Na Argentina, Cristina Kirchner é indiciada por corrupção

A Justiça da Argentina determinou ontem o indiciamento da ex-presidente Cristina Kirchner, que governou de 2007 a 2015, por formação de quadrilha e administração fraudulenta por supostas irregularidades na concessão de obras públicas durante seu mandato.

O expediente, dirigido pelo juiz Julián Ercolini e que declarou Cristina como investigada em outubro, analisa um suposto esquema de "benefícios exclusivos" a favor do grupo Austral, do empresário Lázaro Báez - pessoa próxima ao falecido ex-presidente Néstor Kirchner e atualmente detido por outro caso de suspeita de lavagem de dinheiro -, em detrimento dos cofres públicos.

Ercolini ordenou, além disso, o bloqueio de 10 bilhões de pesos (R$ 209 milhões) de Cristina e o processamento, entre outros, de Báez, do ex-ministro de Planejamento Federal Julio de Vido e do ex-secretário de Obras Públicas José López.

14 comentários:

Anônimo disse...

Que nem aqui.
Essa esquerda só nos deixou desastres.
Argentina com Kirchner,Brasil com Lula/Dilma,Venezuela com Maduro,e finalmente recebemos de Evo da Bolívia,o desastre da Chapecoense.
Por informações esparsas,se pode concluir que havia um compadrio do piloto do avião,com Morales e Evo.
Aí deu no que deu,e na Argentina tá dando processo contra Kirchner.

Anônimo disse...

O TRIO DE LADRÕES.QUE FOTO PERFEITA.ESCUMALHA F.D.P

Anônimo disse...

LINDINHA ESSA FOTO, EM BREVE OS TRÊS ESTARAO ATRÁS DAS GRADES. !!!

Anônimo disse...

A canalhada esquerdista, que bom aprendizado teve com os petistas brasileiros, espalhou-se pelo continente salpicando fraudes, roubos e destruição nos países sul-americanos. NUNCA MAIS VOTE NA ESQUERDA. Como já fizemos em Porto Alegre, correndo com os 28 anos de administração petista e neo-petista da Prefeitura!

Anônimo disse...

Folha já abre espaço para a degola de Temer:

28/12/2016 - Brasil 247

Ao noticiar a operação de busca e apreensão nas gráficas que atuaram na campanha presidencial de 2014, Folha de S. Paulo manchetou que o alvo foi a "campanha de Temer", e não a "campanha de Dilma" ou "Dilma-Temer"; a sutileza significa que o objetivo da ação movida pelo PSDB no Tribunal Superior Eleitoral será a cassação de Temer; a questão é saber se depois do chamado "golpe dentro do golpe", o Brasil terá eleições diretas, como querem 63% dos brasileiros, segundo o Datafolha, ou indiretas, com um novo presidente escolhido por um Congresso com mais de 200 parlamentares investigados...

Anônimo disse...

Pelo jeito o vírus StrePTollula CorruPTus tem como população de risco as Esquerdas !

Cap Caverna disse...

Essa cortesã argentina, só em aceitar a parceria da dupla da foto, não presta, e no mínimo é igual aos dois chefes assaltantes, que tanto se admiravam!

Anônimo disse...

FHC quer “diálogo” com Lula após fracassar golpe jurídico-parlamentar-midiático:

28 dezembro 2016 - Blog do esmael

O golpe de 2016, articulado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, fracassou. O plano inicial previa a derrubada de Dilma Rousseff, o impedimento preventivo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a eventual cassação do registro do PT. Paralelamente, Michel Temer implantaria a chamada “ponte para o futuro”, a confiança retornaria e, em 2018, um tucano seria eleito para a presidência da República.

Oito meses depois do golpe, Lula lidera as pesquisas Datafolha e três presidenciáveis tucanos estão implicados na Lava Jato: José Serra por receber R$ 23 milhões na Suíça, Geraldo Alckmin acusado de ganhar R$ 2 milhões por meio do cunhado e Aécio Neves suspeito de ter despesas pessoais bancadas pelo marqueteiro.
Além disso, a “pinguela” Michel Temer fracassou. A economia brasileira foi ao fundo do poço, em razão do golpe, a imagem do Brasil, cujas elites sabotaram a democracia, foi arruinada.
É nesse contexto que FHC prepara uma guinada. Em entrevista à colunista Sonia Racy, ele sinalizou a intenção de dialogar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Depois de dizer que a crise atual no Brasil é mais grave do que a de 1964, ele defendeu o entendimento. “É preciso que pessoas de posições diferentes conversem e retorne o bom senso. Mas quando falo em diálogo não é entre os que se entendem. É com os que não querem o diálogo”.

FHC, na realidade, nunca quis o diálogo, enquanto imaginou que o golpe seria um projeto bem-sucedido. Agora que o fracasso é evidente, ele muda de postura. De todo modo, sua posição converge com a do ex-presidente Lula, que recentemente falou à TV turca e pregou o entendimento.
“Eu acho que a melhor solução agora é os partidos políticos discutirem uma PEC, uma emenda constitucional e recuperar o direito do povo escolher o seu presidente da República outra vez pelo voto direto”, disse ele, defendendo o diálogo entre os partidos.

Anônimo disse...

esquerdalha safada

Anônimo disse...

eu nunca votei em vermelhos do inferno

psol, pdt, rede, pt lixos

Anônimo disse...

Os três são SOCIALISTAS, são totalmente honestos e éticos. CANALHAS...!!!

Anônimo disse...

George Marques: por que Aécio depôs sem plantão da Globo?

28/12/2016 - Brasil 247

"Sem alarde e espetacularização da imprensa, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) depôs na sede da Polícia Federal no inquérito que investiga maquiagem de dados da CPI dos Correios, de 2005", diz o jornalista George Marques; "É de se estranhar, no entanto, que o depoimento de Aécio não teve plantão na Globo, cobertura de meia em meia hora ou sequer algum helicóptero sobrevoando o local"...

Anônimo disse...

Mineirinho da Odebrecht depõe na PF e a imprensa abafa, por Helena Sthephanowitz:

28/12/2016 - Luis Nassif

Por Helena Sthephanowitz

Na RBA

Aécio Neves, o Mineirinho da Odebrecht, depõe na PF e a imprensa abafa

A imprensa não estava na porta da Polícia Federal para transmitir ao vivo. Helicópteros não cobriram o trajeto do carro que levava o depoente. Não havia um batalhão de fotógrafos na entrada e na saída do suspeito. Não teve imagens do oficial de Justiça entregando a intimação e nem condução coercitiva com bonitão da PF escoltando.

No mais absoluto sigilo, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) compareceu à sede da Polícia Federal em Brasília na quinta-feira passada para prestar depoimento no inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF), em que o tucano é acusado pelo ex-senador Delcídio do Amaral de atrasar o envio de dados do Banco Rural à CPI para poder “apagar dados bancários comprometedores” e evitar que a apuração sobre fraudes na instituição levasse a nomes de outros políticos do PSDB. O inquérito está nas mãos do ministro Gilmar Mendes no STF. O conteúdo do depoimento, contrariando o que passou a ser prática na nossa grande imprensa, também não vazou...

Unknown disse...

Fdp é fdp!!! 'Cumpanhêra' é 'cumpanhêra'!!!