Saiba em detalhes como a Odebrecht comprou o apoio do PDT para Dilma Roussef

O ex-presidente da Odebrecht Ambiental Fernando Luiz Ayres da Cunha Santos Reis afirmou em seu depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que cuidou do repasse de R$ 4 milhões ao PDT, na campanha de 2014, a pedido de Marcelo Odebrecht e do ex-ministro Guido Mantega. O objetivo era comprar o apoio do partido à Chapa Com a Força do Povo, encabeçada pela ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em especial, ao tempo de TV da legenda. Foram quatro pagamentos para Marcelo Panella,  tudo feitop numa confeitaria do Rio.

A reportagem ´pe da Folha, hoje. Leia tudo:

“A missão que me foi dita, na época, era entre 4 e 7 milhões de reais. Que fosse oferecido ao PDT para esse propósito especificamente”, afirmou Reis, ouvido no dia 2 de março.

O dinheiro seria para compra do apoio do partido à chapa presidencial de Dilma e Temer, especialmente para a aquisição do tempo de TV que o partido detinha.

“O Alexandrino (Alexandrino Alencar, diretor de relações Institucionais da construtora) me disse: ‘Olha, existe uma certa pressa, existe a pressa da encomenda, a encomenda que não foi feita. Existe a pressa para que isso seja confirmado rapidamente, que eles confirmem rapidamente a sua participação na coligação Força do Povo, garantindo, assim, o tempo que eles têm de televisão'”, detalhou o delator.

CLIQUE AQUI para ler a íntegra da delação, 
conforme fac simile conseguido pelo Estadão de hoje.