Empresa acusa Venezuela de manipular votação da Constituinte

A empresa responsável pelo processo de votação da Assembleia Constituinte na Venezuela afirmou nesta quarta-feira que o número sobre o comparecimento de eleitores às urnas foi manipulado pelo governo. 

Segundo o CEO da Smartmatic, Antonio Mugica, os resultados registrados pelos sistemas da companhia e os relatados pelo CNE (Conselho Eleitoral Nacional) da Venezuela indicam "sem qualquer dúvida" que os números de participação oficial na eleição foram inflados. "Nós estimamos que a diferença entre a participação de fato e a anunciada por autoridades seja de ao menos 1 milhão de votos", disse Mugica em Londres.

Segundo o governo venezuelano, mais de 8 milhões de pessoas (41,53% do total de eleitores do país) votaram a Constituinte. O número é contestado por opositores, que dizem que o processo é concebido para dar ao presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, poderes para suprimir o Congresso dominado pela oposição.