Conheça os três pontos que podem mudar na proposta de reforma da previdência

Neste momento, hoje, quinta-feira, segundo o Estado, o governo teria 95 votos a favor e 251 contra, mas o ministro Eliseu Padilha avisou que isto mudará depois dos novos desenhos da reforma.

O presidente Michel Temer se reunirá nesta manhã com Padilha, o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, e com Arthur Maia para examinar pontos controversos da reforma da previdência:

- As regras para o pagamento do benefício assistencial a idosos e pessoas com deficiência (BPC).
- A aposentadoria rural.
- E a regra de transição, que só abrange homens com mais de 50 anos e mulheres com mais de 45 anos. 

O ministro Eliseu Padilha disse ontem a tarde que uma nova regra de transição não pode durar mais do que 20 anos e isso é inegociável – pela proposta enviada ao Congresso, a regra para homens dura 15 anos e para mulheres, 20 anos.

O ministro descartou mudança na idade mínima de 65 anos para aposentadorias. Também não está em cogitação regra diferenciada para homens e mulheres se aposentarem. Padilha ressaltou que a unificação da regra só ocorrerá, na prática, daqui a 20 anos. Na transição, Padilha disse que poderão ser discutidas outras propostas, mas o prazo de no máximo 20 anos é inegociável.