Ex-gerentes da Petrobrás recebiam propina lavada pela nova Lei da Repatriação

Os ex-gerentes da Petrobrás que foram presos esta semana pela Operação Asfixia, direcionaram licitações que somaram R$ 5 bilhões em encomendas.

Tudo para meter a mão em propinas correspondentes a 1% dos contratos.

A coisa era tão descarada e recente, que num caso de R$ 48 milhões de propinas, o dinheiro foi lavado com o uso da nova Lei de Repatriação.

É de saber onde estão os ferozes sindicalistas da FUP e dos sindicatos dos petroleiros alinhados com a CUT, que nada enxergam, nada falam e nada ouvem sobre o escândalo.

2 comentários:

Nelson disse...

Ainda mantenho que a solução é simples: vender esse elefante branco pelo melhor preço!
Contra a corrupção, privatização é a solução.

Unknown disse...

Até quando vamos ter leis que privilegiam bandidos, feitas e julgadas por bandidos???