Thereza May finalmente reconhece que terrorismo tem claro viés ideológico

Finalmente uma governanta de peso mundial, fora Trump, que já diz isto há muito tempo, reconhece que o terrorismo atual tem um viés ideológico claro que precisa ser combatido com medidas de contenção racial e ações de contrainteligência que incluam armamento pesado.

O que disse, hoje, Theresa May, premiê britânica:

- Apesar do fato de os ataques não estarem ligados entre si por uma única rede terrorista, eles estão ligados pela ideologia… Essa ideologia é o islamismo, uma perversão do islã, da verdade, e a vitória sobre essa ideologia é um dos principais problemas contemporâneos.

Theresa May após uma reunião do comitê de emergência COBRA, que é composto por representantes do governo, da polícia e dos serviços de segurança, e inclui o prefeito de Londres Sadiq Khan

21 comentários:

Anônimo disse...

Uma capital odiada pelo islã que elege um prefeito muçulmano tem que se questionar urgentemente o que quer da vida.

Anônimo disse...

Bom dia, senhores governantes! Finalmente despertaram.

Anônimo disse...

Sei que daqui a 50 anos não estarei mais vivo. Mas estas ordas de imigrantes islâmicos chegando a Europa trazendo sua cultura e muitos filhos, é certo, que as populações europeias vão desaparecer, até pela baixa natalidade dos europeus. Em 50 anos a Europa, será toda islâmica. Os jovens de hoje verão isso, quanto tiverem seus 70 anos de idade, se sobreviverem.

Anônimo disse...

A Europa precisa de um Trump, e nós do Bolsonaro!!! Eles gritam "por Alá" e eu digo por Jesus Cristo nosso senhor.

Anônimo disse...

Mesmo assim, Thereza May ainda mentiu ao dizer que o terrorismo islâmico é uma perversão do Islã.
Matança, escravização, estupro e achaque, de "infiéis", entre outras atrocidades são preconizadas no Corão e nas Suras.
De modo que aos "infiéis" só resta se Submeterem ao Islã ou a essas atrocidades.

Anônimo disse...

ué, nao eram so uns coitadinhos em busca de uma vida melhor e por nao terem ozóioazú se sentiam discriminados e nao integrados pelos ingleses?

pensei que fosse...

May engrossou o discurso porque tem eleição em breve...

esperem passar o periodo da eleição para terem mais do mesmo discurso morno, sem sal, tolerante, construtivo, do tipo vamos todos dar as mãos e caminhar sem diferenças...

Anônimo disse...

e a May, como não poderia deixar de ser, ainda aproveitou para dar uma alisada no Islã, do tipo o problema não é a cunha que forma a moeda, mas a moeda em si...

vao no canal do Nando Moura e procurem pelo video onde ele mostra o discurso de um desses lideres islâmicos onde ele contesta o fato de serem chamados de "radicais"...

segundo o elemento, eles não são radicais, ja que toda essa opressão islâmica é simplesmente o que todo bom muçulmano deveria fazer...

ou seja, é algo natural, e nada ha de expecionalidade em tudo o que assistimos sendo protagonizado por esse pessoal...

Anônimo disse...

Não precisa 50 anos para a Europa ser islamizada. O prefeito de Londres é muçulmano. O prefeito de Paris é muçulmano. Ambos já começaram a impor seus costumes. Falta pouco para tomarem todos os cargos porque têm número suficiente de votos e obedecem ao líder cegamente. Na última vez, ficaram 700 anos, e também vieram a convite e não como consequência de guerra. Os líderes europeus ainda não acordaram.

Ricardo disse...

O ocidente tem meios de resolver isto. Este pessoal (islâmicos) saem de seus países, mas jamais se integram aos costumes do novo lar. Tem como resolver.

Anônimo disse...

No Brasil colocaram no poder bandidos de esquerda, na Inglaterra em Londres um muçulmano, depois não adianta reclamar dos efeitos, pois quem dorme com cães, acorda com pulgas!

Anônimo disse...

Há algo na cultura islâmica que não aceita o progresso, a evolução e o contraditório, não há como ser islâmico e ocidental ao mesmo tempo, portanto deixem ao ocidente quem é do ocidente de corpo e alma e ao oriente o que é islâmico de corpo e alma. Não há como misturar água e azeite.

Anônimo disse...

1) A manchete da notícia é falsa, serve como justificativa para os problemas reais.

Se alguém não é muito esquecido deve lembrar que uma coalização liderada pelos USA, composta pela Inglaterra, Espanha e França invadiram o Iraque por duas vezes, uma sob o pretexto de que os iraquianos estavam fabricando armas para destruição em massa, informação dada pela CIA que depois se confirmou falsa. Mataram milhares de iraquianos, destruíram as cidades e desestruturaram o equilíbrio político lá existente.
A França não participou da primeira invasão, ficando fora da partilha do petróleo no Iraque, na segunda aderiu a invasão para levar a ELF (petroleira estatal francesa) para lá.
Os EUA tem com hábito desestabilizar e fomentar guerrilhas em outros países, criou e financiou, via Arábia Saudita, o Talibã de Bim Laden, depois Bim Laden resolveu parar de lutar contra os seus e atacar os EUA. Para desestabilizar Bim Ladem os EUA financiaram o Estado Islâmico que se voltou contra os EUA e os países europeus que invadiram o oriente médio.
Outro caso foi a Líbia, Muammar Kadafi foi capturado em resultado de uma operação especial da OTAN (europa e EUA), depois foi revendido de um grupo de bandidos a outro, competindo eles pelo direito de matá-lo. Instalou-se uma guerra civil que a mais de 6 anos dizima a Líbia, sofrendo bombardeios da Rússia e EUA, sem nenhuma perspectiva de cessar, o povo migra para Europa.
Agora Trump ataca, invade e bombardeia a Síria.
A principal tática americana é demonizar as lideram de um país, no qual tem interesse em intervir.
Toda e qualquer guerra tem motivação econômica, alegar religião é só para encanar. Nos EUA o culto do SATANISMO é livre, atém mesmo difuldido nas escolhas (vá no google e pesquise "santanismo nos estados unidos"). Então porque o Islamismo é criminalizado????
2) Estes senhores que postaram aqui se informe melhor, estudem um pouco da história e parem de escrever bobagens.
3) Os países que sofrem atentados são sempre os que invadiram outros países.

Anônimo disse...

Concordo.

Anônimo disse...

Sai pra lá, pelego esquerdo-islâmico!
Os países que sofrem atentados são todos os que os muçulmanos querem conquistar e submeter.
É assim desde o ano 610 depois de Cristo, quatrocentos anos antes da primeira cruzada.
Fora daqui islamistas!
Só voltem quando aprenderem a respeitar os valores de outros povos e concederem em seus países a aceitação que exigem nos países dos outros.

Anônimo disse...

Tá, os curpadu são us americanu i us imperialista, us manu mussurmano são tudu santinho e puro, umas dama di tão bãonzinho!

Anônimo disse...

O Prefeito de Londres, SADIQ KHAN, é de origem árabe , paquistanesa. Seu partido é o TRABALHISTA , é um social-democrata e militante de direitos humanos. O povo de LONDRES elegeu um PROBLEMA. Não é diferente de BANANIA , que elegeu Presidentes um sindicalista malandro e uma terrorista sem pudor e agora está imerso em um crise sem precedentes.!!!

Anônimo disse...

O pssado foi dos Judeus; Cristaos dominam no presente; o futuro e nosso!
Bye West!

Justiniano disse...

O grande problema é que esses dirigentes europeus não tão nem aí para o futuro, pode virar toda Europa islâmica e sabem porque, nenhum deles tem filhos, não tem nenhuma preocupação com futuro porque não descendentes.

Emmanuel Macron, presidente da França? Não tem filhos.
Angela Merkel, primeira-ministra da Alemanha? Não tem filhos.
Theresa May, primeira-ministra da Inglaterra? Não tem filhos.
Paolo Gentiloni, primeiro-ministro da Itália? Não tem filhos.
Stefan Löfven, primeiro-ministro da Suécia? Não tem filhos.
Mark Rutte, primeiro-­ministro da Holanda? Não tem filhos.
Xavier Bettel, primeiro-ministro de Luxemburgo? Não tem filhos.
Nicola Sturgeon, primeira-ministra da Escócia? Não tem filhos.
O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, não tem filhos.

Anônimo disse...

Isso é a nova ordem mundial senhores, apresento-lhes, é a guerra pra destruir valores cristãos e implantar o islamismo...estão indo rápido na Europa, faz 20 anos que muçulmanos vem dominando e se multiplicando como cavalos de Tróia. A ideia é dominação e preponderância destruindo uma cultura e implantando outra. Os democratas americanos fazem parte disso. Percebem que só partidos de esquerda apoiam o islamismo? Os islâmicos não gostam da cultura ocidental, isso é básico. Porque querem se meter aqui ? Culturas não não compartilham de valores ocidentais. Tentem colocar norte coreanos no brasil ou vice versa para ver o que acontece de choque. As cruzadas foram isso.

Anônimo disse...

Entendi. Então bons eram os ditadores Sadam Husseim e Kadafi e ruins os líderes eleitos do ocidente

Anônimo disse...

Quantos comentárip ridículos, de quem não tem a menor idéia sobre a realidade da vida no Reino Unido! Aliás, não seria mais plausível se preocuparem com essa terra falida chamada "Brasilis", com seu nível de mortes violentas superior a qualquer País em guerra?!