Análise - Vendas melhores do varejo confirmam retomada gradual da economia

As vendas reais do comércio varejista restrito ficaram estáveis na passagem de junho para julho, na série com ajuste sazonal, conforme divulgado ontem pelo IBGE. 

Apesar da estabilidade na margem, as vendas cresceram 3,1% na comparação com o mesmo mês do ano anterior, mantendo a tendência de recuperação da demanda do setor. A receita nominal apresentou ligeiro ganho de 0,3% ante junho, ainda considerando a série com ajustes sazonais. O resultado do mês refletiu o equilíbrio entre os resultados positivos e negativos dos setores que compõem o índice. Do lado positivo, destacou-se o desempenho das vendas de Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (4,4%) e de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,7%). Por outro lado, as vendas de combustíveis e lubrificantes recuaram 1,6% na mesma comparação. O volume de vendas do comércio varejista ampliado, que também considera os segmentos de veículos e materiais de construção, cresceu 0,2% entre junho e julho, na série dessazonalizada. Para tanto, as vendas de material de construção subiram 0,9% no período, enquanto as vendas de veículos e motos, partes e peças recuaram 0,8%. Em relação ao mesmo mês do ano passado, as vendas do comércio ampliado avançaram 5,8%.

Um comentário:

Anônimo disse...

Quando Moro prender o maishonesto a economia dará um salto formidável, não me perguntem o motivo.