segunda-feira, 17 de abril de 2017

Governo brasileiro agiliza regularização de refugiados da Venezuela

A regularização dos migrantes venezuelanos que estão entrando no Brasil sem documentação tem sido a principal frente de atuação do ministério do Trabalho em Pacaraima, município de Roraima localizado na fronteira com a Venezuela. 

O ministro Ronaldo Nogueuira mandou dizer ao editor que até fevereiro deste ano, a Polícia Federal tinha recebido 3,5 mil solicitações de refúgio e feito 4 mil agendamentos para solicitações futuras até outubro. Calcula-se que esse número seja muito maior, pois a fronteira tem 90 quilômetros de extensão, a maior parte em território indígena, e há registros diários de entrada e saída de migrantes do país vizinho. 

7 comentários:

Anônimo disse...

Tem que tomar cuidado com esses "refugiados". Cuba mandou levas de cubanos para a Venezuela, para ajudar Maduro, com documentos venezuelanos falsos.

Anônimo disse...

Alem de darem o calote no BNDES, ainda termos de sustentar essa corja de bolivarianos!

Anônimo disse...

Vão se refugiar na casa do cacete, não aqui, chega de albergar esses REFUGADOS.

Anônimo disse...

Se fosse venezuelana, faria a mesma coisa. Enfrentaria indígenas, caminharia até a exaustão, carregaria a família nas costas para fugir do inferno bolivariano o mais rápido possível.
O Temer e seu ministro das Relações Exteriores poderiam ver a possibilidade de trocar os pobres cidadãos venezuelanos pela turma dos corruPTos daqui.
Sairíamos ganhando com a troca. Limparíamos o Brasil!

sempre mais disse...

A merda sempre sobra pra gente. Mais bolsa. Não aguentamos mais! Chega!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Mas a Venezuela não era o paraíso aqui na Terra? Que vão para CUba, que sempre defenderam ou para CUba que os pariu ou junto com o porco do Chávez! Ainda por cima temos que receber e sustentar essa tigrada dos infernos?

Anônimo disse...

uai apoiaram anos o ditador sanguinario chaves depois o motorista maduro que ficou no lugar do golpista chaves agora correm pra ca- bando de cincos, voltem pra venezuela lamber as botas do ditador sanguinario, nossa cor aqui é verde e nao vermelha