terça-feira, 4 de abril de 2017

Lula e Dilma aprovavam leis e liberavam dinheiro do BNDES em troca de propinas da Odebrecht

Segundo delação feita aos procuradores da PGR e que estão sob a guarda do ministro Luis Edson Fachin, houve duas "contrapartidas específicas" (troca de propinas por benefícios dos governos do PT ) da Odebrecht ao PT desde 2009:

- Uma de R$ 64 milhões relacionada à linha de crédito e outra de R$ 50 milhões à votação da Medida Provisória do Refis, encaminhada ao Congresso, e que beneficiou a Braskem, controlada pela Odebrecht e que atua na área de química e petroquímica.

- Contrapartida específica ligada à linha de crédito.

No TSE, MO repetiu tudo e explicou:

— Para aprovarem uma linha de crédito, fizeram um pedido de contrapartida específica. Só que esses recursos, eles foram usados, se eu não me engano, até antes da eleição de 2010.

O delator disse que "eram pedidos diversos, mas vinham sempre através dos dois (Antonio Palocci e Mantega), incluindo os desembolsos para a campanha (de Dilma a presidente em 2014)"

18 comentários:

Anônimo disse...

E isto não é um modo de agir de uma quadrilha, com rotinas, coordenação e hierarquia ??? A mesma quadrilha , com a mudança de alguns personagens, que agia desde os tempos do Mensalão .!!!

Anônimo disse...

Cadeia para essa quadrilha PeTista que afundou o Brasil.
E sem nenhum tipo de regalia como progressão da pena, cela especial, visitinha íntima,...
Devolução da grana roubada com correção e juros.
Aí sim, teremos JUSTIÇA!!!

Anônimo disse...

B anco
N acional
D as
E empreiteiras
S acanas


Anônimo disse...

É simples...a ORCRIM, diz que é mentira ou que não sabia.

Anônimo disse...

O Brasil passou a ser o país da roubalheira generalizada. Quem trabalha e é pagador de impostos, é um trouxa e morre pobre. Só custeia com o seu suor a Monarquia Imperial de Brasília. Que país é esse?

Anônimo disse...

É campanha cerrada para desviar o fogo contra Dilma e livrar o TEMER para executar as metas anti povo.

Anônimo disse...

Mas como se eles nunca souberam de nada e eram puros como freiras noviças???

Anônimo disse...

É até dificil de acreditar que Presidentes da República tenham agido como bandidos quadrilheiros . Espera-se que a Justiça brasileira aplique a Lei . !!!

Paolo Hemmerich disse...

E Lula e Dilma continuam SOLTOS e OFENDENDO juízes e procuradores dá Lava Jato!! Se eu contar para meus amigos americanos, eles não vão acreditar nisso!! Vão dizer que isso aqui é lixo e não um País!!!

Anônimo disse...

Até quando o FORO PRIVILEGIADO vai proteger essa corja?

Anônimo disse...

E os Senhores Deputados Federais e Sanadores do PSDB, PMDB, DEMOs, PPS, PSB, PTB, PSD, ou seja, os traíras como votaram no Congresso Nacional?

JORGE LOEFFLER .'. disse...

Advogado Polibio, confesso que em minha ignorância não imaginava que Presidentes tinham o poder aprovar leis. Na escola me foi ensinado errado vez que me ensinaram que isto seria competência de um dito Poder Legislativo.
Obrigado por mais essa bela aula.

Anônimo disse...

Das 6 ultimas postagens da terça-feira feitas pelo editor, 5 se referem a Dilma e Lula. Que fixação. Parece que o presidente não é o Temer auxiliado pelo Elizeu, Moreira, Maia e Gilmar Mendes. Parece que não existe Sartori nem Marchezan. O editor dorme pensando na Dilma e acorda pensando na Dilma. O que será que houve no passado (passado mesmo, décadas) para o editor ter esta fixação na Dilma.

Anônimo disse...

Um absurdo!!!! Assaltaram o BNDES!

Unknown disse...

ORCRIM!!!

Anônimo disse...

Incrível que esses dois TRAIDORES do POVO ainda estejam SOLTOS!! Isso aqui é um país bananeiro mesmo!!!

Anônimo disse...

Podem anotar, se um dia o famigerado FORO PRIVILEGIADO acabar, PARA TODOS, a impunidade também acabará, diminuindo a roubalheira, pois os ladrões conhecem os seus limites e riscos .!!!

Anônimo disse...

A mídia deveria divulgar com insistência, para conhecimento da população, todas as dívidas dos países vizinhos que os governos brasileiros anistiaram. Os estados tem que pagar dívidas imensas e outros países são anistiados. Como que um presidente doa o nosso dinheiro sem nos consultar. Isto não aparece na mídia.