terça-feira, 14 de março de 2017

Escândalo dos calotes milionários no Badesul envolve o governo Tarso Genro

O nati-morto Polo Naval do Tarso (Iesa) quase quebra o Badesul.

O inteiro teor do relatório final será publicado nesta quinta-feira no site da PGE.

Embora a sindicância instalada a pedido do governador Sartori tenha apurado os nomes (23) dos responsáveis pelas operações temerárias que resultaram em calotes de R$ 157 milhões sofridos pelo Badesul, a Procuradoria Geral do Estado não citou nenhum deles, mas deixou vazar que entre os apontados, estão Marcelo Lopes, ex-presidente do banco, e Lindamir Verbiski, ex-diretora de Operações. Ambos foram indicados como responsáveis nos três financiamentos que geraram prejuízo ao Badesul. Alguns diretores responsabilizados seguem ocupando cargos de indicação do Piratini no Badesul.

O editor publicou a notícia ontem a tarde.

A comissão foi coordenada pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE), que prepara o ingresso de ações judiciais. 

A PGE terá que alcançar também o ex-governador Tarso Genro e o ex-secretário Mauro Knijnik.

Coordenadora da sindicância, a procuradora Adriana Krieger destacou que ficou demonstrada a deliberação para fragilizar e acelerar os procedimentos de avaliação de crédito entre 2011 e 2014. Naquele período, durante o governo Tarso Genro, a estratégia do banco era apostar em política agressiva de concessão de financiamentos como forma de aquecer a economia.

— O que ficou evidente foi a desestruturação do setor jurídico do Badesul. Tudo ficou sob controle da área de Operações, inclusive a análise de risco. Os projetos eram pré-aprovados antes mesmo da análise de risco, que era pró-forma. No caso da Iesa, ela foi extremamente superficial 

7 comentários:

Anônimo disse...

Quem avalizou os empréstimos ? Quem ligou para os diretores e disse "esse é dos nossos, faz tudo o que for necessário para viabilizar os pixulecos?". Foi o Papa, o Batman, o Papai Noel? Hein? Sem dar o nome aos bois nada vai mudar e estamos em hora de mudança!

Anônimo disse...

E no Banrisul?

Os créditos de liquidação duvidosa, do governo genro, foram absorvidos e não denunciados em função do tamanho do banco.

Mas a roubalheira foi grande também!

Anônimo disse...

Tarso,no desespero de compensar a expulsão da Ford,feita pelo Truta,se" enredou nas cordas" ainda mais.
Pensando em criar o tal polo,afundou o Badesul,que nem deveria ser recriado por ele mesmo.
Intelectual não entende disso.
Tarso deveria ter permanecido escrevendo seus artigos nos jornais,mas nunca ter se metido a administrador.
Foi um fracasso.
Ovelha não é pra mato.

Anônimo disse...

Dar crédito a quem não poderia ter é um FORMA DE PROPINA.

TODOS FINANCIAMENTOS ESTATAIS dados terão que ser auditados, inclusive dentro da contabilidade dos recebedores dos empréstimos.

VAI DAR DELAÇÃO!

elias disse...

Já foi feito um BO numa delegacia próxima do roubo?
Não?
Então não reclamem de nada povo do rio pequeno do zulo e lsua capital porto triste a mais feia e suja do bananão. Agora a mais violenta também.
2018: viva o pt, viva o luladrão! Viva a corrupção!

Vota neles de novo gauchinho que só quer um concursinho para se encostar o resto da vida.

Oigalete povo vagal e burro.

Anônimo disse...

Povo vagal e burro é a mãe.
A tua,anônimo das 16:50.

Anônimo disse...

Povinho de PA que adora petralha tem que levar no rabo mesmo!!!