Ministro Terra diz em Porto Alegre: "50 milhões não querem carteira assinada para não perderem a Bolsa Família"

O PMDB Mulher-RS – núcleo de apoio partidário – saiu das eleições deste ano como o segmento que mais se destacou em todo o País, proporcionalmente, num comparativo com a legenda de outros estado:

- Elegeu 8 prefeitas, 10 vice-prefeitas e 193 vereadoras. 

O pessoal do PMDB Mulher acaba de falar com o editor.

E para contribuir com essas novas gestoras e legisladoras, realiza hoje e amanhã, no Hotel Embaixador, em Porto Alegre, o seu III Encontro de Formação Política.

Esta tarde, ao reunir líderes do PMDB gaúcho como o presidente estadual, deputado Ibsen Pinheiro, o seu colega de bancada, deputado Edson Brum, as mulhres do PMDB resolveram ouvir o ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, que é gaúcho. Terra apresentou os programas de proteção social do ministério.

Referindo-se ao Bolsa Família, eis o que disse o ministro:

- Atualmente o enfoque do governo é estimular a produtividade das pessoas, tornando-as independentes financeiramente. Queremos que as pessoas se emancipem e tenham condições de ter trabalho e renda. Hoje mais de 50 milhões de pessoas não querem trabalhar com carteira assinada para não perderem o benefício.


17 comentários:

Anônimo disse...

Este lado perverso e dependente do programa Bolsa- Família foi estimulado pelo PT, pois tem o componente da má política agregado, que é o Bolsa-Voto.!!!

Anônimo disse...

Não disse nada além da verdade, foi corajoso. O bolsa família serve apenas para botarem, sem responsabilidade nenhuma, mais filhos no mundo.

Anônimo disse...

Tinha que ser o imbecil do Terra pra fazer um comentário idiota desses.
deve ter conversado com essas 50 milhões de pessoas pra chegar a esta conclusão.

Esses são os caras que vão nos salvar...

Tá tudo perdido mesmo, Terra, Padilha, Renam, CUnha e agora o STF.

Tranque a porta do hospício e jogue fora.

Anônimo disse...

O pete fez isso de caso pensado. Sabia muito bem no que iria dar, e queria ter o controle dos votos dessa gente. Funcionou muito bem, até que foi apeado. Agora é ensinar a pescar.

Anônimo disse...

Estimularam uma nação de coitadinhos recebendo o bolsa família para se perpetuar no poder. Porém nada deu certo e agora Lula como vai ficar o país se aqueles que trabalhavam para sustentar os coitadinhos estão hoje desempregados? Acabou o dinheiro, acabou a farra. Agora se não trabalharem não terão o que comer como nos velhos tempos.

Anônimo disse...

50 milhoes? Kkkkkm

Anônimo disse...

Transformaram 1/4 da população brasileira em zumbis. Ainda prefiro a máxima de Ronald Reagan: " A melhor política é a política do emprego !"

Anônimo disse...

UÉ, MAS NÃO BASTAVA TIRAR DILMA E O PT???

Porque é que o Temer não acaba com o Bolsa Família, se o programa é tão ruim assim!

Anônimo disse...

Eu acredito, tenho conversado com muita gente que diz o mesmo que Osmar Terra diz.

Anônimo disse...

BOLSA-FAMILIA É IGUAL A BOLSA-MISERIA, BOLSA-DEPENDENCIA, BOLSA-CURRAL ELEITORAL .!!!

Anônimo disse...

Apenas disse o óbvio! Eu, pelo menos, sempre tive a absoluta convicção de que era exatamente isso que acontecia. O governo é pilantra? O povo, que o elegeu, é pilantra elevada a décima potência! Todos só querem levar vantagem sobre o suor dos outros...

Anônimo disse...

É bom dizer que quem começou isso foi o pessoal do PSDB, ou seja, no Bolsa-Escola. Mas exagera nos números também.
Também quero ver o Ministro falar isso dos milionários brasileiros que ganham bolsa-BNDES, sem muitas vezes, produzir um prego a mais.

Unknown disse...

Herança maldita do populismo sem sustentabilidade e sem reciprocidade!!!

Anônimo disse...

Esta afirmação equivale a um tratado de sociologia, mostrando como é composto o Brasil. De cara, são 50 milhões de vagabundos.
Somando os presidiários, os foragidos, os em liberdade condicional e mais
os ladrões pegos e ainda não pegos pela Lava Jato, já ultrapassa com folga
os 50 milhões.
Somando crianças, menores, estudantes e desempregados( 12 milhões), os idosos aposentados e não aposentados, os doentes e incapazes em geral, mais os vadios, ultrapassam os 100 milhões facilmente.
E é neste universo de grande fragilidade social facilmente manipulável que se criou e se desenvolveu com grande facilidade o partido-quadrilha.
Os números acima não são exatos, mais dá para se ter uma idéia do legado
de bondades deixados pelo partido que permitiu aos marginalizados do Brasil
"sonhar" com um futuro possível e promissor.

Anônimo disse...

Vagabundagem pura. Um dos motivos pelo qual o país não progride.

Anônimo disse...

Na foto, umas 10 crianças cada uma "feita" por um pai diferente! Não nos preocupemos pois daqui há 20 anos a coisa ficará pior!

Anônimo disse...

Pela imagem, conclui-se que os que vivem de assistência no Brasil são em sua maioria negros, índios, descendentes de africanos e pessoas desprovidas de inteligência. Sem hipocrisia, sem racismo, isso explica o porquê da Europa ser o que é e a África também ser lamentavelmente o que é. Assim como também se explica a gritante diferença entre o Nordeste e o Sul.