Chacina em Pinhal Grande leva extrema violência de Porto Alegre para o interior do RS

Um agricultor, principal suspeito da chacina de Pinhal Grande, 4.552 habitantes, teria executado a enteada, Bianca Moraes de Salles, 16 anos, com um tiro na cabeça. Ela foi localizada parcialmente vestida, razão pela qual a Polícia Civil suspeita que ela possa ter sido abusada sexualmente.

O suspeito reside no centro de Pinhal Grande e aluga a terra de um produtor rural vizinho. Nessa propriedade, há um casa, onde o corpo de Bianca foi encontrado. Ela teria sido levada pelo padrasto ao local do crime nesta manhã, com a desculpa de que queria cuidar do gado. Depois de ter assassinado Bianca, o suspeito teria saído da casa e atirado contraAlex Cardoso, 17, que aguardava um ônibus em uma parada que fica do outro lado da estrada que passa em frente à propriedade. Alex é filho do proprietário da terra alugada pelo suspeito. Depois, ele seguiu pela estrada em um Uno de cor verde e encontrou o menino Iran Gonçalves dos Santos, 10, que caminhava em direção à escola. Ele também foi morto a tiros. 

Após, o suspeito teria retornado pela via e, ao passar pela propriedade de Afonso Gonçalves, 60, e vê-lo alimentando os animais, o atingiu com um tiro no pescoço. Ele é marido da prima-irmã do suspeito.

2 comentários:

Mordaz disse...

Violência sem nada a ver com a de Porto alegre.

Anônimo disse...

Isso é crime familiar ou afetivo, não tem nada de latrocínio, roubo ou drogas. Violência desse tipo infelizmente é comum em todo Brasil, esses dias uma família inteira em Joinville foi morta por um desequilibrado.