CGTEE vai fechar e CRM perderá seu único cliente

Na iminência de encerrar as operações de todas as suas usinas (a fase B fechou em fevereiro) a CGTEE deixará de comprar carvão da CRM.

Em plena operação, as usinas chegaram a produzir 446 MW.

É o único cliente da CRM.

7 comentários:

Anônimo disse...

bah ai ninguém vai querer comprar a CRM. Pobre Rio Grande.

Anônimo disse...

Já vão tarde esses dois valhacoutos de incompetência, parasitismo, politicagem e corrupção.
Deixaram rombos bilionários na conta dos contribuintes vassalos.

Nani disse...

Acabem logo com estes cabides de emprego e aparelhamento do estado. Ninhos de corrupção e politicagem!!!

Anônimo disse...

Não querem privatizar vão ter que entregar de graça, bem feito calhordas.

Anônimo disse...

O que me causa espanto é uma um publicação tão inócua "para não dizer sem conhecimento", A CGTE tem em Candiota três grupos de unidades geradoras: Fase A, Fase B, e Fase C , foi paralisada a operação apenas da Fase B, por uma ausência de autorização ambiental, situação essa que vem sendo resolvida e é bem provável que sua operação seja retomada brevemente. Para conhecimento a Fase C inaugurada em 2010 é a maior unidade geradora do complexo e tem contrato com a Anatel ate 2024, ou seja se CRM fechar a CGTE continuara comprando carvão de alguém (eis a questão), provavelmente bem mais caro do que da CRM que hoje tem a tonelada do carvão mais barata do mundo. A CRM não sofre aporte financeiro do estado de um centavo, em contra-partida nos últimos anos chegou a repassar mais de 2 milhões de lucro por mês ao caixa único. Hoje foi instituída uma gestão que vem buscando descreditar e depreciar a CRM para que sua venda seja o único caminho e bem aceita pela sociedade, inclusive a CGTE que é outra empresa publica de gestão do partido e que segue a politica e as diretrizes de sangrar até a morte a CRM esse é o cenário ardiloso e maléfico que vive a CRM. Antes de publicar noticias ignorantes e tendenciosas é preciso conhecer o que se fala.

Tucano do Sul disse...

Gerar energia elétrica a partir do carvão é um bom negócio ou não?

Anônimo disse...

Perfeito comentário. A gestão atual da companhia é na direção apontada. Se as jazidas de carvão fossem devidamente exploradas o preço seria ainda menor. E clientes teria porque os catarinas estão desesperados por carvão. A maldição da administração política e não técnica!