sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Metade das contas inativas do FGTS irá para 10% dos trabalhadores

Matéria divulgada nesta sexta-feira pelo site G1, mostra que 10% dos trabalhadores com direito a sacar de contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço -FGTS ficarão com metade do total pago, chegando a um valor de R$ 21,7 bilhões.

Levantamento da Caixa Econômica Federal mostra que 2,8 milhões de pessoas vão receber de R$ 3 mil a R$ 50 mil cada uma, totalizando R$ 21,7 bilhões. Outras 16,6 milhões ganharão, em média, R$ 500 cada uma. Um percentual de 0,16%  pode sacar valores acima de R$ 50 mil e a maioria, com 5 milhões de pessoas, pegarão de R$ 501 a R$ 1 mil. Os economistas avaliam que os saques das contas inativas do FGTS podem ajudar a reduzir a inadimplência, mas não irão reaquecera economia do país, considerando que quase todos usarão o dinheiro para o pagamento de dívidas, e uma parcela pequena fará aplicações financeiras.

4 comentários:

elias disse...

O que ahcam os economistas de araque do bananão é hilário!!!!!
Quer dizer que pagar dividas não movimenta a economia?
Esse dinheiro é pagamento de alguma coisa comprada ou usada.
Movimenta e muito.
O analfabetismo funcional do bananão está atingindo o nivel ideal de todas as esquerdas.
Parabéns aos envolvidos.

Anônimo disse...

SE INTELIGENTES FOSSEM, SACAVAM E GUARDAVAM EM BAIXO DO COLCHÃO.

NADA DE COMPRAS, NADA DE PAGAR DÍVIDAS. A SITUAÇÃO VAI PIORAR E MUITO AINDA.

ECONOMISTA SÃO AS MULHERES BRASILEIRAS DONAS DE CASA.

Anônimo disse...

E há muitas contas inativas do FGTS que simplesmente SUMIRAM, as anteriores a 1990, quando a Caixa Econômica Federal centralizou o programa. Ou deveria tê-lo centralizado. Essas contas dificilmente serão resgatadas , pois estavam dispersas entre bancos privados e públicos . Centenas ou mesmo milhares de brasileiros estão nessa situação .!!!

Anônimo disse...

O valor acumulado nessas contas deveria ser o triplo pois elas nunca foram corrigidas adequadamente, usando a taxa Selic mais um coeficiente de juros. O dinheiro foi gasto em boa parte com programas "sociais", financiamento de imoveis abaixo da inflacao e por ai vai.