Diretoria do Badesul poderá mudar até o final do mês

A atual diretoria, exceção aos dois diretores já demitidos e que vieram do governo Tarso, não teve nada a ver com os malfeitos, até pelo contrário, porque abriram todas as sindicâncias, investigações e apurações ao alcance dela. 

O mandato da atual direção do Badesul acabará no final deste mês. Ao mesmo tempo, está em vigor a Lei das Estatais, que traz critérios rigorosos para a ocupação de cargos em instituições públicas, incluindo experiência, formação e distanciamento partidário. 

Pelas normas atuais, Paulo Odone, Mano Changes e Kalil Sehbe poderiam deixar a direção do Badesul, mas o governo Sartori editou um decreto dizendo que a Lei das Estatais não deve ser aplicada nos casos de "recondução". Também há uma carência de implantação da lei que se estende até junho de 2018.


Qualquer mudança dependerá dos rumos das próximas investigações feitas por TCE, PF, MPF e MPE, que se somarão ao que já se conhece de sindicâncias feitas pelo Banco Central e PGE.

5 comentários:

Anônimo disse...

Realmente, este trinca de diretores, nem o Esporte Club Aymoré quer na sua gestão. Nestas mãos o Badesul vai para o beleléu!

Alberto disse...

Kalil/Changes/Odone certamente estão fazendo 'ótimo trabalho' por lá.

Anônimo disse...

REPITO SEMPRE?PRIVATIZEM TUDO O QUE FOR POSSÍVEL.OS PARTIDOS E NA FRENTE DELES TODOS,O PT,SE ALIMENTAM DAS ESTATAIS.ACABEM COM ELAS E COMEÇAREMOS OS NOVOS TEMPOS.AQUI NESTA TERRA DE CORRUPTOS,NÃO PODE EXISTIR NENHUMA EMPRESA ESTATAL.TEM QUE PRIVATIZAR ATÉ O GOVERNO.

Anônimo disse...

Mas, ainda não fechou esse BÁ DE SUL.....estamos sustentando Paulo Odone, Mano Change e Kalil???? Expert em bancos....Não tenho mais dúvidas que o Brasil e o RS não tem a menor possibilidade de dar certo!!!!!!

Anônimo disse...


Concordo no caso da CEEE, da Sulgás e da CRM, que dão prejuízo ao Estado gaúcho.

Assim como aluguéis de imóveis, se é sabido que têm imóveis desocupadoss pertencentes ao Estado.