A greve geral de ontem ignorou os avanços da economia argentina com Macri

Buenos Aires, Livio Xavier, via Whats App

Ao lado os dirigentes da CGT, central aparelhada pelos peronistas, comemoram o resultado da greve geral. A foto é de ontem, do Clarin. O governo diz que só parou o transporte.


Estou há dois anos na Argentina. Os jornais do Brasil repercutem a greve geral promovida pela principal central sindical que controla os transporte, mas há grandes motivos para estar otimista com a economia argentina.

O primeiro é que em um programa de repatriação de capitais similar ao ocorrido no Brasil a cifra declarada é de US$ 116 bilhões. O valor, que perde apenas para o programa de repatriação da Indonésia, é muito significativo para o tamanho da economia argentina e deve provocar um boom na construção civil com compra de imóveis de luxo.

Outro motivo importante é a provável classificação de mercado fronteiriço para mercado emergente pelo Morgan Stanley.

CLIQUE AQUI para saber mais.

9 comentários:

sempre mais disse...

Vermelhos argentinos saudosos de suas boquinhas. Eles não desistem

sempre mais disse...

Vermelhos argentinos saudosos de suas boquinhas. Eles não desistem

Anônimo disse...

estes argentinos vivem pendurados nos anos 40.

Anônimo disse...

E desde quando esquerdista quer progredir, crescer e ser mais decente?

Anônimo disse...

BRASIL,ARGENTINA,VENEZUELA...ETC NA MESMA CANTILENA...

OS VERMELHOS ARGENTINOS...SE APAVORAM SÓ EM PENSAR QUE A ECONOMIA PODERIA MELHORAR..O EMPREGO ...AI ELES NÃO TERIAM MAIS VOZ...OU SEJA TODO COMUNISTA ADORA POBRE...QUEREM QUE ELES CONTINUEM POBRES PARA PODER CAPTURAR COM DESESPERO DELES...ASSIM É A DOUTRINAÇÃO COMUNISTA DA AMÉRICA LATRINA....

TEM VARIOS VIDEOS DO CANTOR AMADO BATISTA ONDE EM ENTREVISTAS ELE FALA QUE FOI PRESO NA ÉPOCA DO ATAQUE COMUNISTA AO BRASIL..OS ENTREVISTADORES FICAM FURIBUNDOS POIS ELE FALA A VERDADE DO QUE ACONTECEU E ACONTECE NO BANANÃO..

Anônimo disse...

É a velha CGT , que há anos emperra o desenvolvimento da Argentina .!!!

Anônimo disse...

E a nossa esquerdalha, anônimo das 08: 41 , está pendurada na Guerra Fria , no século passado .!!!

Anônimo disse...

País maravilhoso, mas coberto pela sombra de cadáveres caudilhos. É só olhar as fotos que estão no painel, o que morreu mais tarde foi na década de 70. É gostar de viver do passado. Não adianta, os jovens não caem mais nessa conversa rançosa, querem é solução e vislumbrar um futuro. Quem limpa essa corja são as urnas, como vai acontecer no Brasil também.

duarte disse...

Políbio

Estava em Buenos Aires ontem no dia do Paro General.
Como nao estava de carro a circulação foi restrita mas o que pude observar:

A greve foi basicamente dos responsáveis pela movimentação das pessoas que dependem de transporte publico ou de massa: metro, ônibus e aviões.
Os taxistas claramente foram amedrontados por ameaças de muita violência. Todos os que conversamos nos dias anteriores, relatavam que pela primeira vez não iriam trabalhar na greve pois estavam com medo.
A população que pudemos conversar claramente acreditava que a unica saída para a Argentina é trabalhar e sem trabalhar ficaria pior.
Não sabemos dos bairros mais humildes qual a visão mas percebemos que o impacto das medidas corretivas do Macri foi muito grande, caso clássico do remédio matar o doente. Talvez tenha faltado mais moderação nos primeiros ajustes.

Quanto a greve:

Pararam os funcionários públicos , os grandes comércios (creio que industrias também) pois não havia como chegar ao trabalho.
Poucas pessoas na ruas do centro, numero razoável de táxis circulando(apesar das ameaças) e vida quase normal em bairros classe média como Ricoleta.

Num ato que vi no Obelisco (ponto central de BA) o mesmo filme do Brasil
duas ou tres dezenas de profissionais de greve e agitação, vinculados aos sindicatos, facilmente identificáveis.
Muitas bandeiras (o estoque nas camionetes dos sindicatos era superior ao publico que tinha quase uma cada um)
Talvez uma centena de jovens(alguns muito jovens) quiça iludidos pela lavagem cerebral esquerdista como vemos a muito e ainda hoje no Brasil
Talvez uma ou duas centenas de figurantes Mortadela claramente identificáveis pela sua expressão de simplicidade e sofrimento e completo alheamento ao que estava acontecendo. Apenas vagavam ou sentados com olhar distante e desolado.

Muitas câmeras e jornalistas. Claramente um ato apenas para aparecer na televisão e jornais.

Claro que estava no centro e nos locais de maior apoio ao governo. mas não acredito que a paralisação e a oposição ferrenha ao governo sejam consenso ou maioria na Argentina.

Me pareceu mais o velho e competente circo barulhento da esquerda que não quer perder as boquinhas e a exclusividade do discurso. E que na Argentina eram muitas pelo que sabemos.