Artigo, Maria Cristina Fernandes, Valor - A plataforma Jobim

- Maria Cristina costuma assumir posições que se aproximam muito do lulopetismo, mas muitas vezes consegue superar este complexo de viralata e produz artigos de bastante lucidez, como é o caso. Leia:

Coluna foi suspensa para preservar convocação

Os leitores do "Zero Hora", de Porto Alegre, estão há duas semanas sem um dos seus principais colunistas. A seção fixa que o advogado Nelson Jobim mantinha no jornal às segundas-feiras foi descontinuada por tempo indeterminado. A suspensão de suas colunas coincidiu com a ascensão do ex-ministro de três governos, ex-ministro de dois tribunais superiores (STF e TSE) e sócio de André Esteves no BTG-Pactual, como o nome mais suprapartidário para o colégio eleitoral que pode vir a ser convocado para a escolha de um eventual substituto do presidente Michel Temer.

No seu escritório de advocacia, informa-se que a suspensão temporária se deu em função do momento político do país. O ministro temia ser mal interpretado em seus contundentes artigos. Entre seus leitores mais atentos, e não apenas dentro das fronteiras gaúchas, a suspensão das colunas foi vista como uma iniciativa de Jobim para se preservar da percepção de que poderia vir a ser o coveiro da Lava-Jato. O colunista tem o destemido mérito de cultivar a tese, cada vez mais impopular, de que não há saída fora da política. A leitura dos textos sugere que a suspeita sobre sua licença procede.


Seis dias depois da divulgação da delação dos executivos da Odebrecht, Jobim publicou coluna intitulada "A crise". Dedicou-se, no texto, a desautorizar, com seis pontos de exclamação, a validação, como prova, daquilo que fora dito pelos delatores: "Aqueles que visaram a vantagens com suas delações passaram a ser fonte da verdade absoluta (!!!). (Os corruptores passaram a ser fonte de certeza (!!!))".

CLIQUE AQUI para ler mais.

11 comentários:

Anônimo disse...

zero hora esquerdalha eu nao leio e se alguem me der eu vou usar no banheiro pra me limpar, hehehehh

Anônimo disse...


Eu sempre me neguei a ler as colunas do Jobim na ZH. Assim como me neguei a ler Nietchze, porque não perco tempo em ler ateu.

Anônimo disse...

Jobin! Quem faz delação é porque assume o crime. Quem não é criminoso não tem o que delatar. Simples. Ficou sonhando em ser presidente do Brasil? Jamais será pelo voto, pois o povo acordou e com certeza não lhes dariam seus votos.

Anônimo disse...

Nenhum jornalista tem coragem de perguntar a Jobim, todas as vezes que o encontrar, se foi legal fraudar a Constituição? Perguntar a ele se quem praticou tal crime deveria estar preso? Por que jornalistas nunca fazem as perguntas que nós, leitores, ouvintes, gostaríamos que fossem feitas?

Anônimo disse...

"percepção de que poderia vir a ser o coveiro da Lava-Jato."?
Só percepção? O Jobim, que quer trocar o indulto a Lula por "paz social"
O Jobim foi ministro do Lula. Parece que tem trânsito "fácil" entre os petistas. Pois bem, não precisamos de gente que tenha trânsito numa quadrilha que deve ser exterminada.
Nestes tempos em que arrumar emprego não está fácil, melhor na perder o seus emprego Sr. Jobim.

Anônimo disse...

Esse Jobim é de SMaria...??? o tarso genro tb é de SMaria...??? De SMaria parece não sair coisa boa.

Anônimo disse...

O Jobim tem q expluxar o jantar com o dono da empresa que queria vender os caças para o Brasil, no seu castelo na França.

Anônimo disse...

Baixo nível este jornal

Anônimo disse...

vai pra casa jobim
corremos com o pt maldito agora vamos correr com temer em 2018 afinal temer foi vice da bandilma- nojeira pura

Anônimo disse...

Espero que vá em cana tbem...

Anônimo disse...

O Jobim, é? O cara que enfiou de contrabando uns artiguinhos na Constituição? Sócio do André Esteves? Voto nele pra presidente...da Bolívia!