Renato Duque, diretor da Petrobrás indicado pelo PT, delata Lula: "Ele era o pai da corrupçãp"

O ex-diretor da Petrobras Renato Duque, PT, passou por novo interrogatório conduzido pelo juiz Sergio Moro nesta quarta-feira. A sessão foi um pedido de sua defesa, sob a alegação que Duque deseja fazer delação premiada.

Esta é a primeira vez que um alto dirigente do PT resolve delatar.

Duque afirmou que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto começou a operar propinas para o Partido antes mesmo de assumir o cargo, em 2010. E que comandava o esquema a mando do então presidente Lula. 

Noutro momento da delação, Renato Duque admitiu que o PT recebeu parte da propina das obras do Cenpes, o centro de pesquisas da Petrobras, no Rio. Segundo o ex-diretor da estatal, o dinheiro foi repassado a Paulo Ferreira, ex-tesoureiro que pediu hoje para ser reinterrogado por Moro no mesmo processo.

20 comentários:

Anônimo disse...

Além de delatar, apresentou "audio" e "video" pelos menos, para "empatar" com o traíra e o aécio "bandido" neves?

Anônimo disse...

Eis novamente o mais honesto no centro de tudo. Bem que o MPB explicou no poder point quem era o chefe.

Anônimo disse...

FUNARO PROVA QUE GEDDEL TENTOU PRESSIONÁ-LO SOBRE DELAÇÃO:

Operador Lúcio Funaro entregou à polícia que registro de ligações feitas pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima à sua mulher, Raquel, por meio do aplicativo WhatsApp; falando em nome de Temer, Geddel queria saber o andamento da delação premiada que Funaro negociava com os procuradores da Lava Jato
21 DE JUNHO DE 2017

247 – O operador Lúcio Funaro, que está preso, entregou à polícia provas de que o ex-ministro Geddel Vieira Lima telefonou à sua mulher, Raquel, para saber o andamento de sua delação premiada no âmbito da Lava Jato.

Funaro já havia dito em depoimento à PF que Geddel procurou sua mulher, em nome de Michel Temer, para "sondar" a possibilidade de sua delação. O operador entregou à polícia registros de ligações feitas por meio do aplicativo WhatsApp.

Prints do celular da esposa de Funaro mostram registros de 12 ligações de "Carainho" – apelido dado a Geddel na agenda de Raquel – em oito dias diferentes após a divulgação da delação da JBS. Segundo a Folha apurou, o número corresponde com o celular de Geddel....

PS: O cerco vai se fechando contra o traira e o editor de bico calado, tipo noticia que compromete o nosso bandido de estimação poe debaixo do tapete.

Anônimo disse...

DEPOIS DE GEDDEL, FUNARO ACUSA ADVOGADO DE TEMER DE SONDAR SOBRE DELAÇÃO

Em depoimento à Polícia Federal, o operador Lúcio Funaro afirmou que Antônio Mariz, principal advogado de Michel Temer, foi o primeiro a fazer sondagem sobre o possível interesse dele em fazer acordo de delação premiada; antes, Funaro, que está preso, já havia apontado que o ex-ministro Geddel Vieira Lima fez contato com sua mulher, em nome de Temer, com o mesmo intuito.

21 DE JUNHO DE 2017

247 - Em depoimento à Polícia Federal, o operador Lúcio Funaro afirmou que Antônio Mariz, principal advogado de Michel Temer, foi o primeiro a fazer sondagem sobre o possível interesse dele em fazer acordo de delação premiada.

Segundo reportagem do Globo, Funaro também acusou, durante o interrogatório feito no dia 2 de junho, o escritório do advogado Daniel Gerber, responsável pela defesa de Funaro logo depois de ter sido preso e transferido para Brasília.

"Também chamou a atenção do declarante o monitoramento feito do seu estado de ânimo dos escritórios de advocacia que o assessoraram. Primeiro o escritório o escritório do Mariz. Depois o escritório de Daniel Gerber, que é ligado ao escritório Ferrão (Eduardo), este próximo ao ministro Eliseu Padilha (Casa Civil)", disse....

PS: Kkkkkkk, essa turma marca sobre pressão.

Anônimo disse...

Sem provas cabais contra Lula, Léo Pinheiro pede regime aberto a Moro:

21/06/2017 - Cíntia Alves

Jornal GGN - Ex-OAS, Léo Pinheiro quer que o juiz Sergio Moro desconsidere, em parte, a lei que rege a delação premiada, e imponha a ele, um delator informal, a penalização mínima, com direito a regime aberto, no julgamento do caso triplex.

Nas alegações finais protocoladas em Curitiba na terça (20), a defesa de Pinheiro sustenta que "a inexistência de acordo prévio celebrado entre acusado e o Ministério Público não impede o Poder Judiciário de considerar que houve postura colaborativa e aplicar os regramentos jurídicos que entender cabíveis."

Sem acordo de colaboração formalizada, Pinheiro depôs diante de Moro como corréu do caso triplex e, ao invés de fazer sua auto-defesa, decidiu admitir culpa e atribuir a Lula não só a posse velada do triplex, mas também o crime de obstrução de Justiça.

"Ainda que ausente formalização de acordo com o Ministério Público Federal, diante do relato e provas apresentadas, requer-se o reconhecimento da colaboração e a aplicação dos dispositivos penais pertinentes aos benefícios legais previstos em favor de Léo Pinheiro", diz a defesa.

Porém, em outros julgamentos, Moro já sinalizou que "não serve à persecução realizar acordo com todos os envolvidos no crime, o que seria sinônimo de impunidade. Salvo casos extremos, não cabe ao Judiciário reconhecer benefício decorrente de colaboração se não for ela precedida de acordo com o MPF na forma da Lei nº 12.850/2013”.

Na reta final do caso triplex, há uma discrepância entre o pedido de Pinheiro e o do MPF. A força-tarefa sugeriu que o empresário seja condenado a cumprir metade da pena imposta a quem é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção. Porém, Pinheiro quer o benefício máximo, ou seja, cumprir apenas 1/3 da pena diretamente em regime aberto.

Para conseguir o objetivo, Pinheiro tentou anexar provas que dessem corpo ao depoimento prestado a Moro. Mas as alegações finais mostram que elas se resumem a reportagem de jornal apontando que o triplex é do Lula; a agenda de compromissos onde constam datas de encontros com Lula, João Vaccari Neto e Paulo Okamotto; mensagens pessoais que confirmariam uma visita à casa de Lula e e-mails de executivos da OAS falando sobre dar uma "atenção especial" ao apartamento 164-A.

Léo Pinheiro reafirma que Lula sempre foi o dono do triplex, e que a unidade nunca foi colocada a venda por isso. Mas a fala é contrariada por depoimento de Mariuza Aparecida Marques, engenheira responsável por acompanhar de perto a reforma do apartamento no Guarujá. À força-tarefa, Mariuza disse que o imóvel, em nome da OAS, foi melhorado pensando em Lula mas estava disponível a qualquer cliente. Leia mais aqui.

Outro trecho importante da delação de Pinheiro diz respeito ao encontro de contas com Vaccari que teria dado origem aos recursos da reforma do triplex. O empresário diz que combinou com o ex-tesoureiro do PT que abateria os custos das obras numa conta virtual de propina ao partido. Mas não apresentou, nas alegações finais, qualquer evidência dessa conta.

Anônimo disse...

Mas, PROVA que é bom, NECA!!! Depois de TROCENTAS delações, Lula ri da cara de todos vocês, TROUXAS!!!!

Anônimo disse...

Em qualquer sistema judicial do Mundo esse processo mal passaria pela fase de inquérito, tal as fragilidades factuais do mesmo. Só passou porque o acusado é Lula.

Para complementar, a farsa de uma delação tão arranjada, tão fajuta, tão mal encenada, que já entrou no rol das "evidências anedóticas".

O ineditismo ou jabuticaba jurídica é ser uma processo penal que apresenta como "prova" a ausência de provas. Do tipo: "Se não tem provas, é porque o acusado as escondeu ou eliminou. Então, por óbvio é culpado".

Só por um momento imaginemos que o Juízo aceite tal aberração e condene o réu. Ora, seria criada uma jurisprudência que fatalmente seria mimetizada para os milhares de processos que se estendem Brasil afora. Um verdadeiro maná para uma polícia que investiga mal, um Ministério Público que acusa açodadamente e um judiciário preguiçoso e acomodado.

Mas o pior não é isso, antes disso o mesmo juiz que vai julgar lula "absolveu por falta de provas" Claudia Cruz, mulher do ex-dep Fed pelo PMDB, ex-presidente da Camara dos Deputados e "presidiário", tendo nos autos do Processo o numero da conta da suiça, enviada pelo governo suiço com extratos da movimentação da conta, cujo valor é de cerca de 2 milhões, com o detalhe que a familia Cunha e mulher não tinham renda para ter essa quantia, além do que não era do conhecimento da Receita Federal.

Anônimo disse...

Eu acho que esse tal do renato duque tá enganado. O ex-presidente lula é o brasileiro mais honesto do país. Assim ele afirmou e eu acredito piamente nas palavras dele. É só a gente olhar prá cara do lula, e observa-se aquele olhar de honestidade que ele transmite.

Anônimo disse...

Quase toda a totalidade dos brasileiros sabem disso, as raras exceções que não admitem tais fatos, são àqueles que participavam do esquema ou os partidários esquerdopatas sem noção.

Anônimo disse...

Bobagem!!! Só falou mal de Lula, SEM APRESENTAR PROVA DE ILÍCITO, como, aliás, fizeram todos os delatores espertos até agora!! Lula está LIMPO e pronto para assumir o Poder!!!

Anônimo disse...

Kkkkkk

Anônimo disse...

Vdd

Anônimo disse...

Fico pensando o que leva um cara a dizer que o vice-presidente é o chefe mais perigoso da quadrilha que se instalou no Brasil. Será que ele acredita que o vice é que ganhou o campeonato? Será ele vascaíno doente? Acho que nem o idiota, mais idiota do mundo, acreditaria nisso.

Anônimo disse...

Uma coisa é tão cristalina, que dá até para beber: Para o PT quanto pior melhor, iguala os desiguais. Para Lula é a chance de provar para o grande povão, que tudo será diferente e melhor ainda. O messianismo de sempre. Agora sinceramente, existem dois tipos de bandidos: os que roubam para si e os seus, e outros mais refinados, que roubam para o partido fazer a alegria dos seus afilhados de estimação. Todos os dois são sistêmicos e endêmicos. Com uma grande diferença: um é capitalista. Agora me digam qual é o único partido capitalista do Brasil? Aquele que realmente deu certo? Aquele organizado como empresa e toda hora diz que nada será igual como antes? Aquele que pede uma segunda chance, para provar que estavam errados?

NEWTON disse...

Um pai, lê seu jornal na sala quando desaba um toró daqueles, muita água desaba do céu. Passados 15 minutos o tempo acalma-se novamente, e o filho de 8 anos entra na sala, vindo do pátio, completamente encharcado, com barro e grama nos tênis. O pai passa uma carraspana no filho, uma vez que já havia pedido que o menino não fosse ao pátio quando estivesse chovendo. O guri após ser todo ouvidos ao que o pai falou, pergunta: pai tu me viste lá fora brincado na chuva? O pai responde que não, pois estava lendo o jornal. O filho então diz: como podes me acusar e me condenar se não me viste lá?
Qualquer relação com a defesa de Lula em relação ao tríplex, não é mera coincidência.

Anônimo disse...

Até Renato Duque delatando o CHEFE. Os petralhas julgam que testemunhas e testemunhos não constituem prova.
São muitos delatando o CHEFE e os registros coincidem : Delcidio, Duque, os Odebrecht, Leo Pinheiro , zeladores, Gerentes e Diretores da Petrobras... Melhor o CHEFE deixar a mala pronta , junto à porta .!!!

Brito disse...

Tá chegando a hora do barba cachaceiro e gatinho da pátria

Anônimo disse...

Ninguém te lê para de ocupar espaço.

Anônimo disse...

Para ninguém te lê

Anônimo disse...

Elle vai pedir emprestado a mochila do peão Wacari.
Kkkkkk