Deflação do IGP-10 em junho sugere que a inflação ao consumidor seguirá em nível baixo

Os dados mais recentes de inflação – tanto ao produtor como ao consumidor – continuam surpreendendo, com variações abaixo das esperadas, reforçando a expectativa de que o IPCA encerrará este ano com alta de 3,4%. 

O IGP-10 recuou 0,62% em junho, de acordo com os dados divulgados há pouco pela FGV, em linha com a projeção da mediana das expectativas dos analistas do mercado, que indicava uma queda de 0,47%. A deflação registrada em junho foi menos acentuada do que a observada em maio, quando o índice tinha recuado 1,10%. Para tanto, os preços dos produtos agropecuários passaram de uma queda de 3,07% em maio para outra de 1,15% em junho. O IPA industrial recuou 1,18% neste mês (ante variação negativa de 1,27% na leitura anterior), refletindo principalmente a queda de 13,5% do preço do minério de ferro. O IPC, por sua vez, registrou alta de 0,21% no período, repetindo a mesma variação do mês passado. Por fim, o INCC subiu 0,92% em junho ante uma queda de 0,02% em maio. Com esse resultado, a variação acumulada em doze meses do IGP-10 passou de 2,14% para 0,08%. Esse comportamento favorável dos preços no atacado, em especial dos produtos agropecuários, sustenta a manutenção da tendência desinflacionária ao consumidor esperada para os próximos meses.

3 comentários:

Unknown disse...

Estagflação!!!

Anônimo disse...

Quando sai a extinção da FDRH? e onde vai ser o presídio que iam trocar pelo terreno dessa nulidade?

Anônimo disse...

Meireles Friboi vai matar metade da população para segurar a inflação.