terça-feira, 21 de março de 2017

Carne Fraca não é Lava Jato

A Operação Carne Fraca não é a nova Lava Jato.

4 comentários:

Anônimo disse...

Não, se pegar o agronegócio será bem pior e maior, nisso tens razão Políbio.

Anônimo disse...

Operação Carne Fraga não é sinonismo da carne em si, mas visa demonstrar que a corrupção seduz aqueles que são fracos e se deixam levar pela luxúria proporcionada pelo vil metal.

O sub-desenvolvimento cultural é que causou o tumulto, e pior com a participação do próprio Presidente, que pensávamos culto.

Anônimo disse...

Caro das 10:55, o Temer não é culto, mas sim curto, curto de moral, curto de ética, curto de civismos, curto de nacionalismo, curto de inteligência.
Cadê o Ministro da Justiça que ele nomeou? O ministro é o chefe da PF e por ela foi citado na operação Carne Fraca. O ministro é indicação de Eduardo Cunha.
Temer também é curto de coragem, de moralidade, de ação, e se não tivesse na mão de Eduardo Cunha já teria demitido o Ministro Serralho e os superintendentes da PF de Brasília e do Paraná.
O desvio do ser humano começou com Adão e Eva (para que é católico), então cabe a sociedade se auto regular.
Quem vai pagar o pato são os pequenos e grandes produtores rurais, juntamente com o resto da sociedade e o país.
Em Porto Alegre todo fim de semana uns 20 são assassinados, não se pode dizer que TODOS os Portoalegrenses sejam assassinos. Foi isto o que a PF fez, colocou toda industria brasileira de carnes na condição de corruptores e vendedores de carne imprópria para o consumo.

Anônimo disse...



Deveria ser, uma vez que o sistema é o mesmo, as empresas "doaram" dinheiro as pampas para os políticos e depois cobravam muito mais em licitações. Não esqueçam que a JBS fornece carne para as forças armadas e outros órgãos governamentais, tudo pago com o dinheiro do contribuinte.