Jornalista gaúcho foi assassinado dentro da própria casa em Porto Alegre

A polícia ainda não sabe como morreu o jornalista Tagliene Padilha da Cruz, 33 anos. Ontem a noite, ele foi encontrado em seu apartamento, na Avenida João Pessoa, próximo à esquina com a Avenida Venâncio Aires, no bairro Farroupilha, em Porto Alegre. Cruz tinha ferimentos na cabeça e tinha o corpo enrolado por um cobertor sobre a cama..

O jornalista era solteiro e trabalhava há três anos na empresa de comunicação Fróes, Berlatto e associados, como prestador de serviços à Federasul. 

Neusa róes, jornalista, dona da assessoria, comentou o caso:

— Ele nunca atrasava, estava sempre em contato conosco. Por isso começamos a estranhar ainda no domingo, quando precisamos dele para uma demanda e não atendeu ao telefone e nem pelo Whatsapp. Ontem (segunda) novamente procuramos ele, e nada. Então começamos a procurar pelos amigos e tivemos essa terrível notícia. Ele era uma pessoa rara na alegria e na suavidade.

13 comentários:

Anônimo disse...

TEM CARA DE SER CRIME PASSIONAL.

Anônimo disse...

Na tampa, anónimo das 15h11!

Anônimo disse...

Off:
FUNDO PARTIDÁRIO – VOCÊ SABE O QUE É?
Adalberto Salvador Perillo Kühl Júnior
Aqui:
http://www.heitordepaola.com/publicacoes_materia.asp?id_artigo=6932

Anônimo disse...

A culpa do Sartori. Mais gaúcho morto como gado.

Anônimo disse...

Todas as características de crime "passional gay".

Lima disse...

Sim, crime passional... mas, que variáveis humanas estão envolvidas?
Enrolado num cobertor? Quem teria este "cuidado"?!

RR disse...

Crime passional? Mulher ciumenta enrolando o amante assassinado em cobertor? Mulher gosta de faca para estas coisas e não perde tempo enrolando em cobertor.
Homem pago por mulher ciumenta? Não enrolaria no cobertor e usaria alguma faca a mando da mulher ciumenta!
Como no caso do Lasier, esta história está mal contada!!!

visionst3 disse...

os homossexuais sempre sao assassinados pelo parceiro

Anônimo disse...

Também cravo no crime passional.

Anônimo disse...

Romance que virou assalto. E assalto que virou assassinato.

Lima disse...

Uma pergunta: como é que o assassino entrou no apartamento?

Anônimo disse...

Ao dizerem que a vítima era "suave" e "alegre", acabaram enviesando a investigação dos "detetives" desse blog

Anônimo disse...

dano moral nos comentários