Fachin dá sinal verde para que Moro sentencie Lula

CLIQUE AQUI para ler as 139 páginas da denúncia, 
inclusive rol de testemunhas e provas materiais.

O ministro Luís Edson Fachin negou ontem o pedido dos advogados de Lula, líder do PT, que tentou novamente escapar do julgamento da ação criminal sobre a compra do triplex do Guarujá.

Fachin avisou que Sérgio Moro faz tudo certo e que pode sentenciar Lula.

15 comentários:

Mordaz disse...

Se Lula tivesse querido comprar o Triplex nada de errado. O crime foi recebimento de propina pelo Triplex que não iria pagar.

Anônimo disse...

Depois do juiz moro de primeiro grau "inocentar" Claudia Cunha, mulher do ex-Dep Fed,PMDB, ex--Presidente da Camara dos Deputados, PMDB e "presidiário" Eduardo Cunha, do PMDB, com fartas provas nos autos encaminhadas pelo governo da Suiça, como o número da conta, o valor, extratos de saques, totalizando no valor de 2 milhões, sem que a dita cuja tenha rende familiar para tal e sem informar a Receita Federal?

Depois que o juiz moro de primeiro grau "inocentou" Adriana Anselmo, mulher do ex-governador do RJ e "presidiário" Sérgio Cabral, cujo gastos familiares éram acima de 100 mil reais, por "falta de provas"?

Condenaria lula por ter sido visto vistando o imóvel com a mulher para uma eventual compra e por nunca ter morado no imóvel que está em nome da OAS, inclusiva na lista enviada para a Justiça Estadual no Rol dos bens da empresa, vom vistas a Recuperação Judicial?

Anônimo disse...

Petralha corruPTo das 10,50, tu tens que dizer isso é para o juiz do caso do ladrão e não prá quem acessa o blog do Políbio.

Anônimo disse...

Como assim...o Fachim não é petista?

Anônimo disse...

Anônimo das 10:50h. Pelas justificativas que destes é para deixar roubar o país e deixar assim? Não, queremos Justiça para todos. Vamos lutar para isso. Nada justifica o mau caráter, muito menos o roubo da coisa pública, seja quem for ou de que partido for. A Justiça é para todos.

Anônimo disse...

Mortadela detectado! !!

Anônimo disse...

Não vejo a hora de ver esse filho da puta na cadeia - o Brasil respiraria melhor! Não só ele, mas todos os demais corruptos de todos os partidos.

Anônimo disse...

Não confio no Fachinha do PT.
Tudo teatro, porque o Fachinha sabe que quando o processo do Luladrão chegar na última instância, no STF, o 9 dedos é absolvido.

Anônimo disse...

Muito bem, "PETRALHA ESPERANÇOSO" das 10:50!!!És esperançoso como aquele gaúcho que foi visitar a prenda e pego em flagrante pelo pai da moça de arma
em riste, saiu caminhando quase acocado para o velho não perceber a sua periclitante situação sexual e ao ser perguntado aonde ele aonde ia,o indio respondeu TÃO "ESPERANÇOSO" quanto o petralha das 10:50:
Buenas, vou lá fora "DAR UMA DESAGUADA"!!! (E "ESPERANÇOSO"): "TALVEZ ATÉ CAGUE"!!!

Anônimo disse...

Será que agora vai?
O vai que me refiro,é se finalmente prenderão Lula.
Porque chega de prender mulheres.

Anônimo disse...

Justiça desfaz injustiça de Moro:
15/06/2017 - Conversa Afiada

Imparcial de Curitiba condenou Vaccari à base de convicção!

Via Pragmatismo Político:

Após suspensão do julgamento do recurso de João Vaccari Neto, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), por pedido de vista do desembargador federal Victor Laus, nesta terça-feira (6), a defesa do ex-tesoureiro do PT está confiante na sua absolvição e vê elementos significativos na atual fase do caso, na corte sediada em Porto Alegre. “O importante e até simbólico nesse momento é que, pela primeira vez, um tribunal superior, ou pelo menos um desembargador, reconhece que houve condenação sem nenhuma prova, com base exclusiva em palavra de delator, o que não é possível pela lei brasileira”, diz o advogado de Vaccari, Luiz Flávio D’Urso. Vaccari encontra-se em prisão temporária em Curitiba desde 15 de abril de 2015.

O voto do revisor do processo no TRF-4, Leandro Paulsen, foi pela absolvição de Vaccari por falta de provas. “Nenhuma sentença condenatória será proferida apenas com base nas declarações de agente colaborador. O fato é que a vinculação de Vaccari não encontra elementos de corroboração. É muito provável que ele tinha conhecimento, mas tenho que decidir com o que está nos autos e não vi elementos suficientes para condenação“, disse o magistrado.

O voto pela absolvição foi divergente do proferido pelo desembargador João Pedro Gebran Neto, que acolheu pedido do Ministério Público, aumentando a pena de Vaccari de 15 para 18 anos. Diante da divergência, o desembargador Victor Laus pediu vista. O processo deve voltar a julgamento até o final de junho, segundo o tribunal.

Para D’Urso, as delações terem se tornado válidas como prova e condenação não é uma interpretação generalizada, mas restrita à 13ª Vara Federal de Curitiba. “Penso que ainda é cedo para dizer isso (que a tese virou regra), uma vez que tem acontecido na vara do juiz Sergio Moro. Ele tem proferido condenações com base em delação. Agora é que os tribunais de recursos começam a examinar essa matéria. Um desembargador do TRF-4 a decidir assim, com isenção e técnica, é um alento para que isso que aconteceu não se torne uma realidade permanente.”

O advogado afirma que sua expectativa é de que, ao ser retomado, o julgamento seja jurídico e técnico. “Se assim for, acredito na absolvição do Vaccari. O que considero importante é que efetivamente no caso do Vaccari não há prova nenhuma que confirme as palavras do delator”, diz D’Urso. “Embora Moro tenha condenado severamente, o tribunal que está revendo teve um olhar isento e técnico, como deve ser. Isso é muito positivo no sentido de trazer o processo penal para os eixos da legislação brasileira, independentemente de preferência, emoção ou partidarismo.”

O julgamento do recurso de Vaccari no TRF-4 é o mesmo do qual consta o ex-diretor de serviços da Petrobras Renato de Souza Duque, os empresários Adir Assad e Sônia Mariza Branco, e o economista Dario Teixeira Alves Júnior, todos condenados por Moro.

Em novembro, Vaccari já havia sido absolvido pela juíza Cristina Ribeiro Balbone Costa, da 5ª Vara Criminal de São Paulo, em ação penal relativa à sua gestão como presidente da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop).

Chico Valente disse...

E tudo isso será realizado e ai de quem o impedir.
Não cabe a um incentivador e adivogado do MST, militante de carteirinha de religião comunista impedir o andamento do Brasil decente, que trabalha, que paga impostos, que quer progredir, que não quer suas filhas incentivadas à prostituição ou ses filhos pré adolescentes ao homossexualismo e às drogas, que quer manter a família e não sua destruição.
Não poderia fazer outra coisa, mesmo chorando pelo seu guru.
Não basta ser a mulher de César, necessita também parecer.

Anônimo disse...

LULA na cadeia .!!!

Anônimo disse...

Justiça para todos, desde de sejam contra lula, dilma ou alguém do PT anonimo das 12:28 e sem provas?

Se o juiz moro "absolve por falta de provas" a a mulher do Eduardo Cunha, PMDB "com provas do governo da suiça", como é que vai condenar lula, sem provas? Se tirar fotografia ou ser visto visitando um prédio ou ter interesse de comprar um apt é prova que comprou o triplex do predio que "sempre esteve em nove da OAS" é prova, então eu to loco.

Ou o juiz moro usa uma "régua" para julgar o lula é outra "régua" para julgar a mulher do Cunha e a mulher do cabral é outra?

O que se espera minimamente de um juiz é uma postura equilibrada e coerente, caso contrario hoje é o lula, amanha pode ser vc aí tu vai berrar.

Anônimo disse...

PF TEM PROVA DE QUE CORONEL QUE RECEBEU PROPINA PAGOU REFORMA DA FILHA DE TEMER:

Um e-mail encontrado pela Polícia Federal indica que o coronel João Baptista Lima Filho, amigo próximo de Michel Temer e destino de R$ 1 milhão dos R$ 15 milhões que a JBS destinou para o caixa 2 da campanha do peemedebista em 2014, bancou uma reforma feita na casa de Maristela Temer, filha de Michel; o documento de 2014 foi enviado por um arquiteto e cobra do coronel aposentado serviços dele no valor de mais de R$ 44 mil; Lima Filho, aliado de Temer há mais de 30 anos, é investigado pelo STF sob suspeita de atuar como laranja do peemedebista.

15 DE JUNHO DE 2017

247 - Um documento apreendido pela Polícia Federal na casa do coronel João Baptista Lima Filho, amigo próximo de Michel Temer há mais de 30 anos, indica que ele cuidou dos pagamentos de uma reforma feita na casa de Maristela Temer, uma das filhas do peemedebista.

Trata-se de uma cópia de e-mail enviada em 2014 pelo arquiteto da obra, que cobra do coronel aposentado da PM serviços dele no valor de mais de R$ 44 mil.

O imóvel reformado fica no bairro de Alto de Pinheiros, região nobre da capital paulista, e vale cerca de R$ 4 milhões, segundo o serviço Fipezap, conforme cálculo divulgado em reportagem da Folha de S.Paulo nesta quinta-feira 15.

O escritório de Lima Filho recebeu R$ 1 milhão dos R$ 15 milhões que a JBS destinou para o caixa 2 da campanha de Temer em 2014.

Ele é alvo de investigação no Supremo Tribunal Federal por suspeita de atuar como laranja de Temer. No dia 18 de maio, a empresa Argeplan, da qual o coronel é sócio, foi alvo de mandado de busca e apreensão no âmbito da Operação Patmos.