Artigo, Darcy F.C.dos Santos - O Estado numa encruzilhada

Há duas décadas venho afirmando que o Estado, exceto num período governamental, vinha gerando altos déficits e, com isso, aumentando sua dívida, e que a despesa previdenciária era alta e crescente.

(...)

Apesar de todos os ajustes, o atual governo encontra-se numa encruzilhada. Se não assinar o novo acordo da dívida com a União, o Estado formará déficits anuais de R$ 5 bilhões entre 2018 e 2022, o que levará ao atraso de mais de dois meses nos salários. Em suma, o Estado quebrará de vez.

O grande problema é que a União faz algumas exigências para a assinatura desse acordo. Em troca, oferece, além do desconto nas prestações da dívida, integral por três anos, e crescente por mais três, a possibilidade de obtenção de algum empréstimo para cobrir o déficit anual remanescente, que será ainda superior a R$ 1,5 bilhão.


E entre as exigências está a privatização de estatais na área de energia, para o que necessita de plebiscito, que a oposição na Assembleia já inviabilizou para este ano.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Se iniciarem a venda de gauchas bonitas ponham meu nome na lista.

Anônimo disse...

Não é só o estado do RS!

O Estado brasileiro, a níveis federal, estadual e municipal, se tornou uma máquina pesada e ineficiente, onde os interesses corporativos se sobrepujam às finalidades do estado e às necessidades e direitos dos cidadãos!

Anônimo disse...

06/2017
Darcy Francisco Carvalho dos Santos.
Situação: inativo.
Data de ingresso 1991.
Auditor de finanças públicas.
Remuneração Bruta: R$ 37.371,82
Total líquido: R$ 28.284,15

Quase 7 mil só de Função gratificada incorporada. Chega a ser imoral. Ganhar bônus na aposentadoria por ter sido chefe na ativa. Esse e outros mamadores que quebraram o estado.e acha que te. A solução. Muita cara de pau.

Anônimo disse...

"exceto num período governamental" significa Yeda Cruzius??? Parabéns, para ela!

Unknown disse...

Gerdau, Biedermann e tantos outros já apontavam este câncer das finanças públicas...
Nossos políticos e governantes pródigos e perdulários não deram a mínima e continuaram a farra, excetuando Yeda Crusius, então deu no que deu!!!