Saiba por que Lula faz enfrentamento com MPF e Justiça Federal ?

10 comentários:

Anônimo disse...

Políbio, nada entendo de justiça, direito. O Ciro Gomes, o lula e mtos outros atacam o juiz Sérgio Moro, chamando-o, de mau caráter, safado(só falta chamarem o juiz de ladrão). Nada acontece com eles. Pergunto prá ti que é advogado, eu um simples cidadão, posso chamar qq juiz que eu não goste, tb de safado, mau caráter...??? e nada me acontecer. Se for negativo. Pq esses caras, todos eles, atacam o juiz Moro e o Moro, não processa eles...pq...???

Anônimo disse...

O juiz Moro tem medo de políticos esquerdistas, PRINCIPALMENTE do PT!!

Mas é bem corajoso contra o Zé Mané!!

Anônimo disse...

Enquanto isso o traira......

TEMER AJUDA DEPUTADA DO PSB A RESOLVER PEPINOS NA RECEITA:

Michel Temer segue tentando atrair apoio de deputados de todos os partidos para se safar da denúncia por corrupção passiva oferecida pela Procuradoria-Geral da República à Câmara; segundo a jornalista Andréia Sadi, da Globonews, a deputada Tereza Cristina, líder do PSB e produtora rural em Mato Grosso do Sul, comemorou junto a colegas o apoio de Temer a reclamações dela quanto à Receita Federal, que tem se negado a mudar entendimentos regulatórios que beneficiariam a bancada ruralista.

18 DE JULHO DE 2017

247 - Michel Temer segue tentando atrair apoio de deputados de todos os partidos para se safar da denúncia por corrupção passiva oferecida pela Procuradoria-Geral da República à Câmara dos Deputados.

Segundo informações da jornalista Andreia Sadi, da Globonews, Temer prometeu intervir em demandas da bancada ruralista junto à Receita Federal.

Poucas horas depois de estar com o presidente Michel Temer, a líder do PSB, deputada Tereza Cristina, esteve em audiência com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

A deputada, produtora rural em Mato Grosso do Sul, comemorou junto a colegas o apoio de Temer a essas demandas. Temer quer evitar que dissidentes do PSB ingressem no DEM, presidente da Câmara, Rodrigo Maia.

Em troca da ajuda aos ruralistas no campo regulatório, Temer quer que esses deputados deixem o PSB e ingressem no PMDB. Questionada sobre o assunto do encontro com a deputada, a assessoria da Receita Federal afirmou: "Não temos informação sobre o encontro entre o secretário e a deputada. É o posicionamento".

PS: Advogacia Administrativa em cima da Receita Federal, pode?

Anônimo disse...

A condenação de Lula e o momento da virada:

18/07/2017 - ​Mauro Santayana

A condenação de Lula sem provas, por um crime que não cometeu - não recebeu, não usufruiu, nunca teve o tal triplex em seu nome - com a argumentação, como nos filmes de ficção científica, vide "A Nova Lei - Minority Report", de que tinha a intenção de eventualmente praticá-lo - a quase dez anos de prisão e a mais de sete de ostracismo político, precisa servir de alerta final, talvez o mais significativo até agora, antes que se proceda à inexorável entrega do país ao fascismo nas eleições do ano que vem.

O passo dado pelo Juiz Sérgio Moro foi de sutileza paquidérmica, do ponto de vista do desrespeito, desconsideração e desprezo pelo Estado de Direito, e, como já dissemos tantas vezes aqui, já estava sobejamente anunciado.

Tanto quanto o está a condenação de Lula em segunda instância, em prazo eventualmente recorde - como já dá, espertamente, como favas contadas, certa mídia - se não se estabelecer prontamente uma estratégia de defesa da democracia, com relação às eleições diretas, ocorram elas em 2018 ou nos próximos meses. (...)

PS: O Brasil nunca viveu uma democracia e não podemos querer usá-la como antídoto para combater essa minoria endinheirada e antinacionalista.

Anônimo disse...

My Home, My Life, in Miami Beach:

FERNANDO BRITO · 18/07/2017 - O Tijolaço

Quer um retratinho “básico” da “moralidade” de nossa classe média alta coxinha?

Dela, sim, porque ricaço, mesmo, compra apartamento em Nova York, o que lhes empresta certo verniz cultural.

Então leia a matéria da Folha, de agora à tarde, dizendo, com informações da Receita Federal, “de 4.765 brasileiros que compraram imóveis em Miami entre 2011 a 2015, 44%, ou 2.100 pessoas, não declararam o bem” ao Fisco.

Sonegaram, portanto.

São, em valor, os estrangeiros que mais colocam dinheiro por lá: “somente em 2015, foram US$ 730 milhões, ou seja, um valor médio de US$ 766 mil por imóvel”. Ou uma média de R$ 2,42 milhões por “cafofo”.

E comprados cash, por meio de off-shores, como fez um certo respeitável senhor destas bandas.

“Cerca de 75% dessas aquisições são pagas à vista, em dinheiro”, afirmou Iagaro Jung Martins, subsecretário de fiscalização do órgão [a Receita]. “E 65% dessas aquisições foram feitas através de empresas limitadas” [pela lei americana, pessoas podem constituir empresas para comprar imóveis com condições especiais de pagamento de tributos nos EUA]”, declarou.

Quem são eles?

Ah, você não pode saber, em homenagem à privacidade e ao sigilo fiscal.

Você só pode saber quem não comprou, não recebeu, não morou num apartamento no Guarujá, jamais de um em Key Biscayne ou no Sunset Boulevard.

Vai pra Maricá, seu pobre, como diria Eduardo Paes!

PS: Bastante interessante esta história. O ap. do Guaruja, a inJustica brasileira tenta provar ,a 3 anos, que é do Lula e não conseguiu porque não é mesmo. Aposto que a inJustiça brasileira gastou mais dinheiro do que o sonegado pela coxinhada "made in usa". Uma vergonha! Eles se lixam!

Anônimo disse...

My Home, My Life, in Miami Beach:

FERNANDO BRITO · 18/07/2017 - O Tijolaço

Quer um retratinho “básico” da “moralidade” de nossa classe média alta coxinha?

Dela, sim, porque ricaço, mesmo, compra apartamento em Nova York, o que lhes empresta certo verniz cultural.

Então leia a matéria da Folha, de agora à tarde, dizendo, com informações da Receita Federal, “de 4.765 brasileiros que compraram imóveis em Miami entre 2011 a 2015, 44%, ou 2.100 pessoas, não declararam o bem” ao Fisco.

Sonegaram, portanto.

São, em valor, os estrangeiros que mais colocam dinheiro por lá: “somente em 2015, foram US$ 730 milhões, ou seja, um valor médio de US$ 766 mil por imóvel”. Ou uma média de R$ 2,42 milhões por “cafofo”.

E comprados cash, por meio de off-shores, como fez um certo respeitável senhor destas bandas.

“Cerca de 75% dessas aquisições são pagas à vista, em dinheiro”, afirmou Iagaro Jung Martins, subsecretário de fiscalização do órgão [a Receita]. “E 65% dessas aquisições foram feitas através de empresas limitadas” [pela lei americana, pessoas podem constituir empresas para comprar imóveis com condições especiais de pagamento de tributos nos EUA]”, declarou.

Quem são eles?

Ah, você não pode saber, em homenagem à privacidade e ao sigilo fiscal.

Você só pode saber quem não comprou, não recebeu, não morou num apartamento no Guarujá, jamais de um em Key Biscayne ou no Sunset Boulevard.

Vai pra Maricá, seu pobre, como diria Eduardo Paes!

PS: Bastante interessante esta história. O ap. do Guaruja, a inJustica brasileira tenta provar ,a 3 anos, que é do Lula e não conseguiu porque não é mesmo. Aposto que a inJustiça brasileira gastou mais dinheiro do que o sonegado pela coxinhada "made in usa". Uma vergonha! Eles se lixam!

Anônimo disse...

Anônimo das 18:44 eu também queria saber. Sertão de Pernambuco.

Anônimo disse...

Polibio sou seu fã - Tabira - Pernambuco.

Ricardo A. N. Dornelles disse...

Cavalheiro: Vá catar coquinhos na lomba.

Anônimo disse...

MAIOR REVISTA ALEMÃ DIZ QUE LULA FOI ALVO DE JULGAMENTO POLÍTICO:

Um dos periódicos mais importantes da Europa, a Der Spiegel publicou uma longa análise sobre a condenação do ex-presidente Lula, intitulada "Julgamento contra o ex-presidente do Brasil: Estado no lodaçal"; o texto afirma que o juiz Sergio Moro "confirmou com sua sentença o que os críticos reprovam nele há muito tempo: o tratamento jurídico do maior escândalo de corrupção da história do Brasil segue critérios políticos, e não legais"; a acusação de Lula "ter recebido um apartamento" parece "uma ninharia em comparação com as acusações contra o atual presidente Michel Temer e seus aliados"; a Spiegel também acha estranho que não haja milhões de pessoas indo às ruas contra Michel Temer e faz uma dura crítica ao STF: "atua como uma barreira protetora para Temer e seus aliados no Congresso".

19 DE JULHO DE 2017 - Antonio Salvador, da Humboldt-Universität zu Berlin

BRASIL NO LODO: O OLHAR ALEMÃO
Dado que a imprensa brasileira não é lá muito confiável, a cobertura internacional merece ser observada. Ela aponta o modo como o Brasil tem sido visto e como será tratado no contexto internacional, num futuro próximo.

Aqui na Alemanha, durante o fim de semana, foram publicadas diversas matérias analisando a condenação do Presidente Lula.

Um dos periódicos mais importantes, a Der Spiegel, publicou uma longa análise com o título “Julgamento contra o ex-Presidente do Brasil: Estado no lodaçal”. A matéria já começa dizendo que, há um ano, Lula teria dito à Spiegel não ter medo de prisão, e enfatiza: “por enquanto, ele não tem mesmo motivo para isso”.

Até o juiz Sérgio Moro é citado. A revista afirma que, “por sensatez, ele se absteve de determinar a prisão”, pois se Lula tivesse sido preso, “a crise nacional se agravaria perigosamente”.

Sobre o juiz Sérgio, ainda conclui a Spiegel que “Moro confirmou com sua sentença o que os críticos reprovam nele há muito tempo: o tratamento jurídico do maior escândalo de corrupção da história do Brasil segue critérios políticos, e não legais”,

Segundo a lógica alemã, a razão é visível: a acusação contra Lula, “ter recebido um apartamento”, parece “uma ninharia em comparação com as acusações contra o atual presidente Michel Temer e seus aliados”. A revista é categórica: “Trata-se de centenas de milhões de dólares desviados para contas secretas na Suíça e dinheiro de extorsão em malas de rodinha.”

Em comparação com os movimentos pró-impeachment, tão contrários à corrupção, a Spiegel acha estranho que não haja milhões de pessoas indo às ruas contra Temer. Afirma com todas as letras: “O principal objetivo das manifestações de um ano atrás, conforme hoje se apresenta, não foi a luta contra a corrupção: aqueles manifestantes queriam derrubar Rousseff e ver Lula atrás das grades. O primeiro objetivo eles alcançaram, o segundo está mais próximo do que nunca. Mas o preço que o país paga por isso é alto.”

Vai adiante: “Se o ex-Presidente for para a prisão, enquanto o odiado Temer e seus aliados conservadores fogem”, muitos brasileiros “perderiam a última fé no Estado de Direito - com consequências imprevisíveis para a estabilidade política”.

Fazendo um balanço da Era Lula e citando seu favoritismo para as eleições de 2018, conclui: “Comparado com o triste quadro do atual governo, seus oito anos brilham ainda mais.”

O triste quadro dispensa comentários, mas um ponto, relativo à imagem internacional do Brasil, chama atenção: “o Brasil já se despediu da política externa, o governo está mais ocupado com a própria sobrevivência política”. (...)