Marchezan mostra insegurança no caso da liberação de aplicativos de transporte privado

Até o dia 9 de março, a prefeitura de Porto Alegre precisa dar seu veredito sobre regulamentar ou não o transporte particular de passageiros por aplicativo.

A Câmara Municipal já aprovou lei específica para regularizar o serviço, mas o prefeito Nelson Marchezan Júnior solicitou à Procuradoria-Geral do Município que faça uma avaliação dos seus aspectos técnicos e jurídicos.

Durante a campanha eleitoral, entretanto, Marchezan assegurou que não só era favorável à liberação dos aplicativos, como afirmou que usava o Uber regularmente.

5 comentários:

Anônimo disse...

"Procuradoria-Geral do Município que faça uma avaliação dos seus aspectos técnicos e jurídicos". É o caminho logico, o jornalista continua revoltado com o resultado da eleição.

Anônimo disse...

Enquanto isso o poder público faz vista grossa aos ilegais. Gostaria de colocar meu ônibus para rodar na linha do T4 ou T1, posso? EPTC vai fazer vista grossa?

Anônimo disse...

Ele podia fazer um mini plebebiscito, já que possui quase 800 pessoas de sua confiança no seu governo...afinal, a opinião deles tem valor já que são "técnicos" retirados do banco de talentos...

Anônimo disse...

Terá sido ameaçado pela máfia laranja? Nem todos motoristas são marginais, porém muitos o são.

Anônimo disse...

Não não, ele não só assegurou como uso eventos da EPTC x Uber como plataforma de campanha.

Disse que iria demitir a diretoria da EPTC que ordenava emboscadas aos.Ubers e o que ele fez? Promoveu o diretor técnico, responsável pelas "emboscadas" a presidente da EPTC.

Marque a burrice, Marque a arrogância, Marque a incompetência, Marchezan.