Oposição venceu as eleições para o novo comando do Cremers

A atual direção do Cremers, de uma ou de outra forma, através de sucessões dentro do mesmo grupo, comanda o Conselho há 30 anos.

A disputa foi acirrada, mas a chapa 2, a chapa de oposição, venceu esta noite as eleições para o novo comando do Cremers, que reúne 30 mil médicos do RS.

17.209 votaram, mas votos válidos foram 15.469.

Chapa 1, situação - 7.405
Chapa 2, oposição - 8.064

522 votos foram considerados brancos e nulos.

Foi uma disputa apertada, mas a oposição esteve na frente desde o início.

5 comentários:

Anônimo disse...

Pois bem, os médicos gaúchos estão mal destribuidos, a relação médico por 1000 habitantes em Porto Alegre 8%, e no resto do estado 2,5%, Ta na hora de equalizar essa diferença com políticas de incentivo para quem se dispoe clinicar no interior, afinal, quem reside mais longe da capital não pode ficar vulnerável à essa discrepância.

Anônimo disse...



Tomara que a oposição seja menos politiqueira!

É muito simples jogar tijolo na vidraça pagando a mídia. O novo grupo precisa trazer soluções de verdae , que enfrentem o Mundo como ele é.

Anônimo disse...

Penso que a renovação sempre é o melhor caminho, pois entram pessoas com novos pensamentos, outras soluções. Mas é necessário que haja responsabilidade desse novo grupo vencedor.

Anônimo disse...

Essa distribuição dos médicos deveria ser igual ao dos Juízes. Quem quer ir trabalhar no interior sem nenhum incentivo?

Anônimo disse...

Sou médico e fui, por pura convicção, despreendimento e idealismo trabalhar e morar em uma cidadezinha do interior do RS (3.014 habitantes na época). Trabalhei como "um condenado", ficando a mercê de toda a ordem de politicagem e sujeito aos amores e humores do secretário da saúde que invariavelmente não era da área, mas indicado político como em todo o lugar.... Após 4 anos de intenso trabalho, ao mudar a administração municipal "sai com uma mão na frente e outra atrás". Como dizia meu velho pai na época: "Você semeou no meio das pedras!". Voltei para minha cidade (que é a segunda maior do RS). Tive que começar do zero!!! Após 10 anos é que a "coisa começou a se ajeitar!". Paguei um alto preço pelo idealismo! Nessa conversinha de ir trabalhar no interior não caio mais e recomendo que pensem muito bem antes de se "aventurarem" numa "roubada" dessas... Senti na pele... Quem falar o contrário apenas tem teoria na cabeça e nada de prática... Fui!