Editorial, Jornal do Comércio - A agonia financeira que assola o governo do Estado

Após dois anos e meio no Palácio Piratini, o governador José Ivo Sartori (PMDB) não vislumbra cenário melhor para o Estado no curto prazo. O próprio governador diz que está trabalhando para o futuro do Rio Grande do Sul, ou seja, não colherá os frutos neste ano e meio final de mandato. 

Entretanto, vários projetos que enviou à Assembleia Legislativa visando, pelo menos, dar algum equilíbrio entre receitas e despesas, não foram apreciados até agora. Novas idades de aposentadoria para oficiais e praças da Brigada Militar, o avanço desta semana. 

Até agora, mesmo com algumas boas iniciativas na recuperação de escolas degradadas e em rodovias que necessitavam de conservação, os principais problemas continuam impedindo que a economia gaúcha deslanche. Claro, é também reflexo da paralisia socioeconômica que varre todo o Brasil, e não é de hoje. 

Tudo que acontece está a provar que os abusos financeiros do passado não serão sanados nem remediados, pelo menos, sem muitas dores. O funcionalismo, com razão, desespera-se pelo parcelamento dos vencimentos, há muitos meses. - Jornal do Comércio.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

5 comentários:

Anônimo disse...

Sartori tá nessa pindaíba porque quer
os servidores dos órgãos arrecadadores já propuseram várias propostas para aumentar a arrrecadação, e o que o (des)governo fez? Engavetou tudo!

Não é pro Estado ter dinheiro mesmo, afinal se tiver dinheiro não aprova os PLs!

É tudo jogada ensaiada...parcela salário e diz que não tem dinheiro pra poder aprovar os PLs



obs: praquele reclamão de plantão que diz que a crise é só na iniciativa privada, quem sabe pára de reclamar, faz concurso público se é tudo tão bom assim. Pode começar cobrando do (des)governo tirar da gaveta os projetos que vao arrecadar milhoes e milhoes de reais pro cofre do Estado

hsilveira disse...

Sem falar que os funcionários não sabem o que seja a reposição dos índices inflacionários dos últimos anos. Que fase!

Anônimo disse...

Fala um só !!

Unzinho

Anônimo disse...

Isso chama-se incompetência de gestão pública. Simples

Anônimo disse...

Outro dia li sobre a aposentadoria de um coronel da BM.
A contagem da aposentadoria conta desde que entrou para a escola Tiradentes.
Se isso continua em vigor pergunto: qual a justificativa para um ESTUDANTE já contar prazo para aposentadoria?