicou ao empresário Joesley Batista, da JBS, o nome de seu assessor de confiança Rodrigo Rocha Loures como interlocutor nos diversos assuntos e pendências que o grupo empresarial mantinha com o poder público.

Semanas depois, em 28 de abril, flagrou-se Rocha Loures com mala contendo R$ 500 mil, que lhe havia sido entregue por um executivo da JBS. Conforme a denúncia, o próprio Temer seria o destinatário da propina, a caracterizar o crime de corrupção passiva. (...)

Anônimo disse...

TEMER TORROU R$ 4,1 BI EM EMENDAS PARA SE SAFAR:

Para conseguir o apoio parlamentar necessário para barrar a denúncia de corrupção apresentada por Rodrigo Janot, Michel Temer torrou R$ 4,1 bilhões em emendas parlamentares apenas em junho e julho – o equivalente a 97% do total liberado o ano inteiro –, e direcionou o foco do Executivo para projetos destinados às prefeituras, como o programa de regularização fundiária; Temer montou ainda uma verdadeira maratona de reuniões: recebeu mais de 160 deputados e senadores; o peemedebista, no entanto, não deve ter muito tempo para comemorar; antes de deixar o cargo, Janot apresentará uma nova acusação de obstrução da Justiça e organização criminosa.

30 DE JULHO DE 2017

247 - Michel Temer tanto manobrou que deve conseguir escapar da primeira denúncia da Procuradoria-Geral da República feita contra ele.

O peemedebista recebeu mais de 160 deputados e senadores, acelerou emendas parlamentares, lançou “pacotes de bondades”, manteve como aliado Rodrigo Maia (DEM-RJ), seu eventual sucessor, e se beneficiou das “ruas vazias”.

Desde 17 de maio, quando veio à tona o conteúdo da delação premiada do empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS, Temer recebeu em seu gabinete no Palácio do Planalto 133 deputados federais e 30 senadores. Após a denúncia chegar à Câmara em 29 de junho, Temer iniciou uma verdadeira “blitze política” para receber deputados e convencê-los a votar contra a abertura de investigação no Supremo Tribunal Federal. Em um único dia, recebeu 30 parlamentares.

O peemedebista atendeu a interesses da base, como a liberação de R$ 4,1 bilhões em emendas parlamentares apenas em junho e julho – o equivalente a 97% do total liberado o ano inteiro –, e direcionou o foco do Executivo para projetos destinados às prefeituras, como o programa de regularização fundiária. A pouco mais de um ano das eleições de 2018, a oferta de recursos para obras em municípios tem como objetivo ajudar deputados e senadores a colher dividendos em suas bases eleitorais.

No entanto, uma nova denúncia contra Temer, com a acusação de obstrução da Justiça e organização criminosa, deve ser apresentada por Janot, que vai deixar o comando do Ministério Público Federal no dia 17 de setembro. Novas delações também podem voltar a conturbar o ambiente político.

As informações são de reportagem de Isadora Peron e Carla Araújo no Estado de S.Paulo.

PS: Farra do boi?

Anônimo disse...

O argumento de Temer:

30.07.17 - O antagonista

Nas conversas com 133 deputados e 30 senadores sobre a denúncia por corrupção passiva, Michel Temer, segundo o Estadão, "usou o argumento de que, se nem mesmo ele está seguro contra o avanço da Operação Lava Jato, imagine como ficaria o destino dos parlamentares que também são alvo de investigações".
É o argumento mais convincente em Brasília.

PS: O traira/PMDB/PSDB não brinca em serviço.