No governo Lula, os ministros dormiam a sono solto nas solenidades do PAC

Lula resolveu tripudiar sobre o cochilo do ministro da Fazenda, Henrique Meireles, durante discurso do presidente Michel Temer, ontem, npo Mercosul:

- Na minha época, ninguém cochilava nas reuniões do Mercosul.

Henrique Meirelles foi membro do governo Lula do começo ao fim. Foi ali que aprendeu a cochilar durante enfadonhos discursos.

Lula só conta o que lhe interessa e mente muito.

A foto ao lado, 2 de fevereiro de 2010, lançamento do PAC 2, principal programa de infraestrutura do governo Lula, mostra que muita gente cochilou na plateia, composta por 30 ministros, 16 governadores, prefeitos e sindicalistas. Alguns integrantes do primeiro escalão do governo caíram em sono profundo e até o presidente Lula acusou o enfado. O ministro do Desenvolvimento, Miguel Jorge. Sentado atrás do vice-presidente José Alencar, ele dormiu de revirar os olhos durante pelo menos oito minutos. Outro que apagou foi o chanceler Celso Amorim. Começou a dormir antes mesmo do pronunciamento de Dilma. Ao lado dele, o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, cochilava. Os ministros da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, da Fazenda, Guido Mantega, do Planejamento, Paulo Bernardo, e do Trabalho, Carlos Lupi, também brigaram contra o sono. 







Enquanto o próprio Lula, Mantega, Jobime Geddel não paravam de esfregar os olhos, e bocejar (Jobim dormia a sono solto). Sentado ao lado de Dilma e Mantega (foto acimas) o ministro da Defesa, Nelson Jobim, deixou a cabeça pender sobre o peito por cinco vezes.