quinta-feira, 23 de março de 2017

Análise - Governo anunciou revisão das projeções macroeconômicas e se decide por aumento de impostos

O ministério da Fazenda anunciou ontem revisão das suas projeções para este ano, (i) reduzindo o crescimento do PIB de 1,0% para 0,5%, (ii) ajustando a alta esperada para a inflação de 4,7% para 4,3% e (iii) calibrando a taxa de câmbio de R$/US$ 3,60 para R$/US$ 3,30. 

Apesar da revisão baixista, o secretário de Política Econômica, Fabio Kanczuk, destacou que houve avanço substancial da desalavancagem da economia durante o quarto trimestre de 2016, o que sustentará a retomada da economia. 

Além das revisões dos parâmetros macroeconômicos, o Governo anunciou a o relatório de avaliação bimestral de receitas e despesas. No relatório foi explicitado o esforço necessário de R$ 58,1 bilhões para o cumprimento da meta de resultado primário deste ano (de déficit de R$ 139,0 bilhões). As revisões vieram tanto do lado da receita, que foi reduzida em R$ 55,3 bilhões, como do lado das despesas, que foram elevadas em R$ 3,4 bilhões. Apesar da exposição do esforço necessário para o cumprimento da meta, o governo não divulgou de que forma o ajuste ocorrerá. Apesar disso, foram apresentadas três vias para o ajuste: i) receitas extraordinárias (através da concessão de hidrelétricas, casos que estão na justiça), ii) aumento de impostos, e iii) contingenciamento de despesas. Os detalhes do ajuste serão apresentados até o final do mês. 

7 comentários:

Anônimo disse...

E O PATO DA FIESP?

Os fantasiados de verde e amarelo, e batuqueiros de caçarolas, saíram às ruas e pediram a saída de Dilma e do PT.

Com o "impeachment" logo logo o Brasil entraria no paraíso.

Era a ponte para o futuro!

Patrocinados pela FIESP, desfilavam bradando: "Nós não vamos pagar o pato".

Foram todos enganados! Foram apenas usados como massa de manobra!

Inocentes úteis!!!




Façanha, o advogado do povo disse...

E tudo irá desembocar na CPMF...

Iguinácio disse...

Aqueles bilhões, mais de quinhentos, que o lula, o pt e o mantega passaram do Tesouro Nacional para o BNDE entregar gratuitamente para a friboi, eike X, porto em Cuba e outros "amigos", agora está fazendo falta, e que falta.
E o trevoso que voltar para completar a obra de destruição, bem como diz o romance policial: o criminoso quer sempre voltar à cena do crime.

Anônimo disse...

FÁCIL, É SÓ CORTAR OS GASTOS EM BRASÍLIA, OS MINISTÉRIOS INÚTEIS QUE FORAM REAGRUPADOS EM OUTRAS PASTAS..............


PRA QUE ROUANET? NÓS É QUE PAGAMOS ESSA FARRA....

Anônimo disse...

Políbio. O petralha de plantão, sempre o primeiro a comentar, será funcionário de alguma estatal? Sindicato? Câmara ou Assembléia?
Porque tem tempo de ler os posts em primeira mão e repetir as baboseiras de sempre. Sem nunca admitir a visível roubalheira em que estamos atolados.

Anônimo disse...

Não tem dinheiro, mas todo funcionalismo federal teve aumento acima da inflação. Que comecem a moralizar a gastança em Brasília. Reduzir gastos ninguém pensa.

Anônimo disse...

Para de gastar que sobra!!! Vamos abrir os gastos no cartão!!!