Editorial, Estadão - Um documento histórico

Sentença assinada pelo juiz Sérgio Moro constitui um importante documento para a consolidação da democracia no País

A sentença assinada pelo juiz Sérgio Fernando Moro, da 13.ª Vara Federal de Curitiba, que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, além de uma pena acessória de sete anos de inabilitação para o exercício de cargos públicos, constitui um importante documento do processo de consolidação da democracia no País.

O ineditismo da peça condenatória – a primeira proferida contra um ex-presidente da República pela prática de crimes comuns – já seria, por si só, razão suficiente para atribuir-lhe a devida adjetivação histórica. Trata-se de um marco incontrastável do primado da igualdade de todos os cidadãos perante a lei, um dos pilares democráticos consagrados pela nossa Constituição.


Sabedor da repercussão que sua sentença tem no presente e terá no futuro, Sérgio Moro cercou-se de cuidados que dizem muito sobre o seu senso de responsabilidade.

CLIQUE AQUI para ler mais.

15 comentários:

Mordaz disse...

Enquanto Temer estiver no governo não se pode tratar o Brasil como um país democrático. O eleitor quer Temer longe dos cofres públicos. E, numa democracia, ele já estaria.

Anônimo disse...

Com certeza será um marco na história do Brasil.

Anônimo disse...

Numa democracia, durante o mensalão essas ratazanas tinham que pegar prisão perpétua, e ainda assim continuaram roubando com as duas mãos!

Anônimo disse...

Parabéns ao Temer!!! Excelente estrategista, mostrou sereno e forte ante aos anseios raivosos dos golpistas e das esquerdas que impôs ao Brasil 13 anos de atraso e 13 milhões de desempregados. O perda total gosta do 13 viu!!!

Anônimo disse...

Parabéns ao Temer!!! Excelente estrategista, mostrou sereno e forte ante aos anseios raivosos dos golpistas e das esquerdas que impôs ao Brasil 13 anos de atraso e 13 milhões de desempregados. O Perda Total gosta do 13 viu!!!

Anônimo disse...

Anonimo 10:51 o Temer foi eleito com seu voto, ja que voce deve ser petista e votou todo pimpao na ZikaDilma.

Eu nao votei no Temer, mas ele tem o direito de la ficar, a Anta foi impichada legalmente, e se ele nao eh honesto como vc diz o que sera que voce diria dos governos anteriores do PT?

A proposito, o cafezinho da reparticao esfriou, vai la trocar. Na volta passa e recolhe o lixo do banheiro masculino, e da uma geral nas privadas.

Anônimo disse...

GLOBO VAI TRANSMITIR AO VIVO VOTAÇÃO CONTRA TEMER:

A rede Globo informou que irá transmitir ao vivo e sem interrupções a votação da denúncia contra Michel Temer na Câmara dos Deputados, marcada para o dia 2 de agosto; segundo a emissora, isso acontecerá mesmo se a deliberação for em horário nobre, interrompendo novelas, jogos e séries; A emissora abrirá a transmissão a partir do primeiro parlamentar a votar, e manterá a narração ao vivo até o último deputado declarar sua posição no microfone.

17 DE JULHO DE 2017

247 - Depois de ajudar a colocar Michel Temer no poder, a rede Globo agora pode televisionar o começo de seu fim.

A TV Globo transmitirá ao vivo toda a votação da denúncia contra Temer na Câmara dos Deputados, marcada para o dia 2 de agosto. Mesmo que seja em horário nobre, interrompendo novelas, jogos e séries.

A emissora abrirá a transmissão a partir do primeiro parlamentar a votar, e manterá a narração ao vivo até o último deputado declarar sua posição no microfone.

No impeachment de Dilma Rousseff, no dia 17 de abril de 2016, um domingo, a emissora ficou seis horas no ar -das 17h46 às 23h50. O afastamento de Fernando Collor também foi transmitido de forma ininterrupta.

PS: Antes disso o PGR vai oferecer uma segundo denuncia contra o traíra, depois a Rede Globo vai empareder Deputado por Deputado.

Anônimo disse...

Kkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Bandido de estimação do MORDAZ é o NOVE DEDOS!

Não admite outro, né Mordaz?}

Anônimo disse...

Esse petralha das 11,47, ladrão do dinheiro público, nem tem cabeça para escrever um texto, o que elle faz é dar CTRL-C e Ctrl-V nos textos do blog Brasil 247, blog da ORCRIM.

Anônimo disse...

Parabens. Disse tudo, kkkk.

Anônimo disse...

Principalmente a sentença sobre a pena acessória de sete anos de inabilitação para o exercício de cargos públicos acabou com o Lula. Toda a movimentação política do Lula e do PT baseava-se na candidatura do Lula. O Lula pretendia continuar fazendo campanha política o que pressionaria a decisão da segunda instância. Ao condená-lo à perda de direitos políticos o Moro fechou as portas. Acabou para o LUla.

Anônimo disse...

Qualquer pessoa medianamente esclarecida percebe os movimentos do juiz moro do PSDB, digo, da Justiça da República de Curitiba com a midia marrom glace, ao estilo do promotor iltaliano, antonio di pietro:

1) Primeiro, maanda grampear, sem ter "autoridade" (ele mesmo reconheceu) para tal a conversa da presidente dilma com lula e ainda distribui o grampo para a imprensa marrom glace na anti vespera da votação do impedimento de Dilma. O resultado todos sabem, dilma cassada..

2)Segundo, manda conduzir lula coercitivamente para ser ouvido pela PF, sem que antes tenha mandado notificar e lula se negado a comparecer, comforme previsão legal;

3) Teceio, manda grampear o escritório de advogados de lula, ou seja, como um bom investigador sempre andava um passo na frente da defesa; (conforme noticiado amplamente pela imprensa)

4) terceiro, manda grampear a finada Dona Marisa, esposa de lula, quando ela diz, ao se referir aos paneleiros: "...enfiem as panelas no c...", com nítida impressão de jogar lula e a familia contra a opinião pública; (comforme noticiado pela imprensa)

5) quanto, participa de um evento promovido por Dória, em meio as Grãns Tucanos, senta ao lado de aécio e é fotografado cochichando no ouvido de aécio; Conforme divulgado na imprensa)

6) Rejeitas as + de 80 perguntas feitas por Cunha/PMDB para o traíra/PMDB; (conforme divulgado na imprensa)

7) Absolve por "falta de provas" a mulher de Cunha/PMDB, mesmo tendo nos autos provas "irrefutáveis" do governo da suiça em documento timbrado informando o numero da conta e a movimentação financeira no valor de 2 milhões; (conforme divulgado pela imprensa)

8) Condena Lula sem provas, como se dono fosse de um apt que nunca esteve em seu nome e sem observar as provas em contrário, ou seja, o apt foi relacionado pela OAS para fins de Recuperação judicial no Juizo Estadual e, ao mesmo tempo, poe o apt como garantia na Cx Federal. Ao mesmo tempo confunde "cota parte" com propridade definitiva, para justificar a condenação usa mais de 200 laudas;

9) Depois da condenação, ao estilo promotor italiano dipietro, o sentença é verberada na Midia Marrom glace, em especial no fantástico, com longos 13 minutos.
Os mesmos 13 minutos que a Record usou para denunciar a Rede Globo e estranhando porque o MPF/Paraná não faz acordo de delação premiada com Palloci sobre a denuncia contra Rede Globo. Durante a reportagem aparece imagens de Palocci, em audiência com Juiz Moro, se oferece para delatar o que sabe e, ao invés mandar o MPF ouvir Palloci, o juiz entende o oferecimento como ameaça e aumenta a pena na Condenação de Palloci.

Ou seja, alguem achava que o Jornal o Globo também não iria reverberar a sentença de Lula, como fez o JN e o Fantástico?

Anônimo disse...

“LULA FOI CONDENADO PELA 2ª VEZ NO TRIBUNAL DA GLOBO”:

"A matéria do Fantástico sobre a sentença do juiz Sergio Moro confirma a sórdida aliança entre a Rede Globo e a Operação Lava Jato para atacar o ex-presidente Lula. Em 13 minutos de massacre midiático, a Globo tentou empurrar ao público uma grande mentira: a de que a sentença teria sido baseada em provas, não apenas em teses dos procuradores e convicções do juiz", escreve o jornalista Ricardo Amaral, sobre reportagem exibida neste domingo 16, já criticada também pelo advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins; segundo Amaral, "o truque do Fantástico será repetido mil vezes, até que a mentira se pareça com uma verdade, completando o ciclo midiático-judicial da Lei de Moro"; nesta segunda, a Frente Brasil Juristas pela Democracia afirmou que a sentença do juiz Sergio Moro "ofende a Constituição".

17 DE JULHO DE 2017 - Ricardo Amaral - Jornal GGN

A matéria do Fantástico (16/07) sobre a sentença do juiz Sergio Moro confirma a sórdida aliança entre a Rede Globo e a Operação Lava Jato para atacar o ex-presidente Lula. Em 13 minutos de massacre midiático, a Globo tentou empurrar ao público uma grande mentira: a de que a sentença teria sido baseada em provas, não apenas em teses dos procuradores e convicções do juiz.

O esforço de propaganda não muda a realidade: Lula foi condenado sem provas. A defesa demonstrou que o tríplex do Guarujá sempre pertenceu à OAS e tem seus direitos econômicos alienados a um fundo gerido pela Caixa. E a acusação não provou qualquer relação entre Lula e os desvios da Petrobrás, algo ignorado tanto pela sentença quanto pelo Fantástico.

Mas a Lei de Moro baseia-se fundamentalmente em condenar por meio das manchetes, não do Direito. A Globo sabe que a sentença é frágil e não deve prosperar em instâncias mais sérias do Judiciário; a não ser que seja amparada por uma forte campanha de mídia. Por isso armou seu próprio Tribunal, que absolve Moro de seus muitos erros e condena Lula sem apelação.

O Tribunal da Globo funciona como um espetáculo de ilusionismo. O mágico usa uma série de truques para distrair a plateia (cortinas de fumaça, jogos de luz, dançarinas, tambores) e, ao final, o que não era passa a existir no palco, pois as mãos do mágico são mais rápidas que os olhos da plateia.

No Fantástico, o truque do mágico é distrair o público lançando ao palco o contrato regular com a cooperativa que iniciou o projeto (não com a OAS), um papel rasurado (por quem?) e sem assinatura, um par de notas fiscais da loja de móveis, as falas de 2 réus que contradizem 73 testemunhas; é ocultar a defesa de Lula para encerrar o número com seu veredito ilusório.

A matéria não mostra nada que prove, de fato, que o apartamento foi dado a Lula ou que ele tenha recebido qualquer vantagem, em dinheiro ou de outra forma. Nada que o relacione aos desvios da Petrobrás. Mas na falta de material substantivo, o Tribunal da Globo emprega adjetivos para sentenciar que há provas "documentais, periciais e testemunhais". (...)

A narrativa contra Lula é sobreposta por imagens da fachada do prédio, fotos internas do apartamento, cenas de prisão e de depoimentos, imagens fora de contexto do próprio Lula e de dona Mariza. São cenas da vida real utilizadas para embalar o enredo de ficção que se quer transmitir ao público.

Dois "especialistas" são chamados a interpretar unilateralmente a sentença, poupando repórteres e locutores do serviço mais sujo. Ganharam seu minutos de glória e garantiram vaga na longa lista de comentaristas amestrados da imprensa. A Globo, naturalmente, não mostrou "especialistas" que pensam diferente de Moro. (...)

A intenção da Globo é convencer o público de que Lula está fora do jogo eleitoral, sem aguardar o pronunciamento das instâncias superiores. (...)

Por isso, em outra frente, editoriais e colunistas da Globo pressionam o Judiciário a acelerar o processo e antecipar o desfecho da longa caçada ao ex-presidente Lula. (...).

Anônimo disse...

O que Palocci tem a dizer sobre a Globo na delação premiada?

17/07/2017

Jornal GGN - Há alguns dias, a revista Veja divulgou uma nota informando que a delação premiada de Antonio Palocci tem um "anexo que entra e sai" exclusivamente dedicado à Rede Globo. O que o ex-ministro da Fazenda tem a dizer sobre o império erguido pela família Marinho, que esteve bem perto de quebrar no início dos anos 2000?

Diante de Sergio Moro, em abril passado, Palocci deu uma dica: poderia colaborar com a Lava Jato entregando negociações que ocorreram nos bastidores de Brasília para "salvar" empresas de comunicação que, sem a ajuda do governo, corriam sério risco de quebrar.

Reportagem veiculada pela Record, no domingo (16), mostra que a Globo se beneficiou da edição da lei 12.996, que abriu uma brecha para que a emissora pudesse pagar parte da dívida que tem com a União, com 100% de desconto em multa. Ou seja, o grupo devolveu R$ 1 bilhão referente a impostos sonegados aos cofres públicos, mas deixou de pagar outro R$ 1 bilhão em multa, diz a matéria.

Palocci poderia, entre outros pontos, revelar a eventual pressão exercida pela Globo para conseguir essa janela e se beneficiar do não pagamento de multas.

Ainda segundo a reportagem, o governo passou a investigar a Globo, através da Receita federal, em meados do ano 2005. As autoridades haviam descoberto o esquema da emissora para comprar direitos de transmissão de grandes eventos esportivos da Fifa sem pagar nenhum imposto no Brasil.

A "operação fraudulenta" acontecia através da empresa com nome Empire, que a Globo abriu em um paraíso fiscal para adquirir os direitos de transmissão. "Assim que a Empire ficou com o direito da Copa do Mundo, ela foi dissolvida e transferiu os bens para a Globo. Só com essa manobra, Globo deixou de pagar R$ 170 milhões em impostos no Brasil."

A Receita chegou a acusar a Globo de simulação, multou em 150% sobre o valor do imposto sonegado e pretendia processar a emissora criminalmente. À época, o valor devido em multa e juros passava dos R$ 615 milhões.

Mas às vésperas do processo ser entregue ao Ministério Público, uma funcionária da Receita que estava em férias furtou o processo. Ela foi condenada a 4 anos, mas não passou uma semana na cadeia. Teve habeas corpus do Supremo Tribunal Federal. Hoje, ela, que mora em um condomínio luxuoso no Rio de Janeiro, responde em liberdade, diz a reportagem da Record.

O veículo ainda mostrou os negócios da Mossak Fonseca e abordou a pressão sobre os procuradores da Lava Jato para não aceitarem a delação de Palocci sobre a Globo.

Na sentença em que condenou Palocci a 12 anos de prisão, Sergio Moro deu um sinal de que a delação não deve ser negociada, afirmando que a promessa de cooperação mais parecia uma "ameaça", um recado àqueles que podem ser atingidos, para que dessem um jeito de ajudar o ex-ministro.