segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Artigo, Darcy F.C. dos Santos - Socorro aos Estados: um alerta !

Ao lado, o gráfico exemplar mostra as chamas azuis do superavit fiscal. Eles demonstram que os governos Britto e Yeda ajustaram as contas públicas e iniciariam períodos enormes de melhoria dos serviços da administração estadual, além da retomada da capacidade de investimentos. Os dois governadores foram sucedidos por líderes petistas atrasados, comunistas, demagogos, populistas, patrimonialistas e voluntaristas. O povo gaúcho pagou e paga caro pela aventura que fez ao eleger a dupla de exterminadores do futuro. Os problemas do RS são estruturais, sim, mas podem ser atacados e solucionados com boa e rápida gestão, como foram os casos protagonizados por Britto e Yeda. 

Nota do editor: 
Os irresponsáveis aumentos salariais concedidos pelo ex-governador Tarso Dutra para magistério e polícia, invadindo todo o período do atual governo e até parte do próximo, terão que ser revistos, sob pena de que Sartori seja penalizado pelo governo da União, sujeito a cadeia e cassação dos direitos políticos.

A proposta de socorro aos Estados em calamidade, aprovada pelo Senado, que suspende o pagamento das prestações da dívida por três anos, até 2019, pode gerar uma vã sensação de bonança, de que tudo está resolvido, quando apenas houve um alívio financeiro para o atual o governo e para o seguinte, em seu primeiro ano. Um alívio muito importante.
   
 Mas ela impõe o cumprimento de um conjunto de medidas de ajuste fiscal, muitas das quais o atual governo já fez ou está tentando aprovação legislativa.
   
A principal exigência e, ao mesmo tempo a mais difícil de cumprir, é a que determina a redução do crescimento automático da folha de salários, em decorrência dos reajustes salariais concedidos no governo passado, que vão até novembro de 2018, e da necessidade de reposição dos servidores que se aposentam. Essa última impõe uma reforma da previdência, que terá que ser feita em nível federal, para atender também  outra exigência, a das pensões.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

7 comentários:

Anônimo disse...

Tarso Dutra foi ministro da Educação no governo Costa e Silva e depois senador "biônico" tendo falecido no exercício do cargo. O editor continua necessitando de um bom conferente, Dependendo do salário, posso aceitar o cargo.

Anônimo disse...

Ao que consta, o plano referente aos vencimentos para a área da segurança foi concedido por Tarso, mas aprovado por UNANIMIDADE pela Assembleia Legislativa. Isso quer dizer que foi aprovado por TODOS os partidos. E trata-se, ao que parece, de reposição de inflação das categorias que possuem os salários mais baixos e que não havia sido concedida justamente em governos anteriores (inclusive Rigotto e Yeda).
E mais, a segurança está um caos do jeito que está. Se cancelarem as reposições, a polícia vai parar. Ponto. E daí, como fica, Sr. Darcy?

Anônimo disse...

O governador nåo foi Tarso Dutra, mas outro Tarso.
Se o problema são as pensões, que se corrijam-nas, mas por que meter a mão nas aposentadorias?
Foi apresentado um cálculo em que a roubalheira ora descoberta atingiu a cifra de 01 trilhão de reais. Ora, vamos buscar esse dinheiro, recupernado os ativos em vez de sonegar o benefício legitamente adquirido (o trabalhador CONTRIBUIU para receber o benefício).

Anônimo disse...

Tudo isso graças a capacidade que uma parte dos Gaúchos(as) tem de continuamente eleger lixo Politico (PT-PSOL-PCdoB).

Anônimo disse...

Dando continuidade ao comentário do anonimo das 15:52:
Lixo político que será eleito imediatamente seguinte ao governo do excelentissimo governador Sartori, pois este além de sem ação, não tem voz para mostrar quem foi o culpado da crise. Resultado: vai arcar sim com a culpa e o RS vai amargar mais um governo pt/psol/pcdob.

De certa forma é merecido para o pmdm, vive acobertando os larápios, mesmo que não esteha roubando desta vez, vai entrar na mesma onda.

Cortar gasto do estado de verdade, seria cortar salário de políticos, estes sim, super salários, com inúmeros benefícios e ainda trazendo toda essa cambada de cargos em comissão incompetentes que permeiam o serviço público com o que há de pior: aproveitadores que assumem cargos públicos por quatro anos, deixando a gestão ainda pior do que antes, em nome do partido e desfazer tudo que o anterior fez. Porque motivo os CCs não são extintos da administração pública, se a máquina está tão inchada?

Anônimo disse...

Isso mostra que o povo é burro mesmo, não aprende, tem mais é que tomar...

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Mas logo quem falando mal do Governo do Tarso. Logo ele que é um dos MARAJÁS aposentados pela Secretaria da Fazendo do Estado. Políbio, por favor, ao postar o que ele escreve, posa também o contracheque dele para que todos saibam quem é.