Fiscalização acaba com "camelôs de frutas" no centro de Porto Alegre

Cerca de uma tonelada de frutas e verduras foi recolhida nesta quarta-feira em ação da fiscalização da prefeitura de Porto Alegre. Fiscais da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SMDE), juntamente com o apoio da Brigada Militar e da Guarda Municipal, realizaram a operação Retomada nas avenidas Salgado Filho, Borges de Medeiros e na Praça Conde de Porto Alegre.

Como resultado da ação, também foi interditado um depósito clandestino de frutas e verduras, que funcionava no número 29 da Praça Conde de Porto Alegre. O local, que na década de 80 abrigava uma conhecida casa noturna, estava em precárias condições de higiene e com parte do teto desabado.

As ações vão seguir nos próximos dias em outros pontos da cidade em parceria com a Guarda Municipal e a Brigada Militar.

15 comentários:

Ricardo Bastos disse...

De fruta nao pode, de mercadoria ilegal pode??? PQP!!!

Anônimo disse...

Tudo bem em retirar os camelôs do centro. Mas este prefeito que vive bem distante de uma coisa chamada povo, sabe por que eles estão lá? Jogou as frutas fora? Está dando alternativa de trabalho para estes camelôs? Estes engravatados esquecem que estes camelôs perderam seus postos de trabalho por incompetência e roubalheira destes mesmos políticos e estão tentando sobreviver sem roubar. Acho que este prefeito não tem alcance para uma análise mais profunda do problema.

Anônimo disse...

Podem aproveitar a deixa e acabar com os camelôs das drogas,celulares roubados e remédios falsos.

Anônimo disse...

Acho boa a ação, eu trabalho no centro e não tem com andar nas calçadas de tanta gente vendendo coisas.

Anônimo disse...

Acho boa a ação, eu trabalho no centro e não tem com andar nas calçadas de tanta gente vendendo coisas.

Anônimo disse...

Até quando?

Anônimo disse...

Esses camelôs logo estarão traficando e matando pessoas como gado, conforme o Políbio gosta de dizer. Êta prefeitinho cego, reacionário e comprometido com as oligarquias.

Anônimo disse...

Quer emplacar uma imagem de preocupado com a cidade, de responsável. Vender alimentos é algo que tem sua função. Se apreender e jogar fora estes produtos, muita gente faminta deixará de ser alimentada.
Para mim Marchezan é mais um pastiche piorado do Dória e suas peripécias populares.
O comércio de ouro, cabelos, relógios, óculos e otras cositas más não é coibida.
Por que?

Anônimo disse...

Isso é só o começo do Marchezan.

Anônimo disse...

Fartaram-se com as frutas dos coitados!!!
Apreensão de mercadoria ou abuso?
Alguém lembrou de entregar a mercadoria para alguma entidade carente?
Tomara que tenham um churriu.

Anônimo disse...


Demonstra toda a incompetência do governo anterior. Tem que botar a fiscalização a funcionar. Claro que vai demorar pq a bagunça já está imensa pela cidade. Parabéns a prefeitura que aos poucos começa a atuar nas suas obrigações.

Anônimo disse...

Num país atrasado e subdesenvolvido, que vota em políticos atrasados e subdesenvolvidos, quando não populistas e corruptos, quando alguém tenta botar ordem na bagunça reinante, a reação é imediata. Para eles, o quanto pior, melhor. Se são tão humanistas como se imaginam, por que não levam os "marginalizados" para morar com eles? O atraso brasileiro é simplesmente cansativo. Só direito para uns; só deveres para outros.

Fabio disse...

Quero ver o pessoal que tá achando feia a medida aqui comendo também a fruta com fezes de barata que vendem lá. Podiam deixar uma banca aberta só para vocês.

Anônimo disse...

Tudo fruta podre, expostas por dias, um NOJO. Tem q limpar tudo!!!

Anônimo disse...

não tem emprego, não moralizam o salário dos servidores... taí