Mais de uma centena de promotores gaúchos lideram manifesto contra "garantismo e bandidolatria"

Usando as redes sociais, um grupo de 145 promotores de Justiça — 100 deles do Rio Grande do Sul —, nove advogados e um juiz lançou esta semana um manifesto que exige maior rigor nas penas impostas a criminosos e criticam o que chamam de "garantismo e bandidolatria" no sistema jurídico e nos cursos de Direito.

Ao jornal Zero Hora de hoje, o promotor com atuação na Vara do Júri, em Porto Alegre, Eugênio Paes Amorim, um dos que assinaram o manifesto, explicou:

— Foi uma iniciativa que partiu de nossos grupos de discussão no WhatsApp a partir do caos que se está construindo no sistema jurídico brasileiro. Quando se fala em garantias de direitos, é uma enganação. Estão é em busca de não punir quem comete crimes. 

Ele é um dos idealizadores do manifesto intitulado: "Você tem sido enganado!".

Para o promotor da Justiça Militar gaúcha, Luiz Eduardo de Oliveira Azevedo, é uma questão ideológica imposta pela esquerda, que precisa ser modificada.

CLIQUE AQUI para ler o manifesto.