Governo Sartori fechará, hoje, Fepps e SPH

Dos 12 órgãos estaduais que tiveram a extinção autorizada por lei entre 2015 e 2016, cinco foram fechados pelo Palácio Piratini – sendo que dois deles deixarão de existir oficialmente hoje. Foram desligados  26 servidores, de 1,2 mil inicialmente previstos, além do corte de 62 cargos de chefia.

No caso das outras sete estruturas, as demissões e transferências de atividades estão suspensas por decisões judiciais e dependem de acordos coletivos para avançar. Uma nova rodada de negociações com os sindicatos está prevista para o fim deste mês.

Fecharam
Fundação de Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul (Fundergs), que fechou as portas em março. 
Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro) 
Fundação Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore (FIGTF) 

Hoje, seguirão o mesmo destino 
Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde (Fepps)
Superintendência de Portos e Hidrovias (SPH)

Funcionam, ainda, com liminares:
Fundação Piratini 
Companhia Rio-Grandense de Artes Gráficas (Corag)