Artigo, José Nêumanne, Estadão - Um herói sem caráter nenhum

Líder sindical que vendia greves, informante da ditadura que combatia e político paparicado. Na foto, no "camburão"do Dops a caminho da "prisão".

Quando alguém pede um autógrafo num exemplar de meu livro O que Sei de Lula (Topbooks, Rio de Janeiro, 2011), minha definição favorita para o protagonista que perfilei em suas 522 páginas é “Macunaíma de palanques e palácios”. É necessária, contudo, uma pequena inversão na frase com que Mário de Andrade definiu magistralmente seu personagem-símbolo da brasilidade, “um herói sem nenhum caráter”. Lula talvez mereça uma definição com uma troca de lugar do pronome indefinido na frase: “um herói sem caráter nenhum”.

Conheci-o em 1975, quando acompanhei sua ascensão à condição de maior dirigente sindical da História ao preparar, negociar e dirigir as greves que ajudaram a extinguir a longa noite da ditadura tecnocrático militar. Quase meio século depois, contudo, o empreiteiro Norberto Odebrecht, herdeiro e herdado da construtora encalacrada na corrupção da Lava Jato, contou que lhe pagou propinas para evitar greves. Ou seja, o maior líder operário teria sido também o maior “traíra” da História do movimento obreiro, tendo chegado ao ponto de tirar proveito pessoal de sua condição de condutor de massas.

As greves espetaculares dos metalúrgicos do ABC, lideradas por ele de um palanque armado no centro do Estádio de Vila Euclides, em São Bernardo do Campo, contestaram a estrutura legal do peleguismo varguista, que perdurou na ditadura.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

20 comentários:

Anônimo disse...

O brasileiro sempre viu com bons olhos qualquer cafajeste que fosse bom de papo. Faz parte da nossa índole brincalhona. Lembram do rino Cacareco?

Anônimo disse...

Uma mistura de mente infantil, mente imbecil e mente de subtração, DELE e de seus SEGUIDORES, afinal, SOMENTE IGUAIS seguem a liderança.

Nelson disse...

"Nenhuma mentira vive para se tornar velha". Sófocles.

Anônimo disse...

NO PROGRAMA RODA VIVA ,TUMA JUNIOR FOI PERGUNTADO, ESSE TEU LIVRO DESMASCARA A TAL HONESTIDADE DO LILA...QUANTOS PROCESSOS TU JÁ TEM TUMA...ELE..NENHUM...PORQUE TUDO É VERDADE...

Anônimo disse...

Ditadura! Kkk o sujeito é preso senta atrás no camburão acende um cigarro tranquilo como se fosse delegado.Só essa foto desmonta o canalha!.

Anônimo disse...

DEFINIÇÃO DE LULA IRRESPONSÁVEL LADRÃO MENTIROSO CONTUMAZ E CACHACEIRO ALCÓOLATRA E CHEIRADOR DE PÓ IGUAL A AÉCIO NEVES. SÓ ENGANA BOCÓS.

Anônimo disse...

Lula morreu politicamente, esqueceram de enterrar. O trem fede viu.

Anônimo disse...

GOLPISTAS NÃO PRECISAM DE TANQUES, MAS DE JUÍZES, DIZ NOBEL DA PAZ:

"Já não precisam de exércitos, mas apenas de cumplicidade de câmaras parlamentares e do Poder Judicial", disse o argentino Adolfo Perez Esquivel, sobre a onda de golpes na América Latina, que começou em Honduras, passou pelo Paraguai e atingiu o Brasil; Esquivel classificou a condenação do ex-presidente Lula como parte desse processo golpista.

14 DE JULHO DE 2017 - Agência Sputinik

Em entrevista à Sputnik Mundo, o Nobel da Paz, argentino Adolfo Pérez Esquivel, disse que a condenação do ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, é um "golpe judicial e político", advertindo que o juiz responsável pela sentença, Sérgio Moro, "vem insistindo em Lula para tirá-lo da carreira presidencial".
"Conheço Lula muito antes de ele ser líder do PT, quando era dirigente sindical, sempre manteve uma ética impecável", destacou.

Em 12 de julho, a Justiça brasileira sentenciou o ex-presidente Lula da Silva a nove anos e meio de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A sentença foi anunciada pelo juiz Sérgio Moro.

Para o Nobel argentino, o Brasil é um exemplo da corrente que não quer ver governos progressistas no poder da região. Citou como exemplo o golpe contra Manuel Zelaya, em 2009 em Honduras, o golpe contra Fernando Lugo no Paraguai, quatro anos depois, e a destituição de Dilma Rousseff da presidência do Brasil em 2016.
"O próprio presidente, Michel Temer, de fato, teve que reconhecer que se tratou de uma ação de vingança contra Dilma, contra a qual não conseguiram comprovar nenhum ato de corrupção. Já não precisam de exércitos, mas apenas de cumplicidade de câmaras parlamentares e do Poder Judicial", disse à Sputnik Mundo.

Esquivel alertou a existência de uma "fratura" dos movimentos sociais e disse que "devem ser superadas estas divisões para igualar os objetivos". Explicou que em seu país, Argentina, a fratura social é "enorme" e isso faz com que haja "avassalamentos" em todos as classes sociais.

"As democracias já não respondem à vontade dos povos. É preciso buscar uma democracia participativa com controle dos cidadãos. Todos que almejam uma democracia participativa, não podem se distanciar da situação que o Brasil está experimentando", concluiu.

PS:No Regime Militar lula era normal prender líder sindical, para justificar a prisão de lula aplicavam que ele ia dedurar alguém, mas quem lula iria dedurar se ele era o maior líder sindical do Brasil, ou seja, todas os movimentos dos sindicatos eram articulados por ele. Hoje não, os neo nazistas usam do judiciário para trabalhar a "longa mano" de seus interesses. A pergunta que fica: Ainda existem juízes em Berlim?

Anônimo disse...

Lula o maior sem caráter do mundo. E tem muito letrado que finge acreditar no mito. Todos canalhas, canalhas, canalhas...

Anônimo disse...

Meeeeeeeee PTista detected vai chorar na cama

Anônimo disse...

Tens razão, é por isso que o Maduro se mantém na Venezuela, mesmo cometendo as maiores atrocidades contra seu povo.

Anônimo disse...

Heróis brasileiros dos esquerdopatas são cases para serem estudados, conseguiram ser condenados pelos Regimes Militares e pelos regimes Civis.

Anônimo disse...

Caminho da prisao nada
Ele era informante da ditadura entregava pros militares reunioes e possiveis greves d seus companheiros maldito q jogava dos 2 lados enganador tava funando numa boa
no carro dos militares cabra safado este demonio tem q apodrecer na cadeia agora p pagar seus roubos e maldades

Anônimo disse...

Reparem bem, não parece o Ganso?

FAÇANHA,O INTEGRALISTA disse...

Alô babacas! Desculpem, mas se o Lula não puder concorrer em 2018, coloca toda a estrutura do PT em campo e ELEGE A MARINA!!!

Anônimo disse...

BOMBA: CUNHA CONTA QUEM RECEBEU PARA VOTAR PELO GOLPE:

Trecho da delação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que revela os deputados federais que receberam dinheiro para votar a favor do impeachment de Dilma Rousseff já teria sido aceita pelo Ministério Público Federal; segundo o jornalista Ricardo Noblat, do Globo, Cunha, que está preso desde outubro do ano passado, "não se limitou a dar os nomes – a maioria deles do PMDB. Citou as fontes pagadoras e implicou o presidente Michel Temer. Reconheceu que ele mesmo em alguns casos atuou para que os pagamentos fossem feitos".

14 DE JULHO DE 2017

247 - Um trecho da delação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) tem assustado seus ex-colegas na Câmara dos Deputados.

É o que revela os deputados federais que receberam dinheiro para votar a favor do impeachment de Dilma Rousseff, em abril do ano passado, quando Cunha presidia a Câmara. A denúncia, que consta na proposta de delação, já teria sido aceita pelo Ministério Público Federal.

Segundo o jornalista Ricardo Noblat, do Globo, Cunha, que está preso desde outubro, "não se limitou a dar os nomes – a maioria deles do PMDB. Citou as fontes pagadoras e implicou o presidente Michel Temer. Reconheceu que ele mesmo em alguns casos atuou para que os pagamentos fossem feitos".

Noblat diz ainda que Cunha "contou o que viu e acompanhou de perto e o que ficou sabendo depois. Não poupou nem aqueles deputados considerados mais próximos dele", uma forma de retaliar os que o abandonaram numa hora difícil - ele teve seu mandato cassado por 450 votos.

O acordo de delação premiada de Cunha, que é feito simultaneamente ao do operador Lúcio Funaro, que também está preso, podem servir de base para uma nova denúncia contra Michel Temer, a ser apresentada pela Procuradoria Geral da República.

A denúncia de Cunha sobre o impeachment só comprova ainda mais que tudo não se passou de um golpe.

PS: Ou o Cunha Delata agora enquanto o PGR é Janot ou vai ser engulido pela República Tucana, digo, de Curitiba, da base "aliada" do traíra.

Anônimo disse...

PRESIDENTE DO BNDES DIZ NÃO TER ENCONTRADO IRREGULARIDADES DA GESTÃO PETISTA:

Questionado sobre o que encontrou no BNDES, ao assumir a presidência do banco há um mês e meio, o economista Paulo Rabello de Castro diz ter encontrado "muito talento" e desmistifica o que ele chama de "ranço" de "brasileiros que se dizem liberais" contra o que eles consideram ser "fomento demais, desenvolvimento demais"; ele rebate afirmações de Marco Antonio Villa, da Jovem Pan, de que o negócio do banco com a JBS tenha dado prejuízo; "Você é um historiador, não pode ficar falando as coisas como está falando aí pelo microfone sem fazer uma investigação", disse.

14 DE JULHO DE 2017

247 - Há 45 dias na presidência do BNDES, o economista Paulo Rabello de Castro divulgou nesta sexta-feira 14 o "Livro Verde", no qual traz balanços das atividades do banco entre 2001 e 2016.

Em uma entrevista concedida à rádio Jovem Pan nesta quinta, ele disse não ter encontrado irregularidades dos governos petistas à frente da instituição e desmistificou o que chamou de "ranço" de "brasileiros que se dizem liberais" contra o que eles consideram ser "fomento demais, desenvolvimento demais".

Questionado inicialmente sobre o que encontrou no BNDES, quando foi nomeado para o cargo pelo governo Temer, Rabello disse ter encontrado "muito talento" por parte dos 2,8 mil funcionários. Ele também declarou que não precisou "botar ordem em esculhambação nenhuma" quando assumiu o cargo. "Nada me surpreendeu", afirmou.

"O tamanho do BNDES está sendo objeto de muita controversa. As pessoas começam a achar que temos fomento demais, temos banco de desenvolvimento demais. Alguns brasileiros que se dizem liberais chegam a dizer que nós temos desenvolvimento demais, porque há uma atitude muito rançosa em relação ao nosso País e que vaza para um certo desânimo, um certo desalento, e quase que um certo desalento profissional", afirmou.

Em seguida, questionado por Marco Antonio Villa, crítico ferrenho de Lula e do PT, sobre financiamentos relacionados a operações realizadas nos governos petistas, como a do Porto de Mariel, em Cuba, e à JBS, dos irmãos Batista, que segundo Villa, deixaram grandes prejuízos ao banco, ele rebateu:

"Você vai me prometer uma coisa: vai ler as 200 páginas [do Livro Verde]. Você é um historiador, não pode ficar falando as coisas como está falando aí pelo microfone sem fazer uma investigação". Em seguida, o economista ressaltou que o comportamento do BNDES é "absolutamente ético e exemplar".

De acordo com o novo dirigente do banco, a JBS é "um dos negócios mais bem bolados e bem sucedidos da BNDESPar", braço de participações da empresa. Rabello de Castro rebateu as informações de Villa e destacou que o resultado líquido das operações do BNDES com a JBS até dezembro tinha sido positivo em R$ 3,56 bilhões - o banco colocou R$ 8,1 bilhões na empresa.

PS: Cala boca do fascista de plantão e dos neo nazistas do blog.

Ultra 8 disse...

O JUDEU FANTOCHE DOS SIONISTAS GLOBALISTAS.

Anônimo disse...

Nunca vi preso na porta de viatura. Dedo duro de luxo.

Anônimo disse...

Herói? Da bandidagem?