Calheiros abre sessão plenária para votar a PEC do Teto dos Gastos Públicos.

Começou a sessão plenária (11h34min) para votar a PEC 55, que é a que trata de estabelecer teto para os gastos públicos.

Será a segunda e última votação no Senado. Depois, irá tudo para a sanção de Temer.

Há quorum para votar.

A sessão solene que homenagearia os 100 anos de Miguel Arraes foi suspensa por Renan Calheiros.

12 comentários:

Unknown disse...

Dá-lhe Meu malvado Favorito III...
Fora petralha!!!

Anônimo disse...

Editor, emenda constitucional nao tem sanção do presidente. Ela é promulgada pela mesa do congresso!

Anônimo disse...

TEMER VAI ALEGAR QUE ERA DECORATIVO QUANDO PEDIU E RECEBEU R$ 10 MILHÕES:

Grupo mais próximo de Temer defende que o governo precisa insistir na tese de que a delação de Cláudio Melo Filho mostra um retrato não verdadeiro e que faz um recorte para causar o "máximo impacto possível", mas é cheio de incongruências; "Vamos lembrar que essa época (2014) era a época do 'vice decorativo'. O PMDB não tinha poder de decisão. Onde está o capítulo do Palácio do Planalto?", disse uma fonte palaciana à Reuters; o governo alega, por exemplo, que a denúncia de que Temer teria negociado uma doação de R$ 10 milhões não tem qualquer crime, já que a doação foi legal, comprovada por um depósito na conta de campanha do PMDB em 2014.

12 DE DEZEMBRO DE 2016 - Brasil 247

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - Depois de dias de intensa pressão, o Palácio do Planalto investe em estratégias para desviar a atenção da sequência de denúncias que atingiu boa parte do primeiro escalão do governo, com o anúncio de medidas econômicas, possivelmente esta semana, e uma tentativa de desconstruir a delação premiada do ex-diretor de relações institucionais da Odebrechet Cláudio Melo Filho.

A carta assinada pelo presidente Michel Temer e enviada nesta segunda-feira ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedindo que a PGR acelere as investigações e as delações dos executivos da Odebrecht, foi gestada durante a manhã em uma reunião.

No encontro, além de Temer, estavam os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Justiça, Alexandre de Moraes, o líder do governo no Congresso, senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o secretário do Programa de Parcerias Investimentos, Moreira Franco.

A avaliação do grupo, hoje o mais próximo de Temer, é que o governo precisa insistir na tese de que a delação de Melo Filho mostra um retrato não verdadeiro, faz um recorte para causar o "máximo impacto possível", mas é cheio de incongruências.

"Vamos lembrar que essa época (2014) era a época do 'vice decorativo'. O PMDB não tinha poder de decisão. Onde está o capítulo do Palácio do Planalto?", disse uma fonte palaciana.

O governo alega, por exemplo, que a denúncia de que Temer teria negociado uma doação de 10 milhões de reais não tem qualquer crime, já que a doação foi legal, comprovada por um depósito na conta de campanha do PMDB em 2014.

A ideia de que a delação completa da Odebrecht pode exonerar de alguma forma o PMDB e voltar o foco para o PT, ocupantes anteriores do Planalto, está presente na estratégia, mas o governo admite que não há como pedir quebra de sigilo das delações.

"O sigilo só pode cair depois que todas as delações forem homologadas pelo Supremo Tribunal Federal", diz a fonte.

Aliados de Temer irão reforçar às críticas ao vazamento --o que foi confirmado por uma nota do PMDB, que chama o fato de "vazamento criminoso" de uma proposta de delação não homologada.

A estratégia de pedir a anulação, no entanto, não vingou. Isso porque, ao contrário do caso do ex-presidente da OAS Leo Pinheiro, a delação de Melo Filho já foi assinada, mesmo que ainda não tenha sido homologada. A do executivo da OAS era ainda apenas uma proposta de delação em negociação.

PERGUNTAR NÃO OFENDE: O Traíra vai dizer que era 'Decorativo' e o XUXU vai dizer que nunca foi 'Santo'?

Entra dia e sai dia e o editor continua botando na bud. do PT as mazelas do traíra?

Anônimo disse...

O QUE TEMER PEDE É A ANULAÇÃO DAS DELAÇÕES:

Embora parte da imprensa tenha noticiado que Michel Temer pediu a Rodrigo Janot a aceleração das delações da Odebrecht, o que está escrito na carta tem outro significado; "Num clima de desconfiança, geradora de incerteza, o mister constitucional da União se vê seriamente obstruído. Daí a importância de se observarem todos os preceitos insertos na Lei n. 12.850, de 2013 (lei da delação premiada). Não por outra razão, em situação análoga, Vossa Excelência suspendeu tratativas de colaboração premiada em prol da higidez do procedimento legal", diz a missiva; ou seja: Temer diz a Janot que a delação da OAS foi anulada por ter sido vazada – e este parece ser seu real objetivo; notícia divulgada pela colunista Mônica Bergamo informa que Temer é visto pelo MP como o maior inimigo da Lava Jato, tendo como objetivo "estancar a sangria".

13 DE DEZEMBRO DE 2016

247 – Embora parte da imprensa tenha noticiado que Michel Temer pediu a Rodrigo Janot a aceleração das delações da Odebrecht, o que está escrito na carta tem outro significado.

"Num clima de desconfiança, geradora de incerteza, o mister constitucional da União se vê seriamente obstruído. Daí a importância de se observarem todos os preceitos insertos na Lei n. 12.850, de 2013 (lei da delação premiada). Não por outra razão, em situação análoga, Vossa Excelência suspendeu tratativas de colaboração premiada em prol da higidez do procedimento legal", diz a missiva.

Ou seja: Temer diz a Janot que a delação da OAS foi anulada por ter sido vazada – e este parece ser seu real objetivo também no caso Odebrecht.

Notícia divulgada pela colunista Mônica Bergamo informa que Temer é visto pelo MP como o maior inimigo da Lava Jato, tendo como objetivo "estancar a sangria" (leia aqui).

Leia, abaixo, a carta de Temer: ....

LULA & DILMA rindo alto da rataiada peemedebista e tucanas espernearem na ratoeira. BRAVA GENTE BRASILEIRA, Lula lidera 18!!!!

Alberto disse...

Depois da votação, CADEIA PRO CANGACEIRO!

Anônimo disse...

Vazamento de denúncia não é ilegal nem pode ser motivo para anular a delação.
(...)o ministro-relator Teori Zavascki cometeu um grave erro judicial ao suspender a delação premiada do empresário Léo Pinheiro, da OAS, a pretexto de o vazamento de suas declarações ter sido ilegal.
Mais aqui:
http://www.tribunadainternet.com.br/

Anônimo disse...

Sempre a mesma postagem desse imbecil esquerdopata.

Editor, esse post não te dá views...rejeita

Anônimo disse...

Políbio, delete esse idiota colando notícias de sites petralhas nos teus comentários. Que ele pelo menos aprenda a escrever suas próprias bobagens.

Anônimo disse...

Deveria existir um procedimento obrigatório. Cada vez que um desses críticos de ocasião emitisse uma opinião contrária ao que o governo queira fazer, ele terá que apresentar uma solução que melhore a vida do povo SEM AUMENTAR QUALQUER DESPESA E MAIS QUE REDUZA AS DESPESAS DO GOVERNO. Este traste do senador Paim que nunca apresentou qualquer solução, mas que passa o tempo todo criticando qualquer ação de qualquer governo, deveria ser omitido do congresso. Ficaria bem melhor.

Anônimo disse...

O petralha 13:15 deve ser daqueles que fizeram "mestrado sem ir as aulas" na UFRGS! Fez o curso na mesma turma do meu papagaio.

Anônimo disse...

a pec é necessaria p acabar com a farra da gastança do nosso dinheiro só quem foi contra foram os vermelhos pois querem continuar roubando e gastando a vontade p nós pagarmos a conta , quem cortou milhaers de leitos do sus em 13 anos foi o pt, quem cortou remedios sim até remedios p cancer quem cortou foi o pt, qeum cortoui bilhoes da saude em 13 anos foi op pt o pt foi corrido ainda bem , a pec nao corta nada ao contrario saude e educaaço ficaram de fora, a pec nao corta nada quem cortou foi o pt cortou bilhoes sa saude, da educaçao, da segurança, nao investiu em nosso pais investiram é em varios paises mas aqui nao- pt odeia o brasil

Anônimo disse...

ADVOGADOS DE LULA SAO INVESTIGADO POR REPASSES DA FECOMERCIO,- leiam na folha politica olhem lá saiu dia 18 d novembro esta materia, a midia esquerdalha esconde