Saiba quem são os juízes "linha dura" que esperam por Lula em Porto Alegre

Nesta reportagem da Folha "Juízes "linha dura" são revisores de Moro), dá para imaginar o que acontecerá com Lula quando ele recorrer da condenação que será imposta em Curitiba. A Folha apresenta os três desembargadores federais da Oitrava Turma, a Turma da Lava Jato.

Quase metade das penas dadas por Moro foram elevadas na segunda instância, algumas delas em mais de dez anos. Na quarta-feira (21), o processo contra o ex-sócio da Engevix, Gerson de Mello Almada, chegou à sala de julgamentos da turma com uma condenação a 19 anos de reclusão. Saiu com uma pena de 34 anos e vinte dias.

Antes mesmo de o STF (Supremo Tribunal Federal) definir que réus podem ser presos em segunda instância, a oitava turma já determinava a execução das penas de pessoas que condenavam.

CLIQUE AQUI para ser apresentado aos três desembargadores da Oitava turma.

11 comentários:

Anônimo disse...

Que venha o recusrso de Lullarapio!

JORGE LOEFFLER .'. disse...


Essa história de Juiz duro ou mole é tertúlia flácida para dormitar 'bovis', pois todos os magistrados são honestos. O problema é que para condenar necessárias provas convincentes, pois somente um demente ou filho da puta condenaria com fundamento em 'indícios' ou papo de delator que o povo conhece como 'dedo duro'.

Anônimo disse...

´ POIS É pois é SIM o juiz moro condena e eles geralmente aumentam a pebna sim aumentam a pena se o molusco acgha ACHA o juiz moro duro imagina quando ele recorrer a porto alegre ai sim apena dele vau vai é aumentar hahahhahaha, cadeia nele e toamramaamam = tomara que pegue pena maz= maz= maxima em REGIME FECHADO JA Q É PERIGOSO E COMO TAMBEM VIVE ATACANDO E AMEAÇOANDO A ENTAO O BRASIL QUER PENA MAXIMA E REGIME FECHADO NELE JUSTILA JUSTIÇA= JUR´= justiça nele pena maxima em regouisn= em regime fechado

Anônimo disse...

- NOSSO MAIOR PROBLEMA SÃO OS PRAZOS! CORREMOS SÉRIOS RISCOS DO CRÁPULA-MOR DO PT (SÃO TANTOS NAQUELA QUADRILHA) CONTINUAR ELEGÍVEL NAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES!!

Anônimo disse...

Nenhuma nota sobre o avião cheinho de drogas que decolou de uma das fazendas do ministro da agricultura? Cada vez mais confirmado que temer é o chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil!

Anônimo disse...

O tal Joesley da JBS não disse nenhuma novidade, ao afirmar que Temer e Aécio SÃO OS CHEFES, nº1 e nº 2, respectivamente, DE TODOS OS ROUBOS OCORRIDOS DURANTE OS GOVERNOS HONESTOS DE LULA E DILMA!!! Joesley tratava de propinas somente com Aécio e Temer, tudo gravado!!! Mas o Judiciário, ACOVARDADO, como bem disse o Presidente Lula, nada faz!! Vergonha!!!

FAÇANHA,O INTEGRALISTA disse...

Prender Lula pode significar o DESENCADEAMENTO DA GUERRA SUBVERSIVA, a de GUERRILHA URBANA. Esses LACERDINHAS podem estar desencadeando um GRANDE INCÊNDIO!

Anônimo disse...

esperem e o deem cana dura cana maxima p este bandido do pais que nos levou ao caos é pena dura o mazximo do maximo e em regime fechado é canadura e regime fwchado

Anônimo disse...

Os benefícios recebidos pelos delatores de Palocci e de Lula:

26/06/2017

Jornal GGN - O juiz da Lava Jato do Paraná, Sérgio Moro, mostrou as recompensar de se delatar contra o ex-ministro petista Antonio Palocci, no mesmo despacho que o condenou a mais de 12 anos de prisão.

Enquanto a possível delação do ex-ministro foi analisada pelo magistrado de Curitiba como "ameaça", podendo desbancar a ponte criada pela força-tarefa da Operação para se chegar à mira final, no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aqueles que tornaram possível o encarceramento de Palocci e a tese que atinge Lula obtiveram benefícios.

Desde outubro de 2016, quando o ex-ministro da Fazenda do governo Lula e ex-ministro da Casa Civil no governo Dilma foi preso, o GGN revela a estratégia dos investigadores, que agora se concretiza.

Entenda:
Vazamentos concluem que Palocci foi usado para prender Lula
Lava Jato precisará condenar Palocci para condenar Lula
Lava Jato sustentará Palocci como ponte para condenar Lula
Com ajuda de Delcídio, denúncia de Palocci tenta sanar contradições da Lava Jato

Somente o ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, obteve uma redução de mais de 55 anos de prisão fechada. Isso porque o ex-diretor responde a 13 processos na Justiça Federal do Paraná, que significariam 61 anos e 7 meses totais de encarceramento.

Mas no despacho que condenou Palocci, Moro determinou que Duque sairá da prisão após cumprir somente 5 anos de regime fechado, com a condição de seu acordo de delação premiada, ainda em negociação com o Ministério Público Federal (MPF), for celebrado.

A premiação ocorreu porque, apesar de grande responsabilidade nos esquemas investigados, o ex-diretor "prestou algumas informações relevantes sobre o esquema criminoso por parte de terceiros". "Foi muito bom para ele, mas queremos mais e seguimos lutando", comemorou o advogado do ex-diretor da Petrobras, Antônio Basto.

Também foram compensados o presidente da Odebrecht, Marcelo. Pela delação com os procuradores da Lava Jato, conseguiu diminuiu 12 anos por apenas mais 6 meses de regime fechado, com dois anos e seis meses em regime domiciliar.

Os marqueteiros João Santana e Mônica Moura, que sentiram a pressão da Lava Jato nas testemunhas das campanhas petistas, sobretudo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, resultou de 5 anos para mais 6 meses em regime fechado e quatro anos de prisão domiciliar. Também está prevista a progressão da pena, que é a redução desse tempo.

Moro afirmou, no despacho de condenação de Palocci e dos outros réus, que "não se discute" a "efetividade" da colaboração do casal de publicitários das campanhas do PT.

O benefício se estendeu a todos os delatores que, de alguma forma, auxiliaram na condenação de Palocci e na criação da ponte para se incriminar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O ex-funcionário da estatal Eduardo Musa recebeu apenas 6 meses de prisão fechada e um a dois anos em regime aberto: antes havia sido condenado a 4 anos e 6 meses. O ex-presidente da Sete Brasil, José Carlos Ferraz, obteve a redução de 6 meses de sua pena, ainda perdoada com o pagamento de US$ 1,9 milhão em indenização.

Três executivos da Odebrecht do setor de Operações Estruturadas, Hilberto Mascarenhas, Fernando Migliaccio e Luiz Eduardo da Rocha Soares cumprirão a maior parte de suas prisões em casa, com a possibilidade ainda de progressão da pena. O acordo também reembolsou à União R$ 7,8 milhões por Mascarenhas e R$ 9,1 milhões por Soares.

Também do setor de Operações Estruturadas, Marcelo Rodrigues teve seus cinco anos de prisão perdoados para 4 anos e seis meses, sendo o primeiro em regime semiaberto, e o restante em regime aberto diferenciado e serviços comunitários.

O executivo da Odebrecht, Olívio Rodrigues Júnior, terá que ficar 9 meses em regime fechado, e mais um ano e três meses em domiciliar e outros cinco anos em semiaberto. Prestou delação e pagará R$ 7,3 milhões de multa.

Marlene Gazzana disse...

Será que teremos sorte de conseguirmos magistrados puros e não infectados pelo dinheiro e corrupção? Torcendo pelo Brasil

Anônimo disse...

30 anos de ponta a ponta no fechado tá de bom tamanho.