Procuradora gaúcha diz que "embriaguez" potencializou a tragédia da Boate Kiss

A procuradora Mirela Marquezan, de Santa Maria, continua causando revolta e indignação entre familiares de mortos e sobreviventes na tragédia da boate Kiss.


Ela escreveu textualmente, em uma decisão em que contesta na Justiça um pedido de indenização:

- O estado de sobriedade ou de embriaguez de cada um dos frequentadores do estabelecimento fez diferença no desfecho.

Os promotores e procuradores que atuam no caso, envolveram-se em vários tipos de incidentes com os familiares dos mortos, alguns dos quais estão sendo processados por calúnias, injúrias e difamações.