Mercado de imóveis de Porto Alegre começou a reagir. É boa hora para comprar.

Nesta entrevista publicada hoje pelo Jornal do Comércio, a repórter Patrícia Comunello conta que 
as medidas anunciadas pelo governo federal no final de 2016 para tentar ativar o mercado imobiliário no País tiveram uma ressalva da Alphaplan Inteligência em Pesquisas. O diretor da empresa, Tiago Dias, adverte que o que vai ajudar a impulsionar mesmo o setor não é só mais prazo em financiamentos, que foi incluído no rol de anúncios. 

Leia a íntegra da entrevista:

"A melhor medida para ampliar o volume de concessões de crédito imobiliário seria a redução dos juros, que teria efeito em toda a cadeia do setor", previne Dias, mestre em Economia Aplicada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), que comanda a apuração do Índice de Expectativa do Mercado Imobiliário (Iemi), em parceria com entidades do setor de construção, corretores e de venda. Pelo Iemi, formado pela avaliação de incorporadores, construtores, imobiliárias, corretores e consumidores de imóveis em Porto Alegre, algo começa a mudar. O índice apurado até novembro para 12 meses aponta que as expectativas começam a virar para uma recuperação, o que poderia motivar quem tem investimento no mercado financeiro a migrar para imóveis.  

Jornal do Comércio - Como evoluiu o indicador em 12 meses?
Tiago Dias - Em 12 meses (até novembro de 2016), o índice variou positivamente em 32,5%. O Iemi chegou a 112,1 pontos, o que indica uma recuperação importante na expectativa do setor em Porto Alegre.

JC - É uma boa hora para comprar imóvel?
Dias - Uma boa hora de comprar principalmente para o cliente final que tenha uma poupança guardada. As taxas de juros estão altas; e, por outro lado, os preços dos imóveis estão atrativos, assim como as condições de compra que as incorporadoras estão praticando para atrair os consumidores.

CLIQUE AQUI para ler tudo.