Procuradores escolhem hoje a lista tríplice para a sucessão de Janot. Temer não pretende obedecer o resultado.

Temer não é obrigado a escolher nenhum dos nomes e dá sinais de que não seguirá a ordem da lista.

Pelo menos 1,2 mil procuradores do Ministério Público Federal vão escolher em eleição nesta terça-feira  os nomes que farão parte da lista tríplice para o cargo de procurador-geral da República. O mandato do atual procurador-geral, Rodrigo Janot, termina no dia 17 de setembro.

A lista será enviada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (Anpr) para o presidente Michel Temer, a quem cabe a palavra final. 


Oito candidatos estão na disputa este ano: os subprocuradores-gerais da República Frederico Santos, Eitel Santiago, Ela Wiecko, Franklin da Costa, Mario Bonsaglia, Nicolao Dino, Raquel Dodge e Sandra Cureau.

5 comentários:

Anônimo disse...

O que for mais anti-PT deve ser o escolhido. Essa gente deve ser afastada de qualquer cargo de importancia. Sao como baratas, ratos, que infestam todo e qualquer ambiente. Verdadeiros espiritos tranca rua da democracia e do progresso.

Emmanuel Carlos disse...

E nem deve obedecer, mesmo!! Afinal, quem aponta Janot, é claro que só pode ser amiguinho de Lula e do PT.

Anônimo disse...

Os membros do MPF acham que são os únicos que podem eleger nomes para a Procuradoria Geral. E o restante dos procuradores (do Trabalho, Militar e do Distrito Federal e Territórios) não tem direito de indicar?

Anônimo disse...

Que belo critério de escolha: mais de 1.000 procuradores escolhem 03 nomes para a lista tríplice e o presidente pode escolher qualquer um dos candidatos. Os procuradores fazem papel de palhaços!

Anônimo disse...

Espero que vença o opositor de Janot.