segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Há quase dois anos o porto-alegrense não sabe que horas são

Há 17 meses o porto-alegrense que circula pelas ruas da cidade e não usa relógio de pulso não sabe que horas são. É este o tempo que os relógios de rua estão desativados.

O ex-prefeito José Fortunati chegou a anunciar que, no período, 130 unidades seriam ativadas, mas terminou seu governo e todos continuaram desligados.

O editor está certo de que Porto Alegre é a única Capital brasileira que não oferece o serviço aos cidadãos.

13 comentários:

Anônimo disse...

Segunda.

Anônimo disse...

Enquanto isso na FDRH, o diretor presidente e a gestão ainda não entenderam que a entidade esta em processo de extinção, estão lutando contra a maré, criando calendário e atividades para fdrh e continuar promovendo a gastança , tudo para continuar mantendo seus carguinhos fáceis.

Unknown disse...

Mas báh...

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Relógios de rua ou nas ruas?
Todos, inclusive os mais pobres carregam à mão e em todo o tempo seus tele móveis caminhando como zumbis na ruas. Por que então Políbio tua preocupação com tais relógios? Ressentimento contra o Fortunati. E vais continuar cobrando por que essa coisa que Porto Alegre elegeu será muito, mas muito pior ainda.

Ricardo Mainieri disse...

Sem horário, nem temperatura. São informações úteis e que tínhamos, sempre, em cada ponto da cidade. Os relógios de rua fazem falta, sim. Falhou a administração passada e falhará esta se não der uma solução para o caso.

Anônimo disse...

TEM É QUE ARRANCAR FORA ESTE RELÓGIOS, SE FOREM LIGADOS SERÁ PARA ALGUMA MARACUTAIA.

Anônimo disse...

É só prefeitura entregar junto com carnê iptu um relógio do Paraguay.

Custa entre 5 a 8 reais.

Anônimo disse...



Com as modernas tecnologias moveis, este relógios servem apenas para as empresas de propaganda, como a fiscalização do povo está ferrenha, não foi possível embolsar algum, por enquanto fica tudo no papel, vai que o povo se distraia.





Anônimo disse...

Quando a Ativa, que nasceu com Er. Cor.(RBS) com a família Du.., pagava propina para o procurador geral para engavetar o processo licitatório de relogios e placas de esquina e onibus, nunca falavam nada. Eram 50k para o nobre procurador que se aposentou em 2014.

Anônimo disse...

Quem não tem relógio de pulso, utiliza celular, ou outros esquipamentos eletrônicos, colocar relogios em logradouros públicos é despesas desnecessárias e não prioritárias para a população, poderia fazer acordos com empresas que tem interesses em doar, fazer manutenção e colocar suas propagandas Em São Paulo Doria retornou com o adote uma praça, programa do ex prefeito Mario Covas.Porto Alegre poderia instituir adote um relógio.

Anônimo disse...

culpa do Marchezam...

Anônimo disse...

Até lá no centro de Cidreira Beach tem um relógio desses e está funcionando, enquanto que aqui em POA, nada!

Anônimo disse...

Talvez o relógio não tenha se inscrito no banco de talentos