Artigo, Pedro Lagomarcino - Quando o mandato parlamentar é um desserviço

- Pedro Lagomarcino é advogado, Porto Alegre

Muito se espera de quem recebe um mandato ao ser eleito.

Talvez, porque este muito, ao longo de meses que precedem as eleições, tem a ver com todas as promessas alcançadas ao eleitor e o que este pensou conhecer deste ou daquele candidato que "invadiu sua casa", ao longo da programação eleitoral, posando como se fossem verdadeiros Sassás Mutemas Salvadores da Pátria. Lógico, cada qual embalado tal qual um produto midiático pós-moderno.

Mesmo há mais de 2.000 d.C., seguem alguns dizendo "olá, vou roubar um minutinho da sua atenção..." a despeito de saberem que o eleitor não tolera e não tolerará mais qualquer roubo, muito menos, do seu próprio tempo.

No caso do RS, em especial, na Assembleia Legislativa, o que se constata, ao longo do exercício parlamentar, com raríssimas exceções, é o uso do mandato, para todo e qualquer fim, menos o de bem legislar atendendo os critérios qualitativos e quantitativos, somado ao que se concebe por útil e relevante para o povo gaúcho.

Após detalhada análise da produção legislativa dos 55 (cinquenta e cinco) Deputados Estaduais, infelizmente, fato é que 17 (dezessete) destes, quando se trata de observar os critérios acima referidos, "acertam na mosca" o que se concebe ou como pífio, ou como pedestre, senão ainda o inexistente.
CLIQUE AQUI para ler tudo.

8 comentários:

Anônimo disse...

O que está muito claro, há muito tempo, é que, no Brasil, seja no âmbito federal, estadual ou municipal, os políticos usam seu mandato em prol do partido a que estão vinculados e não em prol do ente público que representam e do eleitor que os elegeu.

Anônimo disse...

...o que não fazem...eheheheheh

Anônimo disse...

Parabéns pelo artigo Dr. Pedro Lagomarcino. Uma análise muito bem escrita. O sr. nos representa.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto Profº. Pedro Lagomarcino!
Suas aulas aqui na pós-graduação são fantásticas e é maravilhoso poder ler artigos escritos com tamanho primor.

Anônimo disse...

Lagomarcino,
Mais uma vez o que escreveste repercutiu positivamente aqui no MPF.
Nossos cumprimentos.

Anônimo disse...

Parabenizamos o Dr. Pedro Lagomarcino pelo belíssimo texto.
Trata-se de um Advogado de caráter, brio e competência inconteste que além de Advogar de forma exemplar, muito tem contribuído para combater a corrupção que assola este país.

Daniel L. Dri disse...

Excelente texto Pedro.
Muito oportuna a análise. Não podemos nos acostumar com a mediocridade. A retórica eleitoral é sempre a mesma. Infelizmente a campanha corre ao largo da atividade parlamentar, porque inexiste vinculação. Ou nos representam ou não nos representam.
Parabéns!

Anônimo disse...

Dr. Lagomarcino, estamos muito agradecidos aqui no Ministério Público Eleitoral pelo que escreveste. Essa análise do Sr. deveria circular por todo Rio Grande do Sul. Assim os gaúchos e gaúchas visualizassem quem são estes verdadeiros impostores que fazem lembrar do canto das sereias que seduziam pela beleza e pelo som quem se lançasse ao mar, para depois lavá-los às profundezas e nunca mais voltar.