segunda-feira, 27 de março de 2017

Odebrecht: 'Todos candidatos tiveram financiamento ilegal'

O empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente e herdeiro do grupo que leva seu sobrenome, disse em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no início de março, que o financiamento ilegal de campanhas é tão comum no País que inclui todos os candidatos eleitos. "Duvido que tenha um político no Brasil que tenha se eleito sem caixa 2. E, se ele diz que se elegeu sem, é mentira, porque recebeu do partido. Então, impossível", afirmou.

As declarações constam do depoimento prestado na ação que apura abuso de poder político e econômico pela chapa Dilma Rousseff-Michel Temer nas eleições de 2014. Naquele ano, além da então presidente, 1.626 pessoas conseguiram votos para ocupar os cargos em disputa.

No caso da Odebrecht, o empreiteiro pontuou que, dos recursos disponíveis para campanhas, 75% eram pagos fora do sistema oficial. "Caixa 2, para a gente, e eu acho que para todas as empresas, era visto como natural. Os valores definidos pelos candidatos eram tão aquém do que eles iam gastar que não tinha como a maior parte das doações não ser caixa 2. Era impossível", declarou ao TSE.

4 comentários:

Anônimo disse...

Estratégia comunista para levar todo mundo pro buraco porque dai ficam todos iguais !!

Eles não pregam a igualdade de tudo ?

Taí mais uma !!

Anônimo disse...

COLOCAR TODOS os caranguejos num mesmo cesto, ninguém escapa ou todos escapam!

Anônimo disse...

Se o crime é natural pra que as leis ????

Anônimo disse...


A Reforma Eleitoral é que precisa ser feita, cortando pela metade o número de todas as vagas parlamentares, nos níveis municipal, estadual e nacional.

Se quase todos os políticos são ladrões do dinheiro público, então se diminuir pela metade o número de políticos, eles roubarão só a metade do erário público.

Por uma Previdência não obrigatória.

Pelo direito democrático do trabalhador planejar sua própria aposentadoria.

Pelo fim da aposentadoria para políticos, que não são trabalhadores.

Política não é profissão.

Política não exige concurso público, nem estudo, nem domínio de línguas estrangeiras, nem experiência.

Até semi-analfabeto, até vagabundo pode ser Presidente da República, ou qualquer coisa.

Pelo fim das eleições com urnas eletrônicas, que estão todas passíveis de manipulações por hackers, quer sejam russos, chineses, venezuelanos ou petralhas fedidos.

As urnas eletrônicas (SMARTMATIC) usadas no Brasil foram importadas da Venezuela!! Socorro! Isto é herança dos ladrões sebosos lulopetistas.FDP.

Por sistema de votação na Internet, através do CPF e no site da Receita Federal.

O que funciona para a Declaração do Imposto de Renda, individual e intransferível, através da Internet e sem interferência de hackers, deve servir também para a votação eleitoral e plebiscitos.